Pessoas recuperadas de covid ou com duas doses com menos de 180 dias dispensadas de testes
Radio Latina 05.01.2022
Mudança no CovidCheck 2G +.

Pessoas recuperadas de covid ou com duas doses com menos de 180 dias dispensadas de testes

Mudança no CovidCheck 2G +.

Pessoas recuperadas de covid ou com duas doses com menos de 180 dias dispensadas de testes

Foto: Marc Wilwert
Radio Latina 05.01.2022
Mudança no CovidCheck 2G +.

Pessoas recuperadas de covid ou com duas doses com menos de 180 dias dispensadas de testes

O Governo apresentou esta quarta-feira novas mudanças na lei covid. O plano CovidCheck 2G + foi adaptado e há grupos de pessoas que ficam isentas da obrigação de um teste antigénico sob este regime 2G +.

As pessoas dispensadas da apresentação dos testes antigénicos à entrada de cafés, restaurantes, eventos ou ginásios incluem quem tem duas doses com menos de 180 dias, quem recebeu a vacinação de reforço e quem tem um certificado de recuperação.

A Rádio Latina tinha perguntado, no final de 2021, ao Ministério da Saúde o que aconteceria se uma pessoa recuperada de covid testasse positivo à entrada de um restaurante. Depois de várias tentativas, o ministério nunca chegou a responder, mas anuncia agora que estas pessoas também ficam dispensadas de testes.

Segundo as autoridades de saúde, quem foi infetado com Covid-19, pode acusar positivo durante os seis meses seguintes e não deve também ser vacinado ao longo desse período.

Desde 25 de dezembro (entrada em vigor da nova lei covid) e até agora, quem tinha a vacina de reforço podia entrar sem restrições, por exemplo, num restaurante, num café ou num ginásio. Já quem tinha apenas duas doses ou tivesse um certificado de recuperação devia fazer um autoteste à entrada (2G+).

Esta adaptação foi aprovada pelo Conselho de Ministros desta terça-feira. Entre outras medidas, o Governo aprovou a manutenção máxima dos 10 dias de isolamento para quem está infetado e não tem esquema vacinal completo ou vacinação de reforço. Já quem tem vacinação completa ou dose de reforço poderá ficar em isolamento até um máximo de seis dias, caso teste negativo no quinto e sexto dia de isolamento.

Outra medida aprovada é o prazo de validade dos certificados de vacinação, que passa para nove meses após a vacinação completa, isto segundo as normas europeias.

Henrique de Burgo

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

A horeca é o principal setor afetado pelas medidas sanitárias de combate à pandemia.