Violência económica existe e afeta sobretudo mulheres
Radio Latina 13.01.2023
Estudo

Violência económica existe e afeta sobretudo mulheres

Estudo

Violência económica existe e afeta sobretudo mulheres

Radio Latina 13.01.2023
Estudo

Violência económica existe e afeta sobretudo mulheres

Não têm acesso a contas, não podem tomar decisões sobre as finanças familiares ou são impedidas de trabalhar ou estudar. O Statec diz que taxa de pessoas que se declaram vítimas é baixa, mas fala em "circunstâncias muito graves".

O número de vítimas assumidas é muito baixo, mas elas existem. A violência económica é um tipo de violência doméstica e as mulheres são as principais vítimas, como explicou à Rádio Latina Clarissa Dahmen, do Instituto Nacional de Estatística (Statec).

Proibir o parceiro de aceder às finanças e rendimentos do agregado ou impedi-lo de tomar decisões sobre as finanças familiares são dois exemplos de violência económica. Impedi-lo de trabalhar fora do domicílio ou de estudar são outros.

Clarissa Dahmen é a autora do mais recente estudo do Statec sobre a violência, um inquérito que conclui que a esmagadora maioria das vítimas de violência não faz queixa na polícia nem procura ajuda.

No final do relatório, o gabinete descreve os quatro principais tipos de violência analisados: física, psicológica, sexual e económica. A percentagem de sondados que se declararam ser vítimas de violência económica é de ‘apenas’ 2%. Clarissa Dahmen alerta que, apesar de a taxa ser baixa, são na mesma vítimas de “circunstâncias muito graves”.

A especialista acredita no entanto que alguns “casos muito extremos” não sejam conhecidos porque as vítimas não conseguem participar nas sondagens.

Em caso de violência doméstica, peça ajuda. Ligue para a ‘helpline-violence’, através do 2060 1060 ou envie um e-mail para info@helpline-violence.lu. Em caso de urgência, ligue diretamente para o 113.

Artigo: Diana Alves | Foto: Shutterstock


Notícias relacionadas

Clarissa Dahmen, Responsável de Estudos de Vitimização e Criminalidade,  do Statec.