Escolha as suas informações

Abandono escolar: Alunos que deixam a escola vão ter um "advogado"
Luxemburgo 2 min. 15.07.2015

Abandono escolar: Alunos que deixam a escola vão ter um "advogado"

A taxa de abandono escolar no Luxemburgo é de 11,6% (em 2012-13), quando nos anos anteriores rondava os 9%

Abandono escolar: Alunos que deixam a escola vão ter um "advogado"

A taxa de abandono escolar no Luxemburgo é de 11,6% (em 2012-13), quando nos anos anteriores rondava os 9%
Shutterstock
Luxemburgo 2 min. 15.07.2015

Abandono escolar: Alunos que deixam a escola vão ter um "advogado"

Os alunos que abandonam o ensino luxemburguês vão ter um "advogado". Esta é uma das medidas apresentadas hoje pelo ministro da Educação para combater o problema.

Os alunos que abandonam o ensino luxemburguês vão ter um "advogado". Esta é uma das medidas apresentadas hoje pelo ministro da Educação para combater o problema.

A criação de um observatório de manutenção dos alunos no sistema de ensino e do "advogado" dos alunos foram as grandes novidades apresentadas esta quarta-feira por Claude Meisch, que descreveu o novo cargo de comissário como "um advogado ou defensor para aqueles que desistiram".

Segundo o ministro, cerca de 800 jovens abandonam definitivamente a cada ano o sistema escolar luxemburguês. Os números estão a piorar nos últimos anos.

O Luxemburgo "está dentro da média europeia. Embora tenha uma taxa de 11,6%, um pouco abaixo da média, isto não nos dá nenhuma satisfação. A Europa tem como objectivo uma taxa de 10% e em anos anteriores a nossa taxa de abandono era de 9%. Estamos perante uma queda que nos desafia e nos obriga a rever a política educativa e a desenvolver medidas concretas para reduzir novamente o abandono escolar", disse Claude Meisch. 

Para isso, conta com a nova figura do comissário. "Deve haver um advogado para os alunos que abandonaram a escola, alguém que garanta a transposição das estratégias definidas, mas também que assegure que os recursos previstos são utilizados correctamente. Precisamos de um comissário de manutenção escolar", defendeu o ministro, prevendo a apresentação do Observatório durante o primeiro trimestre 2015-2016.

Além da criação do "advogado" dos alunos, Claude Meisch apresentou seis propostas para prevenir o abandono escolar. As seis medidas surgem na sequência do simpósio sobre o tema que juntou no Luxemburgo, nos dias 9 e 10 de Junho, decisores políticos e especialistas europeus da educação:

  1. Desenvolver uma estratégia nacional contra o abandono escolar.   
  2. Criar sinergias envolvendo diferentes regiões para prevenir melhor o abandono.  
  3. Desenvolver uma abordagem global da escola.  
  4. Fazer transições escolares mais flexíveis e transparentes para os alunos.  
  5. Preparar os professores com uma formação inicial e contínua mais adequada.   
  6. Reforçar a relação pais-escola.
Claude Meisch quer um "advogado" para os alunos que abandonam a escola
Claude Meisch quer um "advogado" para os alunos que abandonam a escola

Indicadores de abandono escolar

Claude Meisch não quis traçar um perfil típico do aluno que abandona o sistema de ensino, mas adiantou que há "indicadores que podem dar informações sobre que alunos correm o risco de abandono": más notas, repetição de ano, mudanças na área de ensino, mudanças de turma ou ainda faltas injustificadas, apontou o governante, que promete ajudar as escolas com mais recursos.

O problema no sistema escolar é que "hoje não há nenhuma pessoa nas escolas, nenhum serviço que é chamado a reagir. Queremos dar os meios aos Centros de Psicologia e Orientação Escolar (CPOS) nos liceus para reagirem a tempo", disse o ministro.

O governante desafiou também os pais a terem um papel mais activo contra o abandono escolar. "Temos de trabalhar em conjunto com os pais. É mais coerente. Sozinho, enquanto escola, às vezes não se pode fazer nada", concluiu Claude Meisch, que espera ainda poder informar melhor os pais sobre o sistema de ensino luxemburguês e sobre as escolhas que podem ser feitas em prol dos filhos.


Notícias relacionadas

EDITORIAL: A quinta das crianças
Por José Luís Correia - A quinta-feira, 15 de Setembro, marca o regresso às aulas, mesmo se muitas escolas já começam a funcionar na segunda-feira e outras ainda antes.
O ano lectivo 2016-2017 arranca no dia 15 de Setembro