Roubos por SMS aumentam. Quantias ascendem aos quatro dígitos
Radio Latina 11.01.2023
Polícia

Roubos por SMS aumentam. Quantias ascendem aos quatro dígitos

Polícia

Roubos por SMS aumentam. Quantias ascendem aos quatro dígitos

Radio Latina 11.01.2023
Polícia

Roubos por SMS aumentam. Quantias ascendem aos quatro dígitos

São mensagens fraudulentas enviadas em nome de administrações públicas ou bancos com o objetivo de roubar dinheiro à vítima.

Os casos de ‘phishing’ parecem estar a multiplicar-se nos últimos tempos. Contactada pela Rádio Latina, fonte da polícia grã-ducal, confirmou que, apesar de não haver estatísticas especificas sobre o ‘phishing’, a tendência é de aumento do número de casos.

De acordo com Catherine Weber, diretora-adjunta de comunicação da polícia, as estatísticas disponíveis não diferenciam o ‘phishing’ de outro tipo de roubo e fraude, o que não permite indicar números concretos. A responsável aponta também para a possibilidade de haver episódios que não são notificados às autoridades, “o que torna ainda mais difícil estimar a amplitude global do fenómeno”.

Roubos de montantes de quatro dígitos “não são raros”

Mesmo assim, Weber confirma que há uma tendência crescente ao nível do número de casos e que, “atualmente, há muitos SMS deste género a circular”. “Os burlões enviam SMS em nome de um banco, administração ou empresa. O objetivo da fraude é obter o número de um cartão de crédito com o código de segurança ou então incitar a vítima a fazer um pagamento. A seguir, os burlões utilizam os dados da vítima para realizarem transações”, explica.

Apesar de não revelar números, Catherine Weber adianta que “não é raro que as quantias roubadas ascendam a montantes de quatro dígitos”.

Conselhos da polícia

Para evitar cair na esparrela, a polícia alerta para que nunca se partilhem informações e dados pessoais pedidos através de e-mail, SMS ou outros serviços de mensagem, nunca clicar em links enviados por fontes desconhecidas, desconfiar de mensagens que pedem uma resposta rápida, verificar sempre se se é realmente o destinatário da mensagem e reparar se há erros ou traduções erradas.

A polícia alerta uma vez mais para o facto de bancos e administrações nunca solicitarem nem o envio de dados pessoais por e-mail nem pagamentos através de um link enviado por SMS. Em caso de dúvida quanto à origem da mensagem, os destinatários devem contactar o banco, administração ou empresa em questão.

Artigo: Diana Alves | Foto: Marcus Brandt/dpa


Notícias relacionadas

Os conselhos da polícia para evitar ser vítima de uma fraude através de SMS.