“Nem todos nós precisamos de medicamentos. Precisamos de alguém que nos ouça”
Radio Latina 2 min. 04.07.2022
Psicoterapia

“Nem todos nós precisamos de medicamentos. Precisamos de alguém que nos ouça”

Psicoterapia

“Nem todos nós precisamos de medicamentos. Precisamos de alguém que nos ouça”

Foto: AFP
Radio Latina 2 min. 04.07.2022
Psicoterapia

“Nem todos nós precisamos de medicamentos. Precisamos de alguém que nos ouça”

A Rádio Latina ouviu Paula Antunes, a portuguesa que irá ao Parlamento defender o acesso de todos à psicoterapia. No Luxemburgo, as consultas ainda não são comparticipadas e o preço pode chegar aos 140 euros por sessão.

Tem 49 anos, três filhos e há cinco anos perdeu o marido. E foi após essa perda que precisou de recorrer à psicoterapia. Paula Antunes, a portuguesa por detrás da petição pela comparticipação das consultas de psicoterapia, pede ao Governo que não esqueça o assunto.

A petição recolheu as 4.500 assinaturas em poucos dias. Agora, Paula Antunes terá a oportunidade de apresentar a sua reivindicação no Parlamento, num debate público ainda sem data marcada.

Ouvida pela Rádio Latina, a portuguesa falou da sua situação e de como a psicologia a ajudou no processo de luto. No entanto, apesar de a medida estar há anos nos planos do Governo, as sessões de psicoterapia continuam a não ser reembolsadas pela Caixa Nacional de Saúde (CNS), que comparticipa apenas as consultas de psiquiatria. Paula Antunes alerta que “nem toda a gente precisa de medicamentos. Precisamos de alguém que nos ouça”.

Luto, dislexia e mobbing. Uma das filhas de Paula Antunes também precisou de apoio psicológico. Mas, com consultas a 120 euros, viúva e com salário baixo, a portuguesa confessa que não consegue suportar os custos de psicoterapia para duas pessoas. Viu-se obrigada a ter de escolher entre a sua saúde mental e a da filha.

Paula Antunes acredita que muitas pessoas não recorrem aos psicólogos por causa dos preços das consultas. Um enorme entrave no acesso a uma ferramenta que pode ser determinante para prevenir suicídios.

A autora da petição alerta que todos temos direito a ser ajudados e pede ao Governo que pense na saúde mental das pessoas e não nos cofres da Caixa Nacional de Saúde.

No Luxemburgo, as consultas de psicoterapia ainda não são reembolsadas pela CNS, embora isso esteja nos planos do Governo. Neste momento, decorrem ainda as negociações entre CNS e a federação das associações que representam os psicoterapeutas no Luxemburgo Fapsylux com vista a um acordo, que permitam a comparticipação das consultas.

De acordo com a plataforma Prevention Panique, o preço médio das consultas de psicologia no Luxemburgo varia entre 70 e 140 euros, sendo que as tarifas estão ao critério do profissional.

Até a CNS cobrir o tratamento, as alternativas continuam a ser as mesmas: recorrer a seguros complementares, já que alguns cobrem parte dos custos.

Em relação a crianças e jovens adultos até aos 27 anos, o Gabinete Nacional a Infância (ONE, na sigla em francês) pode arcar com a totalidade ou parte dos custos, em certos casos. Há ainda a possibilidade de recorrer a determinadas estruturas públicas, como associações ou escolas, que propõem consultas gratuitas.

Diana Alves

 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas