Rainha Letizia repreende o seu guarda-costas em público
Radio Latina 1 3 min. 09.10.2019

Rainha Letizia repreende o seu guarda-costas em público

Rainha Letizia repreende o seu guarda-costas em público

Radio Latina 1 3 min. 09.10.2019

Rainha Letizia repreende o seu guarda-costas em público

"Não me avisaste do degrau e quase me mato!", disse a monarca, em voz alta ao segurança, em frente a uma multidão que a esperava.

A rainha Letizia, como qualquer monarca ou seus descendentes nunca saem à rua sem se fazerem acompanhar de segurança pessoal, seja para eventos oficiais ou para simples passeios.

Mas a convivência com os guarda-costas nem sempre é pacífica. Foi o que aconteceu recentemente com a rainha espanhola, numa visita a Sevilha.

"Não me avisaste do degrau e quase me mato!", exclamou a rainha ao segurança, num momento que foi captado em vídeo e que se tornou viral nas redes sociais. 

Os vídeos 360 não têm suporte aqui. Ver o vídeo na aplicação Youtube.

A rainha Letizia e o rei Felipe VI encontravam-se em Sevilha para inaugurar a exposição "A viagem mais longa", patente até fevereiro de 2020 e que narra a história dos 500 anos da primeira viagem de circum-navegação, organizada e encabeçada pelo navegador português Fernão de Magalhães, ao serviço da coroa espanhola. 

À saída do local da exposição, o Arquivo Geral das Índias, o casal real foi recebido por uma multidão entusiasta e Letizia dirigiu-se aos populares para a habitual sessão de cumprimentos. 

Foi nessa altura que tropeçou no degrau e repreendeu o guarda-costas, em público, enquanto se apoiava no seu braço, pelo facto de não a ter avisado da existência desse obstáculo. Uma chamada de atenção que quem estava mais perto ouviu.

Realeza e guarda-costas: relação de amor e ódio

Em 2011, a nora favorita da rainha Isabel II,  Sophie de Wessex, mulher do princípe Eduardo, protagonizou uma cena acalorada com um dos seus seguranças, a poucos dias do casamento de William e Kate. 

A condessa foi fotografada a discutir com o seu guarda-costas, à saída  do atelier do estilista Bruce Olfied, que fez o vestido que Sophie levou à boda dos Duques de Cambridge.

A relação entre os guarda-costas e as figuras que protegem não são feitas apenas de situações explosivas e discussões. 

Pelo contrário, a sua proximidade cria muitas vezes laços de amizade e até afetivos, que já foram explorados no cinema, no célebre filme de 1992, 'O Guarda-Costas', com Kevin Costner e a malograda Whitney Houston.

O confidente da princesa Diana

A princesa Diana refugiava-se muitas vezes nos seus seguranças da perseguição dos paparazzi e da imprensa. Um deles, Ken Wharfe, que trabalhou com a princesa do povo quase dez anos tornou-se mesmo seu confidente. 

Em 2003, o guarda-costas lançou o livro 'Diana, Um Segredo Bem Guardado' (edição portuguesa), onde partilha alguns dos sentimentos de Lady Di em relação a diversas situações e personalidades.

Diana com o seu guarda-costas confidente Ken Wharf.
Diana com o seu guarda-costas confidente Ken Wharf.

O marido de Stéphanie do Mónaco

Mas o caso porventura mais famoso e conhecido do público, entre um membro da realeza e elementos da sua segurança pessoa, é o de Stéphanie do Mónaco, a princesa rebelde que, nos anos 90, quebrou todas as regras e casou com um dos seus guarda-costas, Daniel Ducruet, pai dos seus filhos mais velhos, Louis e Pauline. 

Casaram-se em 1995, com a bênção do príncipe Rainier, após grande resistência do monarca, ele próprio protagonista de um casamento inusitado na sua época, quando desposou a atriz de Hollywood, Grace Kelly.

A princesa Stephanie do Mónaco casou-se com o seu guarda-costas, Daniel Ducruet.
A princesa Stephanie do Mónaco casou-se com o seu guarda-costas, Daniel Ducruet.

O casamento de Stéphanie e de Daniel Ducruet não durou muito. Os casos extra-conjugais do seu então marido levaram a princesa a pôr fim ao matrimónio em 1997 , mas não aos relacionamentos com membros da sua segurança pessoal. 

Em 1998, a princesa deu à luz Camille, filha do seu chefe de segurança na altura, Jean Raymond Gottlieb, que se demitiu do cargo quando o curto romance começou. Camille nasceu fora do casamento, pelo que não faz parte da linha de sucessão ao trono do principado do Mónaco.