Salvador Sobral e Blaya vão atuar em Paris
Radio Latina 04.07.2019

Salvador Sobral e Blaya vão atuar em Paris

Salvador Sobral e Blaya vão atuar em Paris

Foto: AFP
Radio Latina 04.07.2019

Salvador Sobral e Blaya vão atuar em Paris

Os artistas Salvador Sobral e Blaya são alguns dos músicos que vão passar por Paris em outubro no âmbito do Festival Les Muses Héliconiennes que este ano é dedicado a Portugal e à lusofonia.

"Este interesse nasceu em primeiro lugar porque queríamos um tema ligado à Europa, não ir ao outro lado do mundo, mas redescobrir o que está à nossa volta e dentro dos países europeus, fomos atraídos pelo que se passa em Portugal. É um país que fez escolhas políticas diferentes, assumiu-as e teve resultados, com várias leituras, mas houve uma verdadeira efervescência do país", indicou Etienne Ziller, diretor e programador do festival, em declarações à Agência Lusa.

O Les Muses Héliconiennes vai dividir-se entre o Théâtre des Bouffes du Nord e a sala La Cigale entre 28 de outubro e 01 de novembro, trazendo quase uma dezena de artistas portugueses e de países lusófonos a Paris.

"Quisemos dar um espectro da música em português. Quisemos mostrar artistas mais históricos e também artistas contemporâneos, com diferentes faixas etárias, para mostrar a riqueza desta língua. Quisemos ter o fado, porque não faria sentido não ter, mas do Brasil e de Angola queríamos também artistas com uma história muito rica", explicou Etienne Ziller.

Esta nova "dinâmica" de Portugal será mostrada por Cristina Branco, Blaya, Throes + The Shine e Salvador Sobral, que vem apresentar o seu novo disco "Paris, Lisboa". Flávia Coelho e Dona Onete vêm do Brasil e de Angola, Waldemar Bastos e Aline Frazão terão também concertos.

"Portugal é um país, mas há uma cultura que ultrapassa as suas fronteiras. Há a lusofonia e temos também atenção às comunidades brasileiras, cabo-verdiana e angolana e elas estão muito ligadas. O tema principal é Portugal, mas o papel da lusofonia é também muito importante", acrescentou.

O festival vai ter ao todo sete concertos e podem passar entre 3.000 a 3.500 pessoas pelas duas salas de espetáculo nos cinco dias para aplaudir os artistas lusófonos.

Lusa

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

Olavo Bilac e o público