Nove pessoas morreram no Luxemburgo após toma da vacina contra a covid-19
Radio Latina 21.09.2021
Covid-19

Nove pessoas morreram no Luxemburgo após toma da vacina contra a covid-19

Covid-19

Nove pessoas morreram no Luxemburgo após toma da vacina contra a covid-19

Foto: dpa
Radio Latina 21.09.2021
Covid-19

Nove pessoas morreram no Luxemburgo após toma da vacina contra a covid-19

O relatório de Farmacovigilância mais recente dá ainda conta de 1.864 casos de reações adversas após a vacinação.

Já morreram nove pessoas no Luxemburgo depois de terem recebido pelo menos uma dose da vacina contra a covid-19, segundo o mais recente relatório de Farmacovigilância a que a Rádio Latina teve acesso. No entanto, não está provada a ligação causa-efeito entre a vacina e os óbitos. 

Nesta altura há apenas uma morte provocada pela toma da vacina da AstraZeneca cientificamente comprovada, de acordo com as conclusões publicadas esta segunda-feira pelo Ministério Público. 

A mulher de 74 anos morreu em abril passado, duas semanas após ter recebido uma dose deste fármaco. Ainda estão a decorrer mais duas investigações no Grão-Ducado, de óbitos possivelmente relacionados com a toma de uma das vacinas contra a covid-19.


Morte atribuída à AstraZeneca. Ministério Público encerra caso mas família pode recorrer ao tribunal
A família da mulher que morreu após a toma da vacina da AstraZeneca pode recorrer ao tribunal para pedir indemnização. Segundo a lei, o Estado é responsabilizado nestes casos.

O relatório de Farmacovigilância dá ainda conta de 1.864 casos de reações adversas após a vacinação contra o novo coronavírus no Luxemburgo, sendo que foram administradas mais de 750 mil doses no país. De todos estes casos, 395 pacientes tiveram sintomas graves (21,2%) com "prognóstico vital" acionado para 15 dessas pessoas que correram perigo de vida. 

Nove desses doentes acabaram mesmo por morrer. São mais dois óbitos face ao relatório divulgado no mês de julho. As duas mortes ainda estão a ser documentadas, visto tratarem-se de pacientes com menos de 50 anos de idade, que já tinham antecedentes cardiovasculares.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O que precisa de saber sobre a vacina Janssen

Sociedade por Catarina OSÓRIO 4 min. 12.04.2021