Preço da eletricidade deverá aumentar 35% neste inverno
Radio Latina 17 min. 12.08.2022
Atualidade em síntese 12 AGO 2022

Preço da eletricidade deverá aumentar 35% neste inverno

Atualidade em síntese 12 AGO 2022

Preço da eletricidade deverá aumentar 35% neste inverno

Radio Latina 17 min. 12.08.2022
Atualidade em síntese 12 AGO 2022

Preço da eletricidade deverá aumentar 35% neste inverno

O aumento poderá traduzir-se numa despesa adicional de cerca de 300 euros por ano.

Depois de se saber que o preço do gás deverá aumentar cerca de 80% no final deste ano, chega agora a notícia de que também o preço da eletricidade deverá subir. Em causa estará um aumento de 35%, de acordo com informação avançada à RTL por Claude Simon, diretor de vendas da Enovos.

Segundo o responsável, o aumento poderá traduzir-se numa despesa adicional de cerca de 300 euros por ano, por agregado familiar. Claude Simon acrescenta que este aumento está ligado ao aumento do preço do gás, uma vez que a produção de eletricidade também envolve gás.

Claude Simon não descarta um aumento mais elevado do preço da eletricidade, uma vez que os 35% correspondem apenas à utilização de energia. O responsável explica que o preço da eletricidade é inclui outros elementos, como por exemplo a rede por onde passa a energia até chegar às famílias.

Por isso, a recomendação para o inverno não passa apenas por poupar no gasóleo de aquecimento ou gás. Será também importante reduzir o consumo de eletricidade.

Centro de vacinação do Hall Victor Hugo encerra este sábado

O centro de vacinação Victor Hugo, na cidade do Luxemburgo, encerra este sábado, a partir das 13:00 (13 de agosto).

A estrutura tinha sido reativada em meados de julho para dar resposta à vacinação de reforço recomendada para pessoas com mais de 70 anos de idade e doentes de risco. No entanto, como a procura não foi muito elevada, o centro vai agora fechar as portas.

As pessoas que querem ser vacinadas podem dirigir-se ao médico de família, às farmácias ou ainda ao Impfbus (autocarro de vacinação).

A lista pode ser consultada no site www.impfen.lu.

Vacina contra a varíola dos macacos já chegou ao Luxemburgo

O Luxemburgo já recebeu as 1.400 doses da vacina contra a varíola dos macacos. O medicamento foi encomendado através da HERA, a agência europeia de preparação e reação em caso de urgência sanitária, informou esta tarde o Ministério da Saúde.

No total, a Comissão Europeia comprou 160.000 doses da vacina, que serão distribuídas pelos Estados-membros.

Num comunicado divulgado às redações, a ministra da Saúde, Paulette Lenert, destacou a “boa cooperação a nível europeu”, nesta matéria, frisando que a pandemia da covid-19 “ensinou-nos muito sobre a gestão de crises sanitárias”. “Agora, podemos pôr estes novos conhecimentos em prática para lutar contra a varíola dos macacos na Europa”, adianta.

Vacinação arranca a 16 de agosto

No Luxemburgo, a vacinação contra a doença arranca na próxima terça-feira, dia 16 de agosto, no Serviço Nacional das Doenças Infecciosas, situado no Centro Hospitalar do Luxemburgo (CHL), em Strassen. No entanto, a vacinação faz-se exclusivamente mediante marcação.

Qualquer pessoa que preencha os critérios de vacinação definidos pelo Conselho Superior das Doenças Infecciosas (CSMI, na sigla em francês) e que esteja inscrito no sistema de segurança social luxemburguês ou viva no país ou tenha nacionalidade luxemburguesa pode fazer a marcação para tomar o medicamento. Os interessados têm, contudo, de ter pelo menos 18 anos de idade.

As marcações podem ser feitas a partir da próxima terça-feira, dia 16 de agosto, ligando para o Serviço Nacional de Doenças Infeccionas do CHL, através do número de telefone (+352) 4411-3129.

Quem deve tomar a vacina?

Como meio de prevenção da doença, o Conselho Superior das Doenças Infecciosas recomenda a vacinação a homens que tenham relações sexuais com homens com múltiplos parceiros; a pessoas transexuais com múltiplos parceiros sexuais; e aos trabalhadores do sexo.

No caso das pessoas que tenham estado expostas ao vírus, a vacinação é recomendada entre 1 a 14 dias após a exposição ao vírus. Nesta situação, é aconselhada a pessoas imunodeprimidas que tenham tido contactos de risco nos últimos 21 dias (contactos sexuais, contactos com lesões cutâneas ou mucosas de uma pessoa infetada, contactos no seio do mesmo agregado familiar). Também qualquer cuidador que tenha estado exposto à varíola dos macacos e que não tenha respeitado as medidas de proteção individuais deve tomar o fármaco.

De acordo com o Ministério da Saúde, a vacinação após a exposição ao vírus em caso de contacto com uma pessoa infetada é recomendada entre 1 e 14 dias após esse contacto, sendo que quando mais cedo, maior será a proteção. Se o medicamento for administrado nos quatro dias após o contacto, a doença pode ser evitada. Se for administrada os 14 dias, a infeção poderá ser “atenuada”.

 Sobre o esquema vacinal, as autoridades de saúde informam que são necessárias duas doses com 28 dias de intervalo. As pessoas imunodeprimidas devem tomar uma terceira dose de reforço.

Luxemburgo regista 41 casos de varíola dos macacos

Mais casos de varíola dos macacos no Luxemburgo. Até ao dia 10 de agosto, o país contabilizava 41 infeções, segundo o balanço semanal divulgado esta tarde pelo Ministério da Saúde. São mais 10 infeções face à semana anterior.

Para já, não houve qualquer hospitalização relacionada com a doença no país. O balanço revela também que todos os casos detetados dizem respeito a homens, que têm média 39 anos de idade.

A Direção da Saúde lembra que é importante proteger-se contra o vírus e evitar situações de risco para limitar a propagação da doença. “As pessoas infetadas devem manter-se isoladas e evitar qualquer contacto com outras pessoas, cobrir as lesões cutâneas e respeitar as medidas de higiene habituais, incluindo a higiene das mãos”, pode ler-se no comunicado divulgado esta tarde.

Quanto a sintomas, erupções cutâneas, febre, cansaço, dores musculares, vómitos, diarreia, calafrios, dores de garganta e de cabeça são os mais frequentes.

Olhando para o resto da Europa, o vírus monkeypox já chegou a 41 países e zonas da região. Um total de 17.897 casos foram notificados ao Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças (ECDC, na sigla em inglês) e à Organização Mundial de Saúde (OMS). É um aumento de 1.971 casos em relação à última semana.

(Diana)

Polícia apreende mais de 21 mil euros em Pétange

No contexto da execução de um mandado de busca, uma patrulha policial foi a um hotel em Pétange na terça-feira. Quando se dirigiram ao quarto em questão, os agentes não encontraram o homem procurado, mas sim dois indivíduos desconhecidos das autoridades.

No decurso das buscas, a polícia encontrou, além de um simples charro fumado, uma grande soma de dinheiro (21.605 euros), bem como várias 'bolas' de cocaína (279 gramas) e um telemóvel, que foram apreendidos.

Por ordem do Ministério Público (MP), os dois suspeitos foram presos por tráfico de droga e levados perante o juiz de instrução. Foi emitido um mandado de captura para ambos, que ficaram provisoriamente na prisão de Schrassig.

CGDIS já combateu 87 incêndios este ano. Mais do dobro do que em 2021

Embora a um nível muito inferior ao registado noutros países europeus, 2022 tem sido um ano de muito trabalho para a Corporação Grão-Ducal de Incêndio e Socorro (CGDIS).

Ao todo, este ano, os bombeiros tiveram de combater 87 incêndios, mais de o dobro em comparação com o ano passado, em que houve 30 intervenções. Em 2020, tinham sido 83.

Segundo informações prestadas pela CGDIS ao jornal online Paperjam, em pleno período de seca e de vagas de calor, são esperadas mais intervenções durante este verão.

Felizmente, segundo Cédric Gantzer, um dos responsáveis da CGDIS, em causa não estão fogos de grandes dimensões, como o que está a acontecer em Portugal ou França. Em muitos casos, trata-se de alguns metros quadrados de erva queimada à beira da estrada devido a cigarros ou então de plantações agrícolas que arderam devido à seca que se faz sentir no Luxemburgo.

Segundo o CGDIS, os bombeiros não foram, para já, confrontados com grandes incêndios florestais. Quando as chamas chegam à floresta, são mais os arbustos e os troncos das árvores que ardem, não havendo propagação dos fogos. Mesmo assim, há registo de alguns fogos florestais este ano, mas que foram imediatamente extintos.

Teletrabalho pós-covid. Câmara do Comércio e UEL lançam sondagem 

A Câmara do Comércio e a União das Empresas Luxemburguesas (UEL) acabam de lançar uma sondagem para tentar perceber o fenómeno do teletrabalho no pós-covid. O inquérito destina-se aos empregadores e não aos trabalhadores.

Numa nota divulgada aos ‘media’, as duas instituições destacam o desenvolvimento verificado ao nível do teletrabalho desde a crise sanitária da covid-19, lembrando que também os transfronteiriços puderam recorrer a este regime graças aos acordos bilaterais entre o Governo e os países vizinhos.

Num contexto de regresso à normalidade, após uma pandemia que abalou o Luxemburgo e o mundo, a Câmara do Comércio e a União das Empresas querem “compreender as vantagens, inconvenientes e os obstáculos ao teletrabalho nas empresas do país”, pode ler-se no comunicado.

Os organismos consideram que “os dados e números recolhidos deverão permitir avaliar o impacto do trabalho a partir de casa consoante o tipo de setor de atividade e, de forma mais abrangente, os seus efeitos no crescimento económico do país e no emprego”. Outro dos objetivos é “identificar soluções ou pistas para eventuais melhorias ao nível do quadro fiscal e da segurança social”.

A sondagem faz parte de um conjunto de reflexões levadas a cabo pela Câmara do Comércio e pela UEL no sentido de perceber quais seriam as alterações ao regime fiscal luxemburguês capazes de atrair mão de obra para o país.

As empresas interessadas em participar na sondagem devem fazê-lo, o mais tardar, até ao dia 30 de setembro. A participação é anónima.

O tema do teletrabalho continua na ordem do dia no Luxemburgo. Cerca de 14.000 pessoas já assinaram uma petição sobre o assunto, que defende dois dias de teletrabalho por semana para todos os trabalhadores, incluindo transfronteiriços.

Que futuro para os funcionários do Fortuna Bank?

O banco Fortuna Bank vai parar progressivamente as suas atividades no Luxemburgo. Os clientes passam para o Banque et Caisse d’Épargne de l’État (BCEE). Mas o que vai acontecer aos funcionários que trabalham atualmente na empresa?

A questão é lançada pela central sindical OGBL, que, em comunicado, sublinha que o documento enviado à imprensa a anunciar a cessão de atividades não faz qualquer alusão aos trabalhadores do banco.

Daí o sindicato ter enviado uma carta à direção da instituição a pedir mais esclarecimentos sobre eventuais medidas para os trabalhadores em questão.

Aquilo que se sabe neste momento é que os clientes do banco Fortuna Bank, criado em 1920, estão a ser informados sobre o encerramento da instituição. Estes poderão escolher se querem integrar o BCEE ou se preferem aderir a outro banco presente no Grão-Ducado. Resta agora saber o que vai acontecer aos funcionários.

Preço do leite nunca esteve tão alto no Grão-Ducado

O preço do leite atingiu máximos históricos no Luxemburgo. Os valores são inéditos: 55 a 60 centavos por litro.

O preço do leite disparou no Luxemburgo, tal como em muitos países europeus. "Em comparação com o ano passado, estamos perante um aumento entre 20% e 25% e algo que nunca tivemos antes", revela o presidente da Câmara da Agricultura, Guy Feyder ao Luxemburger Wort.

Na Alemanha, mil litros de leite são vendidos a 480 euros, na Bélgica, o preço sobe para 500 euros. Nos Países Baixos o preço é de 540 euros. Em França, mantém-se um preço fixo de 427 euros por tonelada. Embora, este valor seja maior do que os 390 euros cobrados em 2021, ainda é muito pouco para os agricultores, que ameaçam mudar para o "sindicalismo da destruição" no início do ano letivo, se a França não alcançar os valores dos países vizinhos.

As principais leitarias europeias, como os Países Baixos e Alemanha, mas também várias regiões francesas, estão com uma queda na produção de 1 a 2% em relação a 2021.

Mas, por agora, não há risco de falta de leite no Luxemburgo. Esta situação parece "muito difícil de imaginar" para Feyder, que aponta para outro risco. "O processamento do leite consome muita energia. No Luxemburgo, a LuxLait, para realizar esta transformação, está agora a caminho do fuelóleo (ou óleo de combustível, produto que resulta da destilação do petróleo). Se um dia não houver mais gás, não haverá mais produtos frescos", garante o presidente.

Chuva de meteoros prevista para esta semana no Grão-Ducado

Como é habitual nesta altura do ano, prevê-se que as próximas noites sejam iluminadas por um céu estrelado no Grão-Ducado, assim como em todo o hemisfério norte.

A chuva de meteoros, também conhecida como Perseidas, acontece esta semana, sendo que a maioria dos astros deverá estar mais nítida na noite de sexta-feira para sábado.

Quem quiser observar o fenómeno, que acontece quando a Terra atravessa a órbita do cometa Swift-Tuttle, deverá procurar um espaço sem luzes e com um horizonte desimpedido e, se possível, longe da agitação urbana.

Todavia, as condições de observação não serão as mais favoráveis para conseguir identificar as estrelas a olho nu. A Lua Cheia prevista para sexta-feira poderá obstruir a visibilidade da chuva de meteoros devido à sua elevada luminosidade.

Cactus retira salsichas de marca própria de circulação

Os supermercados Cactus retiraram de circulação embalagens de salsichas com o nome "Edamer Wurst BBQ x3" da marca própria "Hausgemacht Cactus", devido à presença de corpos estranhos no produto. 

A empresa refere que já retirou os artigos em questão de circulação e apela aos consumidores que o tenham em casa a não o consumirem e a devolvê-lo nos supermercados Cactus, onde será feito o devido reembolso.

Johnson & Johnson suspende venda de pó de talco para bebés em todo o mundo

A Johnson & Johnson vai suspender em 2023 a venda do pó de talco para bebés em todo o mundo, após milhares de reclamações sobre a segurança do produto, suspenso já há dois anos nos Estados Unidos e Canadá.

Num breve comunicado, a farmacêutica norte-americana divulgou esta quinta-feira que tomou a "decisão comercial" de substituir o talco por amido de milho neste produto infantil, depois de ser alvo de cerca de 38.000 ações judiciais.

Segundo as queixas, a utilização a longo prazo do pó de talco está associada ao desenvolvimento de cancro, embora a farmacêutica continue a negar que o produto seja a causa.

No final de 2018, surgiram informações a indicar que a Johnson & Johnson (J&J) sabia há décadas que o seu pó de talco continha asbesto, um mineral com composição e características semelhantes às do amianto e com efeitos nocivos para a saúde.

Recrutamento de voluntários para a frente de batalha já chegou às prisões russas

Homens com farda militar visitaram uma prisão em São Petersburgo, onde ofereceram amnistia em troca da integração dos prisioneiros nas forças russas que combatem na Ucrânia, revelou à agência Associated Press (AP) a companheira de um dos presos.

Nos dias seguintes a esta visita, cerca de meia dúzia de prisioneiros deixaram o estabelecimento, segundo uma mulher, cujo namorado cumpre pena naquele espaço.

A Rússia continua a sofrer baixas na invasão que iniciou em finais de fevereiro na Ucrânia e, perto do sexto mês de conflito, o Kremlin (presidência russa) continua a recusar-se a anunciar uma mobilização completa, decisão que poderia afetar a popularidade do Presidente Vladimir Putin.

Para contornar as dificuldades, tem decorrido um esforço de recrutamento secreto, que inclui o uso de prisioneiros para compensar a escassez de mão-de-obra.

Esta opção surge numa altura em que centenas de soldados russos se têm recusado a lutar e tentam sair das Forças Armadas.

Acidente em Zaporijia “poderia ser mais grave” que Fukushima, diz China

O representante chinês junto das Nações Unidas, Zhang Jun, alertou o Conselho de Segurança de que um acidente na central nuclear de Zaporijia poderá ser mais grave do que o ocorrido em Fukushima em 2011.

Segundo um comunicado da missão chinesa junto das Nações Unidas, Zhang recordou que Zaporijia, no leste da Ucrânia, é a maior central nuclear da Europa e disse não querer que "o mesmo risco" se repita.

O acidente nuclear de Fukushima, no Japão, ocorreu a 11 de março de 2011, depois de um intenso terramoto, provocando a morte de quase 18 mil pessoas.

Numa reunião de emergência do Conselho de Segurança, convocada pela Rússia, o representante chinês apelou a russos e ucranianos que exerçam “contenção, ajam com prudência, evitem tomar medidas que comprometam a segurança nuclear”.

Na mesma reunião, o diretor-geral da AIEA, Rafael Grossi, disse que análises preliminares indicam não haver "ameaça imediata" à segurança nuclear após ataques a Zaporijia, mas alertou que a situação é grave e "pode mudar" rapidamente.

Gil Vicente goleia Riga e apura-se para o ‘play-off’ da Liga Conferência Europa

O Gil Vicente apurou-se ontem para o ‘play-off’ da Liga Conferência Europa de futebol, ao golear o Riga por 4-0, em jogo da segunda mão da terceira pré-eliminatória, disputado em Barcelos.

No ‘play-off’, o Gil Vicente vai defrontar os neerlandeses do AZ Alkmaar, que venceram os escoceses do Dundee United por 7-0, depois do desaire por 1-0 na Escócia. O encontro da primeira mão está agendado para 18 de agosto, nos Países Baixos, enquanto a segunda mão realiza-se uma semana depois, no dia 25, em Barcelos.

Mundial2022. Prova começa um dia mais cedo com o jogo Qatar-Equador

O início do Mundial2022 de futebol foi antecipado um dia, começando em 20 de novembro, com a realização do jogo entre o anfitrião Qatar e o Equador, do grupo A, anunciou a FIFA, em comunicado.

O Qatar-Equador será, assim, o primeiro encontro da fase final da competição e o único a disputar-se nesse dia, a partir das 18:00.

O Campeonato do Mundo tinha início previsto para 21 de novembro, sendo que a partida de abertura seria o Senegal-Países Baixos, também do grupo A, que se mantém agendado para o mesmo dia, mas às 18 horas.

Portugal fará a estreia no grupo H às 18:00 de 24 de novembro, frente ao Gana, no estádio 974, antes de enfrentar o Uruguai, em 28 de novembro.

Dérbi entre Famalicão e Sporting de Braga 'arranca' segunda jornada da I Liga

Famalicão e Sporting de Braga abrem hoje a segunda jornada da I Liga portuguesa de futebol, com as duas equipas à procura do primeiro triunfo na edição 2022/23, em jogo no Estádio Municipal de Famalicão, às 21:15.

O dérbi minhoto acontece depois de o Famalicão ter perdido na ronda inaugural em casa do Estoril Praia (2-0), enquanto o Sporting de Braga ‘resgatou’ um difícil empate caseiro diante do ‘candidato’ Sporting (3-3).

O Benfica, que na próxima semana viaja até Lodz, na Polónia, para defrontar na quarta-feira o Dínamo Kiev, na primeira mão do ‘play off’ da ‘Champions’, joga no sábado fora com o Casa Pia, mas no emprestado Estádio Magalhães Pessoa, em Leiria (19:00).

No mesmo dia, o Sporting recebe o Rio Ave, a partir das 21:30, enquanto o campeão FC Porto visita no domingo o Vizela (19:00).

Redação Latina | Lusa | Contacto Foto DPA


Notícias relacionadas

Customers across Europe have been hit with higher energy bills in the wake of Russia's invasion of Ukraine