Escolha as suas informações

67,5% dos residentes maiores de 12 anos têm vacinação completa no Luxemburgo
Luxemburgo 4 min. 11.08.2021
Covid-19

67,5% dos residentes maiores de 12 anos têm vacinação completa no Luxemburgo

Covid-19

67,5% dos residentes maiores de 12 anos têm vacinação completa no Luxemburgo

Luxemburgo 4 min. 11.08.2021
Covid-19

67,5% dos residentes maiores de 12 anos têm vacinação completa no Luxemburgo

Susy MARTINS
Susy MARTINS
A estratégia de testagem em larga escala “tal como a conhecemos vai acabar no dia 15 de setembro”. O Governo vai focar-se no diagnóstico através de testes rápidos de antigénio, sobretudo nos lares e nas escolas, e nos testes serológicos.

"A situação da covid-19 é estável no Luxemburgo". Uma constatação da ministra da Saúde, Paulette Lenert, esta quarta-feira, em conferência de imprensa. Embora as novas infeções estejam a aumentar nos países vizinhos, no Grão-Ducado não é o caso.

Há atualmente 22 ‘doentes covid’ hospitalizados, dos quais seis nos cuidados intensivos. Duas das pessoas hospitalizadas tinham esquema vacinal completo.

Por outro lado, 76,6% das pessoas infetadas na semana passada não estavam vacinadas contra a covid-19, o que leva a ministra a dizer que “a vacina é a solução para sair da crise sanitária”.


Vacina covid-19 é gratuita mas é preciso pagar a consulta
Quem optar por vacinar-se com o médico de família terá de pagar a respetiva consulta, mas a fatura pode depois ser enviada à CNS para obter o reembolso.

O objetivo do Governo passa por convencer as pessoas que ainda não foram vacinadas para se dirigirem ao seu médico de família, que desde 2 de agosto começaram a vacinar nos seus consultórios. Segundo Paulette Lenert a confiança no médico de família é maior, o que pode levar mais pessoas a aceitar a vacina anticovid-19.

Segundo a ministra, 189 médicos assinaram uma convenção com o Ministério da Saúde para poderem vacinar nos seus consultórios, sendo que 13 médicos já estão ativos. Lenert diz que “a iniciativa tem sido um sucesso”, tendo sido vacinadas até ao momento 177 pessoas. A partir de 9 de agosto, 74 médicos suplementares aderem à vacinação nos seus consultórios e na semana de 16 de agosto serão mais cerca de uma centena.


Vacinação contra a covid-19 vai ser critério obrigatório para as novas contratações do CHL
O responsável do Centro Hospitalar no Luxemburgo justifica a decisão como uma "escolha ética", defendendo que não é possível recrutar alguém que "possa prejudicar a saúde de um paciente".

Também a ação de verão do autocarro de vacinação tem sido “um sucesso”, defende Lenert, realçando as 110 pessoas que foram vacinadas no passado fim de semana no festival de música E-Lake, em Echternach. Hoje, o autocarro de vacinação, que não requer agendamento, está no “den Atelier”, no bairro de Hollerich, na cidade do Luxemburgo e haverá uma “uma dúzia” de ações do género nos próximos dias.

Paulette Lenert revela ainda que 72,4% dos residentes maiores de 12 anos do Grão-Ducado já receberam uma dose da vacina ‘anticovid’ e 67,5% têm uma vacinação completa.

Nos últimos meses, os residentes e transfronteiriços tinham a oportunidade de se inscrever nas listas de espera para serem vacinados. Fica a informação que ao todo houve quase 18 mil inscrições, sendo que 27,6% eram transfronteiriços. Na segunda-feira foram enviados os últimos convites às pessoas inscritas. Isto significa que todos os candidatos já foram convidados à vacinação.

Nova estratégia de testagem

O Executivo também já está a preparar a próxima rentrée escolar. Hoje ficou-se a saber que os alunos entre 4 e 12 anos vão continuar a ser testados nas escolas pelos menos até às férias escolares do mês de novembro.

Aliás a estratégia de testagem em larga escala “tal como a conhecemos vai acabar no dia 15 de setembro”. O Governo vai focar-se no diagnóstico através de testes rápidos de antigénio, sobretudo nos lares e nas escolas, e nos testes serológicos.


Adesão dos jovens à vacina é mais lenta no Luxemburgo
A taxa de vacinação contra a covid-19 diminui consoante as faixas etárias no Luxemburgo. Quanto mais jovens, menos aderem à vacinação.

O Diretor da Saúde, Jean-Claude Schmit, deu mais pormenores sobre esses testes que detetam anticorpos. Segundo o especialista, ainda não se sabe a partir de que valor é que uma pessoa está completamente imune.

No entanto, as autoridades decidiram fazer estes testes serológicos em larga escala, por razões científicas.

Já o certificado de recuperação, para quem já foi infetado pelo novo coronavírus, não pode ser prolongado para além dos seis meses estipulados na lei, mesmo que a pessoa tenha uma elevada quantidade de anticorpos após 180 dias, esclarece o médico, sublinhando que é uma das perguntas frequentes que lhe fazem.

Terceira dose da vacina para pessoas idosas pendente

Quanto a uma eventual terceira dose, o Diretor da Saúde diz que o Luxemburgo vai manter a sua estratégia. Isto é, só recebe uma terceira dose quem for considerado “altamente vulnerável” à covid-19. É o caso, por exemplo, de pessoas que sofram um transplante de coração.

Cabe ao médico de família inscrever os candidatos à terceira dose no site Guichet.lu, para que essa possa receber o convite. 


Quase 100 pessoas já receberam terceira dose da vacina covid-19 no Luxemburgo
Entre 26 de julho e 1 de agosto foram vacinadas 91 pessoas com uma dose suplementar. São sobretudo pessoas vulneráveis que necessitavam de uma terceira inoculação, sublinham as autoridades sanitárias.

Há países que decidiram vacinar com uma terceira dose também as pessoas idosas. O Luxemburgo prefere aguardar o relatório do Conselho Nacional das Doenças Infeciosas para tomar uma decisão.

Já há repercussões dos regressos das férias de verão, acrescenta ainda o Diretor da Saúde, sublinhando ser importante manter as medidas de segurança também durante as férias. Apesar do número de novos contágios não ter aumentado, muitos dos novos infetados contraíram o vírus durante as férias.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas