Escolha as suas informações

75 suicídios por ano no Luxemburgo

75 suicídios por ano no Luxemburgo

Foto: Shutterstock
Luxemburgo 08.09.2018

75 suicídios por ano no Luxemburgo

Vanessa CASTANHEIRA
Em média há 75 suicídios por ano no Luxemburgo. Os dados foram revelados pela Liga Luxemburguesa de Saúde Mental, na sexta-feira. Jornada Mundial da Saúde Mental decorre esta segunda-feira.

Em declarações ao Le Quotidien, a Liga Luxemburguesa de Saúde Mental (LLHM, sigla em francês) estima que, além dos 75 casos de suicídio, o número de tentativas seja 20 vezes superior. "Estimamos que haja 1.500 tentativas por ano", precisou a Liga ao órgão de comunicação social.

Como o Contacto avançou em dezembro de 2017, 70% dos casos de suicídio inserem-se num quadro de depressão.

Considerada a doença do século, a depressão tem tido várias campanhas de sensibilização por parte das instituições e organizações luxemburguesas.

O Ministério da Saúde lançou o programa "Depression: Let´s talk" ("Depressão: Vamos conversar") que pretende sensibilizar profissionais e cidadãos anónimos para a problemática das doenças mentais e tentativas de suicídio.

Também a LLHM lançou a Semana da Saúde Mental, que decorre de 7 a 12 de outubro, nas localidades de Mamer, Dudelange, Pétange, Ettelbruck e Hesperange com formações, workshops terapêuticos, colóquios e conferências. O programa é aberto a todos os interessados e insere-se no Plano Nacional de Prevenção do Suicídio em vigor até 2019.

Ajuda em português

O apoio em língua portuguesa chega pela mão da SOS Détresse, um serviço telefónico de apoio psicológico disponível em várias línguas. Atualmente, o número 45 45 45 está disponível em francês, alemão e luxemburguês, mas o contacto em português pode por escrito.

Segundo os últimos dados divulgados pelo Eurostat, referentes ao ano de 2014, a taxa de suicídio no Luxemburgo situou-se acima da média da União Europeia (UE). Em geral, a taxa de suicídio na UE foi de 11 mortes por 100 mil habitantes, subindo para 13 casos no Luxemburgo.


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas