Polícia morto: Condutor acusado de homicídio involuntário arrisca-se a cinco anos de prisão

Polícia morto: Condutor acusado de homicídio involuntário arrisca-se a cinco anos de prisão

Radio Latina 20.04.2018

Polícia morto: Condutor acusado de homicídio involuntário arrisca-se a cinco anos de prisão

O condutor envolvido numa perseguição policial, no sábado, na qual um agente perdeu a vida, poderá incorrer numa pena de prisão de cinco anos.

O homem, de 37 anos, residente no norte do país, foi ontem ouvido por um juiz de instrução, tendo confessado que fugiu e que tinha ingerido bebidas alcoólicas. Foi acusado dos crimes de homicídio involuntário e condução sob o efeito de álcool, ficando em prisão preventiva.

O acidente aconteceu na noite de sexta para sábado, na N7, perto de Lausdorn. Na perseguição policial, outros quatro agentes ficaram feridos.

Num comunicado divulgado à imprensa no âmbito deste caso, o Ministério Público de Diekirch aproveita para lembrar que a circulação sob influência de álcool ou excesso de velocidade constitui uma infração grave “severamente” punida por lei. O condutor que tenha cometido estas infrações arrisca-se a uma pena de até três anos de prisão, a uma multa e a uma proibição de conduzir que pode chegar aos 15 anos.

No caso de um acidente provocado por um condutor em estado de embriaguez ou excesso de velocidade, a lei prevê uma pena de prisão de até três anos, se a vítima tiver sofrido ferimentos na sequência do acidente. Se se tratar de uma vítima mortal, a pena de prisão sobe para cinco anos.

Já a viatura utilizada pelo condutor no momento das infrações poderá ser confiscada.