Sarah Ferguson foi a 'responsável' pela entrevista desastrosa do príncipe André
Radio Latina 3 min. 20.11.2019

Sarah Ferguson foi a 'responsável' pela entrevista desastrosa do príncipe André

Sarah Ferguson foi a 'responsável' pela entrevista desastrosa do príncipe André

Radio Latina 3 min. 20.11.2019

Sarah Ferguson foi a 'responsável' pela entrevista desastrosa do príncipe André

Terá partido da ex-mulher a ideia do filho da rainha Isabel desmentir na televisão o envolvimento no escândalo sexual de Epstein. Um golpe de marketing que falhou totalmente.

A imprensa britânica tem usado a expressão "car crash" (acidente de carro) para caracterizar a conversa do príncipe André com a jornalista Emily Maitlis no programa 'NewsNight' da BBC, no passado fim de semana. 

O 'acidente' televisivo manchou ainda mais a reputação do duque de York em relação à amizade com o milionário Jeffrey Epstein, e possíveis encontros sexuais com menores. Tudo porque as respostas do duque foram incoerentes e este não mostrou arrependimento pela amizade com o predador sexual. 

Bode expiatório: A ex-mulher

Perante esta tragédia televisiva a pergunta impôs-se: De quem partiu a ideia de colocar o príncipe André em frente às câmaras para falar publicamente sobre um assunto sensível como este?

Segundo o Daily Mail, terá sido Sarah Ferguson, a ex-mulher de André, a encorajá-lo a "falar a sua verdade".  

Foto: dpa

 Sarah e André casaram em 1986, tiveram duas filhas, Beatrice e Eugenie, e divorciaram-se em 1996.

Apesar disso, a ex-duquesa mantém uma relação próxima tanto com o ex-marido, como com a rainha Isabel II. 

Segundo uma fonte do Palácio de Buckingham, citada pelo diário britânico 'Daily Mail' "André confia muito na Sarah. Quando surgiu a possibilidade desta entrevista, ela sentiu que poderia ser a melhor maneira de limpar o seu nome e apresentar ao público um olhar sobre o verdadeiro André".  

 A mesma fonte adiante que Fergie, como é conhecida, "sentiu que André precisava se antecipar ao assunto para conseguir recuperar de forma mais eficaz a sua imagem pública". Seria um golpe de marketing para solucionar o problema.

"Ela apoia-o muito e embora não seja usual um príncipe ir à televisão, Sarah sentiu que estes eram tempos excepcionais e circunstâncias anormais." O Palácio de Buckingham não confirmou a informação.   

Foto: Ian West/PA Wire/dpa

 Avalanche de reações negativas

As consequências não se fizeram esperar e a avalanche de reações veio não só de especialistas sobre a família real, como também das próprias vítimas de Epstein. 

"Nunca vi algo tão desastroso", afirmou o consultor de Relações Públicas Mark Borkowski ao jornal britânico The Guardian, acrescentando que a entrevista é uma lição para estudantes sobre "o que não se deve fazer".

Nicholas Witchell, especialista da BBC nos assuntos da família real garante que a entrevista do príncipe e o documentário de Meghan e Harry revelam "que a rainha perdeu o controlo da família real". Aos 93 anos de idade, a monarca “não está a exercer um controlo forte já que nem os conselheiros da rainha não foram envolvidos na entrevista”.     

De acordo com o jornal 'Express', o ex-assessor de imprensa do Palácio de Buckingham, Dickie Arbiter, descreveu a entrevista do Príncipe Andrew na noite de sábado como 'excruciante'. Arbiter garante que se os conselheiros tivessem sido ouvidos, teriam aconselhado o duque a não falar.    

O 'The Guardian' avança que os advogados que representam 10 vítimas do caso que envolve o milionário Jeffrey Esptein ficaram chocadas com a falta de remorsos demonstrada pelo príncipe, mas também com a defesa incoerente que este apresentou. 

Por isso mesmo, exigem que fale com o FBI sobre o caso.  Na entrevista com a BBC, o príncipe garantiu que vai procurar assessoria jurídica antes de prestar declarações sob juramento nos EUA.   

Ana Patrícia Cardoso 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas