Escolha as suas informações

87% dos expatriados estão satisfeitos no Luxemburgo
Luxemburgo 02.07.2020

87% dos expatriados estão satisfeitos no Luxemburgo

87% dos expatriados estão satisfeitos no Luxemburgo

Foto : Pierre Matgé
Luxemburgo 02.07.2020

87% dos expatriados estão satisfeitos no Luxemburgo

Redação
Redação
Enquanto muitos admitem ter subestimado o custo de vida, 70% planeia ficar definitivamente no Luxemburgo avança um estudo do ING Luxembourg.

Sonhos versus realidade. Se os estrangeiros são atraídos para o Luxemburgo pela qualidade de vida e ordenados avultados, muitos percebem logo que o custo de vida é muito caro. Ainda assim, 87% está satisfeito com a mudança para o Grão-Ducado. É o que diz um estudo realizada pelo ING Luxembourg.

Do lado negativo, metade dos inquiridos diz que está desiludida e surpreendida com o valor gasto em necessidades básicas. Para italianos, franceses e portugueses, o valor pago em restaurantes e supermercados é mais caro do que o esperado. Mas o mais frustrante são mesmo os preços praticados no ramo imobiliário. 

Oito em cada dez estrangeiros admitem ter feito mal as contas no que toca a rendas. Ainda assim, o estudo indica que um em cada cinco estrangeiros conseguiu comprar a própria casa nos 24 meses seguintes à chegada ao Grão-Ducado e outro quinto dos inquiridos adquiriu habitação nos seus primeiros  cinco anos de permanência. 

Um elemento que não deixa de surpreender Ingrid Ballesca, analista do ING, que supervisionou a investigação. "É surpreendente ver que muitos deles conseguiram o dinheiro necessário para a hipoteca e a compra de uma casa", disse ela. 

Segundo o Instituto Liser, os preços de compra de moradias aumentaram 11% no último trimestre de 2019. Os números são, contudo, anteriores à pandemia de covid-19. 

Pesando os prós e os contras, 87% dos expatriados declararam que foi a decisão certa escolher fazer vida no Luxemburgo. 70% planeia ainda ficar definitivamente no Luxemburgo, o país que se torna assim a primeira casa. Um quarto dos inquiridos admite querer deixar o país após a aposentadoria.

Artigo original publicado na edição francesa do Luxemburger Wort. Edição de Ana Patrícia Cardoso. 


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas