Rei Alberto da Bélgica assume filha ilegítima
Radio Latina 4 3 min. 28.01.2020 Do nosso arquivo online

Rei Alberto da Bélgica assume filha ilegítima

Rei Alberto da Bélgica assume filha ilegítima

Photo: AFP
Radio Latina 4 3 min. 28.01.2020 Do nosso arquivo online

Rei Alberto da Bélgica assume filha ilegítima

O teste de ADN provou que o monarca emérito é pai biológico de Delphine Boel e decidiu reconhecê-la. A irmã do rei Philipe pode tornar-se princesa e receber parte da fortuna real.

Sem mais fuga possível, o rei emérito da Bélgica, de 85 anos, anunciou na segunda-feira que a artista plástica Delphine Boel, de 51 anos, é mesmo sua filha biológica, fruto de longa relação extraconjugal mantida em segredo durante anos.

E tal só aconteceu agora depois de chegarem os resultados do teste de paternidade que o Tribunal de Apelação de Bruxelas solicitou ao antigo monarca. Após este pedido a cada dia que passasse e Alberto II da Bélgica não realizasse o exame de paternidade teria de pagar uma multa de cinco mil euros a Delphine, estipulada por este tribunal.

Foto: AFP

Encerrar o longo processo

Inicialmente o pai do atual rei Philippe da Bélgica tinha acordado fazer o teste se o resultado se mantivesse confidencial, porém foi o próprio quem acabou por os divulgar. “Para colocar um ponto final em todo este processo doloroso de forma digna e honrada”, justificaram os seus advogados no comunicado ontem divulgado.

"Sua Majestade o rei Alberto II tomou conhecimento dos resultados do exame de DNA a que se submeteu a pedido do Tribunal de Apelação de Bruxelas. As conclusões científicas indicam que ele é o pai biológico da sra. Delphine Boel", anuncia o referido documento.

Apesar de saber há muitos anos quem era o seu pai, Delphine Boel só iniciou a batalha legal em 2013, no ano em que o soberano abdicou. Alberto reino na Bélgica entre 1993 e 2013. Antes tinha tentado conciliar-se com o pai por vias mais pacíficas, mas não resultou.

Guy Jallay

Alberto sempre negou a filha ilegítima

Alberto casou-se com Paola Ruffo di Calabria em 1959, mas entre 1966 e 1984 manteve uma relação amorosa com a baronesa Sibila de Sélvs Longchamps.

Foi em 1999 que se ouviu falar pela primeira vez na alegada filha ilegítima de Alberto II. Na altura, a informação foi divulgada por uma biografia não autorizada da rainha Paola. Também a mãe de Delphine chegou a contar detalhes sobre a a sua relação com o rei. E sempre apoiou a luta da filha.

"Eu pensava que não podia ter filhos por causa de uma infeção que tive", contou a baronesa citada pelo The Guardian, quando o seu 'caso' com o rei foi tornado público. "Por isso, não tomei precauções", frisou. E continuou: "Foram tempos muito bonitos, Delphine era uma criança linda. Albert não era a figura normal do pai, mas era muito querido com ela".

Nestes anos todos, o rei emérito sempre negou a existência da sua filha ilegítima e do seu caso com a baronesa. Apenas admitiu publicamente que o seu casamento tinha passado por uma crise durante os anos em que manteve a relação com Sibylle Longchamps.

A batalha travada em tribunal

Depois de iniciado o processo legal, Delphine Boel pediu um teste de ADN a Jacques Boel, o companheiro da sua mãe, o seu pai legal que a criou. Foi realizado e deu negativo. Delphine não é sua filha. Só que o tribunal de primeira instância considerou-o pai legal e recusou o pedido de exame de ADN ao rei Alberto. Só em 2017 o caso foi reaberto no Tribunal da Apelação e desta vez Delphine Boel ganhou: aos 51 anos, provou-se finalmente que é filha biológica do rei Alberto II.

Lebrun Waem/PHOTONEWS POOL;epa;b

Agora Delphine Böel poderá passar a usar o apelido da família real e o título de princesa, através de um decreto real. Segundo a VTM Belgium, será "Princesa Delphine Van Belgie" e terá ainda direito a uma parte da fortuna do monarca emérito. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

(FILES) This combination of pictures created on April 26, 2018 shows Belgian artist Delphine Boel (L) on April 26, 2018 arriving for a session at the Appeal Court in Brussels to request the appeal of the case contesting the paternity of her father Jacques Boel and asking for the recognition of the paternity of King Albert II and a file photo taken on July 3, 2013 of King Albert II of Belgium (R) delivering a speech at the royal palace in Brussels. - Belgian ex-king Albert refused on February 1, 2019, appeals ruling of the Court of Appeal to issue a DNA sample in the case of Delphine Boel, who claims to be his daughter. The 84-year-old former monarch, who reigned from 1993 until 2013, has always refused to acknowledge that he could be her father. (Photos by ERIC LALMAND / Belga / AFP) / Belgium OUT