“Se não bebemos, é porque estamos grávidas ou doentes”
Radio Latina 30.09.2022
Cultura de álcool

“Se não bebemos, é porque estamos grávidas ou doentes”

Cultura de álcool

“Se não bebemos, é porque estamos grávidas ou doentes”

Foto: AFP
Radio Latina 30.09.2022
Cultura de álcool

“Se não bebemos, é porque estamos grávidas ou doentes”

Nova campanha sobre o risco do consumo de álcool na gravidez visa não só as grávidas, mas também os parceiros/as. Tem de haver uma “responsabilidade partilhada”.

Há uma “cultura de álcool na Europa” e essa poderá ser uma das explicações para o facto de o número de casos de síndrome alcoólica fetal ser bastante superior no velho continente face ao resto do mundo.

De acordo com o centro de consultas sobre vícios Quai57, que faz parte da associação Arcus, cerca de 25% das mulheres europeias bebem, mesmo que apenas ocasionalmente, durante a gravidez. Os números disponíveis mostram também que, na Europa, a síndrome alcoólica fetal afeta 19,8 em cada mil nascimentos. Um valor muito acima da média mundial de 7,7.

Lisa Hatto, do Quai57, que lidera uma nova campanha nacional sobre os riscos do consumo de álcool na gravidez e na amamentação, diz que se trata de um problema de saúde pública. A educadora e assistente social destaca a “cultura do álcool” que existe na Europa.

Vivemos numa sociedade onde “não beber não é normal”. “Ou é porque estamos grávidas ou doentes”, segundo Lisa Hatto.

A nova campanha nacional, lançada a pedido do Ministério da Saúde, tem como objetivo sensibilizar não só as grávidas, mas também parceiros, amigos e familiares, para os riscos associados ao consumo de álcool durante a gestação. Lisa Hatto considera que ainda há aquela ideia de que “só um copo não faz mal” e diz que tem de haver uma “responsabilidade partilhada” nesta matéria.

A recomendação nacional é “zero álcool” durante a gravidez e a amamentação e é essa a mensagem no centro da campanha.

Diana Alves 

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas