Escolha as suas informações

256.698 luxemburgueses foram hoje às urnas
Luxemburgo 14.10.2018 Do nosso arquivo online

256.698 luxemburgueses foram hoje às urnas

256.698 luxemburgueses foram hoje às urnas

Foto: Guy Jallay
Luxemburgo 14.10.2018 Do nosso arquivo online

256.698 luxemburgueses foram hoje às urnas

Os eleitores vão escolher 60 deputados e votaram até às 14 horas. A partir das 18 horas, dado o difícil sistema eleitoral, serão conhecidos os primeiros resultados. Ao fim da noite vai perceber-se quem está em melhores condições para vir a governar o Luxemburgo.

São 507 candidatos, pertencentes a nove partidos, que se apresentam hoje às eleições. 46% desses candidatos são mulheres, para um eleitorado de 256.698 pessoas, que tem uma maioria de mulheres, 51,5%. A média de idades dos candidatos é de 47 anos. Há uma certa diferença em relação ao parlamento atual que tem uma média de idades de 51,7 anos e apenas 32% de mulheres. Os 48% de estrangeiros não têm direito de voto, embora cerca de 40 mil pessoas, 22 mil residentes no país, obtiveram a nacionalidade luxemburguesa, entre 2013 e setembro de 2018, e por isso possam votar. 

O voto é obrigatório. O país está dividido em quatro circunscrições: o Norte, que elege nove deputados; o Este, que elege sete deputados; o Centro, que elege 21 deputados; e o sul, que elege 23 deputados. Os eleitores têm tantos votos quanto os deputados que são eleitos. Podem votar num partido e aceitar a lista toda na ordem definida pelo partido, ou votar nos candidatos que mais gostam de vários partidos. Se gostarem muito de um candidato podem dar-lhe até dois votos.

O método para apurar os deputados é, desde 1919, a lei Hagenbash-Bishoff, nome do suíço que inventou o método, que consiste em calcular o número de votos totais de cada partido (lista+personalidades). Dividindo a soma dos resultados de todos os partidos pelo o número de deputados do círculo, obtendo um quociente eleitoral que corresponde ao número de votos necessários para obter um deputado nesse círculo. Os lugares de deputado são depois atribuídos aos candidatos que receberam mais votos na circunscrição. Em caso de empate, apuram-se os deputados que restam atribuir por um método de divisão sucessiva, os partidos com maior média de votos nos deputados eleitos vão ficando com os lugares restantes, os chamados deputados "basculantes".

As sondagens dão um crescimento do CSV, ADR e déj Lénk, resta saber se os partidos da atual coligação de governo (DP, LSAP e Déi Gréng) perderão a maioria que gozam no atual parlamento, e, nesse caso, com quem governará o CSV.


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Nestas eleições voltou-se a falar dos “desvios” do sistema eleitoral luxemburguês. O LSAP perdeu 2,68% dos votos e ficou sem três deputados, o CSV teve uma queda de quase 5,37% dos votos e teve menos deputados perdidos (2). Já para não falar que os deputados custam muito mais votos aos pequenos partidos que aos grandes. O Contacto simulou o que seria um parlamento num sistema totalmente proporcional.
No total, 284.577 eleitores são este domingo, dia 8 de outubro de 2017, chamados às urnas para votar nas eleições comunais que visam eleger os autarcas das 105 comunas do Luxemburgo. Cerca de 13 mil são portugueses.