Pagamentos em dinheiro. Posição do Governo mantém-se
Radio Latina 01.12.2022
Luxemburgo

Pagamentos em dinheiro. Posição do Governo mantém-se

Luxemburgo

Pagamentos em dinheiro. Posição do Governo mantém-se

Radio Latina 01.12.2022
Luxemburgo

Pagamentos em dinheiro. Posição do Governo mantém-se

Tema foi trazido para debate por Jorge Simões, autor de uma petição pública sobre a matéria.

O dinheiro vivo existe e vai continuar a existir no Luxemburgo. A posição do Governo nesta matéria não mudou.

Na sequência da petição pública de Jorge Simões, que reivindica que o direito de pagar com ‘cash’ seja inscrito na constituição, a Rádio Latina questionou o Ministério das Finanças sobre o assunto. Fonte do gabinete de Yuriko Backes garantiu que o fim das notas e moedas continua fora dos planos do Executivo.


Poder pagar com ‘cash’. “O meu seguro não tem de saber que comprei uma Coca-Cola ou tabaco”
Mais de 4.500 pessoas já assinaram a petição de Jorge Simões. O luso-luxemburguês não é contra pagamentos eletrónicos, mas diz que não poder pagar com dinheiro é um atentado à liberdade. Tema vai ao Parlamento.

O gabinete remete para várias respostas parlamentares ao longo dos últimos anos nas quais o Governo marcou a sua posição relativamente a este assunto, frisando que essas posições continuam atuais, isto é, não há planos para acabar com o dinheiro vivo.

O ministério indica que esta é uma discussão que não é nova e que há vários aspetos a ter conta quando se fala do assunto: ciberataques, problemas técnicos ou simplesmente o facto de algumas pessoas não terem cartão bancário – como pode ser o caso de refugiados que chegam ao país à procura de asilo. O gabinete de Yuriko Backes refere ainda que a utilização maciça do cartão bancário é também uma questão cultural, lembrando que em alguns países, como na Escandinávia, os pagamentos com ‘cash’ são muito menos usuais do que noutros.

Por isso, para já, os pagamentos com cartão e eletrónicos e os pagamentos com dinheiro vão continuar a coexistir no Luxemburgo.

“Dinheiro vivo: preservar ou abolir?” é o tema em debate no Linha Aberta de hoje. O programa vai para o ar às 11h30. O número de telefone é o 26 84 56 10.

Artigo: Diana Alves | Foto: AFP