Salários na Horeca aumentaram 7,5% este ano. “Há quem ganhe 9.000 euros”
Radio Latina 02.11.2022
Penúria de mão de obra

Salários na Horeca aumentaram 7,5% este ano. “Há quem ganhe 9.000 euros”

Penúria de mão de obra

Salários na Horeca aumentaram 7,5% este ano. “Há quem ganhe 9.000 euros”

Foto: Anouk Antony
Radio Latina 02.11.2022
Penúria de mão de obra

Salários na Horeca aumentaram 7,5% este ano. “Há quem ganhe 9.000 euros”

Federação diz que a falta de mão de obra se deve a um "problema de sociedade". “Pais não querem que os filhos trabalhem no setor”, critica.

Os salários no setor da Horeca aumentaram, em média, 7,5% este ano, sem contar com a indexação, e até há quem ganhe 8.000 ou mesmo 9.000 euros brutos por mês. 

Em entrevista à Rádio Latina, a propósito da penúria de mão de obra que afeta o setor, o secretário geral da federação que representa hotéis, restaurantes e cafés não quis fazer muitos comentários sobre a questão salarial, mas disse que tem havido uma progressão. “Vai desde o salário mínimo a ordenados que podem chegar aos 9.000 euros”. 

O setor atravessa uma situação difícil em matéria de mão de obra qualificada e não-qualificada. Mas os postos mais difíceis de preencher são aqueles que exigem formações específicas, como por exemplo sommeliers e profissionais especializados em gestão hoteleira (maîtres d’hotel, em francês). De acordo com o secretário-geral da Horesca, trata-se aqui de profissionais “diplomados, que aprenderam a profissão”, algo que, no seu entender, tem de estar bem explícito nas ofertas de emprego declaradas à ADEM pelas empresas.

Para Koepp há uma explicação central para a falta de trabalhadores no ramo da horeca. Diz que se trata de um “problema de sociedade”. Na Suíça, há orgulho nestas profissões; no Luxemburgo os pais não querem que os filhos se formem nesta área porque as profissões não são bem vistas, critica. 

Outra das explicações prende-se com a covid-19. Muitos trabalhadores “passaram” para outros setores que andaram a recrutar maciçamente.

François Koepp frisa que o Luxemburgo tem boas escolas e formações. Só não tem candidatos. O responsável sublinha que a área da hotelaria e restauração pode ser muito interessante para os jovens. Seja no Luxemburgo ou ‘lá fora’, este é um ramo que “garante emprego, mesmo com a digitalização”.

Diana Alves


Notícias relacionadas