Quer regressar a Portugal? É o sonho de mais de 70% dos emigrantes
Radio Latina 15 min. 06.07.2022
Atualidade em síntese 06 JUL 2022

Quer regressar a Portugal? É o sonho de mais de 70% dos emigrantes

Atualidade em síntese 06 JUL 2022

Quer regressar a Portugal? É o sonho de mais de 70% dos emigrantes

Foto: Anouk Antony
Radio Latina 15 min. 06.07.2022
Atualidade em síntese 06 JUL 2022

Quer regressar a Portugal? É o sonho de mais de 70% dos emigrantes

Os baixos salários portugueses são para 62% dos inquiridos a razão de ainda não terem voltado para o seu país.

Mais de 70% dos portugueses residentes no estrangeiro querem regressar a Portugal, a médio ou longo prazo, e 73% já investiram ou consideram como provável investir no seu país, segundo um inquérito da  Sedes - Associação para o Desenvolvimento Económico e Social.

Dos 300 emigrantes e lusodescendentes abrangidos pelo inquérito, apenas 18% disse não pretender voltar a viver no seu país de origem.

Os baixos salários portugueses são para 62% dos inquiridos a razão de ainda não terem voltado para o seu país.

Migrantes querem "menos burocracia" e melhores serviços consulares

Portugueses residentes no estrangeiro desejam que haja "menos burocracia e lentidão administrativa" e melhores serviços consulares, de acordo com um inquérito da Associação para o Desenvolvimento Económico e Social.

Os emigrantes inquiridos vincam ter o mesmo valor e merecer o mesmo respeito que os portugueses que vivem em Portugal, referindo muitas vezes o atendimento consular desrespeitoso, como exemplo contrário a isso. 

Portugal deve ter "maior eficácia nos postos consulares" e "maior presença e proximidade consular", no estrangeiro, revela o relatório. Um estudo segundo o qual mais de 70% dos portugueses residentes no estrangeiro querem regressar a Portugal, a médio ou longo prazo.

FEDIL. “Todos os setores têm de poupar energia”

A FEDIL, federação que representa o setor da indústria luxemburguesa, considera que todos os setores têm de poupar energia face à iminente penúria de gás natural.

Numa nota divulgada à comunicação social, o organismo diz que “é indispensável que a mobilização com vista a uma potencial poupança de energia seja levada a cabo por todos os setores”.

A federação considera também que “os potenciais substitutos do gás devem ser rapidamente autorizados e utilizados”. A FEDIL entende que é necessário avançar com essas medidas antes de equacionar cortes no fornecimento à custas da indústria”.

O diretor da entidade, René Winkin, citado na nota, alerta que as  consequências de uma interrupção da produção não vão afetar apenas os setores diretamente visados. O dirigente considera que é preciso estar-se consciente de que, se acontecerem,  esses cortes virão acentuar a escassez de produtos e as subidas de preços a que já estamos a assistir.

O organismo teme que os níveis históricos da inflação levem a uma “espiral preços-salários”, pelo que reivindica um pacote de medidas adaptadas ao setor e socialmente eficazes.

Redução do tempo de trabalho é “areia para os olhos do eleitor”, diz Fedil 

Com a discussão sobre a eventual redução do tempo de trabalho no Luxemburgo, o Governo está “a atirar areia para os olhos dos eleitores”. Quem o diz é a FEDIL, a federação que representa o setor da indústria luxemburguesa.

Num comunicado sobre as dificuldades que o setor atravessa atualmente, o organismo destaca a “séria falta de mão de obra na maior parte dos setores ou empresas”.

A organização defende por isso a realização de um estudo “sério e aprofundado de todos os elementos que influenciam a disponibilidade de mão de obra” e que poderão prejudicar o bom funcionamento das empresas.

De acordo com a presidente da federação, Michèle Detaille, citada no comunicado enviado às redações, o problema da falta de mão de obra “vai muito além do setor privado” e há um risco de se transformar num “verdadeiro problema para a sociedade”.

A dirigente acrescenta que os empresários estão “assustados com as tentativas políticas de atirar areia para os olhos dos eleitores com a ideia de uma redução generalizada do tempo de trabalho, desfasada da realidade de funcionamento do mercado de trabalho”.

Recorde-se que, do lado do Governo, parece haver alguma abertura no que toca à redução do tempo de trabalho, embora não haja ainda qualquer proposta concreta nesse sentido. O ministro da tutela Georges Engel já pediu a realização de um estudo sobre a matéria, cujos resultados serão a base de uma reflexão sobre a eventual redução do tempo de trabalho no Luxemburgo.

As áreas onde o emprego mais cresceu

O emprego voltou a crescer no Luxemburgo. No primeiro trimestre do ano, o crescimento foi de 0,9% em relação ano trimestre anterior. Na comparação anual, o avanço foi de 3,8%.

Segundo dados divulgados esta terça-feira pelo Instituto Nacional da Estatística (Statec), a área das ‘atividades especializadas e serviços de apoio’ é aquela que apresenta o maior aumento trimestral: 1,3%. A seguir, com um crescimento de 1,2%, surge o ramo do ‘comércio, transporte, alojamento e restauração’.

Mas, se olharmos para a comparação anual, entre o primeiro trimestre de 2021 e o primeiro deste ano, é precisamente o ramo do ‘comércio, transporte, alojamento e restauração’ aquele que regista o maior aumento em termos de emprego: 4,4% num ano. Logo depois aparece a área da ‘administração e serviços públicos’, onde o número de trabalhadores aumentou 4,3% no espaço de 12 meses.

O Statec explica que no caso da ‘administração e serviços públicos’ “o desenvolvimento favorável provém da administração central e das atividades hospitalares.” Em relação ao ramo do ‘comércio, transporte, alojamento e restauração’, o emprego cresceu sobretudo nos restaurantes.

Quanto ao setor da construção, o crescimento do emprego entre o quarto trimestre de 2021 e o primeiro deste ano ficou-se por 0,8%, ao passo que a evolução anual foi de 3,3%.

Os dados mais recentes do gabinete de estatísticas indicam que trabalham no Luxemburgo 458.210 pessoas. Dessas, 245.981 vivem no grão-ducado, sendo que as restantes 212.229 moram do lado de lá da fronteira, sobretudo em França.

O Statec revela também que número de trabalhadores transfronteiriços cresceu 1,1 no primeiro trimestre do ano, face ao trimestre anterior, ao passo que o de residentes avançou apenas 0,7%. 

Vacinação obrigatória. Debate no Parlamento adiado para a próxima semana

Inicialmente previsto para esta sexta-feira, o debate sobre o parecer complementar do grupo ad-hoc em relação à vacinação obrigatória contra a covid-19 foi adiado para a próxima semana.

De acordo com o Parlamento, a declaração do Governo sobre a matéria, perante os deputados, foi adiada para a próxima quarta-feira, dia 13 de julho, sendo que o debate terá lugar um dia depois.

O grupo de peritos da área da saúde a quem o Executivo pediu um parecer complementar sobre a eventual obrigatoriedade da vacina foi tornado público ontem. Os especialistas defendem a vacinação obrigatória para as pessoas a partir dos 50 anos de idade.

Outra das recomendações diz respeito aos profissionais da saúde. Neste caso, o grupo ad-hoc não defende a obrigatoriedade da vacina, mas considera que estes profissionais devem ser obrigados a revelar se estão vacinados ou não.

O grupo ad-hoc é composto por cinco professores e médicos, incluindo Vic Arendt, do Serviço Nacional das Doenças Infecciosas, e Claude P. Muller, do Instituto Luxemburguês de Saúde.

Cigarros eletrónicos descartáveis e com sabores são proibidos no Grão-Ducado

Os cigarros eletrónicos descartáveis com sabor ainda são ilegais no Luxemburgo. No entanto, a situação poderá mudar em breve, segundo disse a ministra da Saúde, Paulette Lenert, numa resposta parlamentar ao partido DP.

Os pedidos de comercialização para os cigarros eletrónicos descartáveis podem ser o primeiro passo para uma comercialização adequada, assegura a ministra.

Mas para avançar, os fabricantes e importadores devem pagar um imposto de 5.000 euros por cada notificação de produto".

Paulette Lenert refere ainda na sua resposta parlamentar que os interessados foram contactados e solicitados a pagar o imposto, mas até ao momento nenhum deles deu seguimento a este pedido.

Alguns comerciantes luxemburgueses optaram mesmo por vender estes cigarros no país, sem autorização, mas os produtos não declarados já foram retirados do mercado, disse ainda a ministra.

O grande regresso da Schuerberfouer é já no próximo mês

A maior e mais antiga feira popular do Luxemburgo e arredores regressa ao Glacis já no próximo mês. Dois anos depois, a Schueberfouer volta a ser o que era.

A inauguração oficial da Schueberfouer está marcada para as 17h do dia 19 de agosto no parque de estacionamento do Glacis, em Limpertsberg, onde a feira ficará instalada até dia 7 de setembro.

De acordo com a City, a revista oficial da cidade do Luxemburgo, o programa da edição 2022 da “Fouer” retoma o formato de 2019, pré-pandemia, no que toca às atrações e stands, estando previstas algumas novidades que deverão ser desvendadas em breve. Quanto à restauração, a revista adianta que os visitantes poderão contar com uma dezena de restaurantes no local. 

Sobre o programa, já são conhecidas as datas de alguns dos momentos clássicos da feira. O Dia dos Burgomestres – em que os líderes autárquicos servem à mesa – acontece a 23 de agosto, ao passo que o Dia da Família está marcado para 24 de agosto e o Dia das Rainhas para 25. No dia 7 de setembro, entre as 12h e as 20h, as atrações custam metade do preço. A edição 2022 da “Fouer” fecha as portas já for dia 8 de setembro, por volta da 1h da madrugada. O encerramento volta a ser assinalado com o tradicional espetáculo de fogo de artifício.

E para quem não conhece ou não é fã deste tipo de evento, Patrick Goldschmidt, vereador responsável pelo Serviço Espaço Público, realça que a Schueberfouer “é muito mais do que uma feira popular”. “São inúmeras memórias que se criam, em família, entre amigos, em torno das atrações”, diz o vereador citado pela revista.

Esch-sur-Alzette vai ter balcão de informações sobre imigração e residência no país

A comuna de Esch-sur-Alzette e a Associação de Apoio aos Trabalhadores Imigrantes (ASTI) apresentaram um novo serviço social, com informações e ajuda administrativa gratuitas sobre questões de imigração e residência.

Trata-se do balcão de informações “Guichet Info Migrants”, instalado na Maison Sociale de Esch.

O serviço destina-se aos residentes da comuna, que podem tratar de questões como reagrupamento familiar, casamento entre pessoas de diferentes nacionalidades no Luxemburgo ou no estrangeiro, visto de turista para visitar o Luxemburgo ou obtenção de autorização de trabalho para pessoas de países fora do espaço europeu.

Os residentes podem obter informaões sobre a sua situação, de um familiar ou amigo próximo.

O serviço de permanência ocorre, por norma, duas vezes por mês, na primeira e na terceira terça-feira de cada mês, na Maison Sociale (rue Louis Pasteur, n° 21), em Esch, entre as 8h30 e as 11h30.

O mesmo serviço é prestado também na sede da ASTI (rue Auguste Laval, n° 12), na Cidade do Luxemburgo, às segundas e quartas-feiras, das 14h às 18h.

Estagiar na Agência Espacial Europeia. Há 19 vagas para jovens luxemburgueses  

São estágios de dois anos, acontecem “lá fora” e há 19 vagas para estudantes luxemburgueses. Está aberta a fase de candidaturas para quem estiver interessado em estagiar na Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês).

De acordo com a Agência Espacial Luxemburguesa (LSA, na sigla em inglês), os estágios são propostos no quadro do programa Luxembourg Young Graduate Trainee (LYGT), que visa ajudar os estudantes na transição entre o ensino e a vida profissional.

A agência luxemburguesa sublinha que os estágios têm lugar nos diferentes centros da ESA, como por exemplo em Itália, Países Baixos, Alemanha ou Bélgica, dando aos estudantes “a oportunidade de terem uma experiência internacional, num ambiente multicultural e dinâmico”.

“Os estágios permitem aos candidatos selecionados adquirir uma preciosa primeira experiência na área espacial, facilitando assim, a sua transição para o mundo do trabalho”, adianta a agência. Os programas abrangem várias áreas, como inteligência artificial, robótica, análise de dados ou cibersegurança.

As 19 vagas podem ser consultadas no site da LSA. A fase de candidaturas termina a 24 de julho, sendo que as entrevistas decorrem entre 15 de agosto e 15 de setembro. Já os estágios começam ou a 1 de novembro deste ano ou a 1 de fevereiro de 2023.

O programa destina-se a estudantes com nacionalidade luxemburguesa, residentes no grão-ducado e que tenham concluído um mestrado nos últimos dois anos. Aqueles que estão a frequentar o último ano de mestrado também se podem candidatar, desde que terminem o curso antes da data de início do estágio.

Kamala Harris defende fim de violência armada nos EUA em local de tiroteio fatal

Depois do tiroteio que fez vários mortos em Highland Park, nos subúrbios de Chicago, a vice-Presidente dos Estados Unidos defendeu que os episódios de violência armada no país "têm de acabar". 

Harris conversou com familiares e amigos das vítimas do tiroteio, dizendo que "não há dúvida" que este trauma "vai perdurar".

Nesse sentido, a vice-Presidente afirmou que a população norte-americana concorda que é necessário "ser-se mais inteligente enquanto país", para enfrentar o debate sobre a regulamentação da venda de armas de fogo.

Kamala Harris apelou ao Congresso dos Estados Unidos para "ter a coragem" de agir, proibindo as armas de assalto nos EUA.

Na segunda-feira, durante um desfile do Dia da Independência, um jovem de 21 anos disparou mais de 70 tiros do cimo de um prédio, matando pelo menos sete pessoas.

De acordo com as autoridades, o presumível autor do ataque comprou legalmente duas espingardas e outras três armas, apesar de ter um historial de problemas mentais.

O suspeito foi encontrado a cerca de oito quilómetros do local do crime.

Comissão Europeia apresenta este mês plano de emergência para precaver corte do gás russo 

A presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen, anunciou esta quarta-feira perante o Parlamento Europeu que o seu Executivo vai apresentar este mês um plano de emergência europeu para precaver um eventual corte total de fornecimento de gás russo.

Os Estados-membros já têm os seus planos nacionais de emergência em vigor, mas para Ursula Von de Leyen é preciso agora uma coordenação europeia e uma ação comum para proteger o mercado único e as cadeias de abastecimento da indústria.

A presidente do executivo comunitário sublinhou que os 27 não podem esquecer “a amarga lição” aprendida no início da pandemia da Covid-19, em 2020, comentando que “o egoísmo e o protecionismo conduzem apenas à desunião e à fragmentação”.

Ucrânia: ONU diz que ambos os lados do conflito violaram as normas internacionais

Segundo a Alta-Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, ambos os lados do conflito na Ucrânia violaram as normas internacionais aplicáveis em tempo de guerra, embora a Rússia o tenha feito a uma escala muito mais grave.

Na apresentação do último relatório da ONU sobre a situação na Ucrânia, Bachelet mencionou que os Serviços de Segurança Ucranianos e a Polícia Nacional terão prendido cerca de 1.000 pessoas suspeitas de apoiarem as forças e milícias russas.

Há ainda doze casos de possíveis desaparecimentos forçados por parte das forças de segurança ucranianas".

Ucrânia: Líder da ONU diz que reconstrução do país “é um longo caminho” que deve começar agora

A reconstrução da Ucrânia será “um longo caminho” que deve começar agora. É o que diz o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres.

Num vídeo gravado transmitido no último dia da conferência dedicada à Ucrânia, em Lugano, Suíça, o português adiantou que a organização está a preparar o terreno para a reconstrução, alertando que a reconstrução dos danos e devastação de casas, escolas, hospitais e outras infraestruturas críticas “levará anos”.

O português lembrou também que 90% dos ucranianos correm o risco de cair na pobreza, pelo que se pede à comunidade internacional que apoie o povo da Ucrânia "durante estes dias sombrios". 

Eliminatórias. F91 Dudelange recebe KF Tirana para a Champions

O campeão luxemburguês de futebol, F91 Dudelange, recebe esta tarde o KF Tirana, da Albânia, no jogo da primeira mão da fase de eliminatórias da Champions.

O pontapé de saída vai ter lugar às 19h30, no estádio Jos Nosbaum. Já a segunda mão será jogada no dia 12 de julho (terça-feira), às 20h, na capital albanesa.

O treinador do F91 Dudelange, o português Carlos Fangueiro, vai contar esta época com um reforço de peso, o experiente central luso-marroquino, Manuel da Costa.

Euromilhões. Jackpot histórico de 230 milhões de euros

O jackpot do Euromilhões vai ter um novo recorde esta sexta-feira, atingindo o prémio de 230 milhões de euros.

O limite de 220 milhões de euros alcançado em outubro de 2021 vai ser ultrapassado esta sexta-feira com um jackpot nunca antes oferecido na Europa: 230 milhões de euros.

Se o prémio não tiver um vencedor, vai permanecer disponível durante mais quatro sorteios, com o mesmo valor. Se ao final de cinco sorteios não houver vencedor, o prémio será redistribuído no escalão inferior.

Até sexta-feira, ainda vai a tempo de tentar a sua sorte.

Flutuação de preços continua: gasolina sobe e gasóleo desce

O preço da gasolina vai subir a partir da meia noite e o do gasóleo vai baixar.

A gasolina sem chumbo 95 vai passar a custar 1,859 euros por litro, mais 1,2 cêntimos, enquanto que a de 98 octanas vai passar a custar 2,085 euros, ou seja, mais 2,4 cêntimos por litro.

Pelo contrário, o preço do gasóleo desce 5 cêntimos e custará 1,851 euros por litro.  

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Vista parcial sobre o rio Our, em Vianden, com a esplanada do hotel em primeiro plano.

Foi enganado por um taxista? Faça queixa

Radio Latina por Henrique DE BURGO 11 min. 28.06.2022
Environ 80% des communes luxembourgeoises ont fait le choix d'interdire les feux d'artifice et les pétards pour le Nouvel An.