Oprah Winfrey apoia vítimas que foram abusadas por Michael Jackson
Radio Latina 2 2 min. 17.04.2019

Oprah Winfrey apoia vítimas que foram abusadas por Michael Jackson

Oprah Winfrey apoia vítimas que foram abusadas por Michael Jackson

Foto: HBO/DR
Radio Latina 2 2 min. 17.04.2019

Oprah Winfrey apoia vítimas que foram abusadas por Michael Jackson

O documentário "Leaving Neverland", sobre os alegados abusos sexuais a menores pelo músico, tem dado muito que falar.

No programa americano "The Daily Show", a apresentadora de televisão explicou porque acredita e apoia James Safechuck e Wade Robson, os acusadores de Michael Jackson. que dizem ter sido sexualmente abusados quando ainda menores por Michael Jackson, no documentário que estreou recentemente "Leaving Neverland". 

No filme, que estreou em março passado, James Safechuck e Wade Robson dão o seu testemunho e relatam os momentos íntimos que passaram com o cantor, no seu rancho em Neverland, na Califórnia, e em várias digressões. De todas as opiniões que vieram a público sobre o filme, a de Oprah é talvez a mais relevante. Não só pelo seu estatuto incontornável nos Estados Unidos, mas porque decidiu fazer um programa especial sobre o caso.

No programa "The Daily Show", Oprah explicou ao anfitrião Trevor Noah porque decidiu fazer "Oprah Winfrey Presents: After Neverland", disponível no canal HBO, onde entrevista os dois homens e o realizador Dan Reed. "Quando vi 'Leaving Neverland', percebi que muita gente iria ficar irritada com aquilo, e muitos outros não iriam perceber que há um padrão", afirmou. 

Os vídeos 360 não têm suporte aqui. Ver o vídeo na aplicação Youtube.

Oprah, que revelou ter sofrido abusos em criança, explicou que mais do que abusos, há uma "enorme sedução". "As pessoas chamam-lhe abuso, mas antes disso existe uma enorme sedução. Têm que perceber que isto não é só sobre uma pessoa, é sobre todo um padrão".

Houve quem duvidasse que Safechuck e Robson estariam a dizer a verdade, mas a apresentadora de televisão acredita nos seus testemunhos e justifica as falhas cronológicas nos relatos, com exemplos de algumas alunas das escolas que fundou, na África do Sul, que também sofreram abusos sexuais. "Quando se está traumatizado, é possível que não nos lembremos da hora certa", afirmou.

Uma das irmãs do cantor, LaToya Jackson, já tinha acusado publicamente o artista de pedofilia, em 1993, mas ninguém a levou a sério. O vídeo onde fala sobre o assunto foi recuperado, tornou-se viral e ganhou outra dimensão à luz do documentário da HBO. 

"Leaving Neverland" causou reações de ira entre os fãs do cantor falecido em 2009.  Recentemente, três associações processaram os autores do documentário. 

Veja o trailer do filme "Leaving Neverland":

Os vídeos 360 não têm suporte aqui. Ver o vídeo na aplicação Youtube.


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas