Música cabo-verdiana volta a marcar o Festival das Migrações
Radio Latina 18.02.2020

Música cabo-verdiana volta a marcar o Festival das Migrações

Música cabo-verdiana volta a marcar o Festival das Migrações

Foto: CLAE
Radio Latina 18.02.2020

Música cabo-verdiana volta a marcar o Festival das Migrações

A música cabo-verdiana volta a estar mais uma vez em destaque no Festival das Migrações, das Culturas e da Cidadania, que vai decorrer entre 28 de fevereiro e 1 de março, na LuxExpo, em Kirchberg.

O grupo Pilon, formado em 1985 por jovens cabo-verdianos a viver no Luxemburgo, é o cabeça de cartaz do concerto de sábado.

Segundo o responsável de programação do 37° Festival das Migrações, Jean-Philippe Ruiz, esta escolha é o reconhecimento de uma comunidade que chegou ao país nos anos 60 e que soube integrar-se e ganhar projeção também lá fora.

O grupo Pilon foi o primeiro grupo cabo-verdiano formado no Grão-Ducado, com três álbuns de música 'cola-zouk' e 'funaná' lançados nos anos 90.

Depois de alguns anos fora do ativo, a banda regressou recentemente aos concertos internacionais e, no ano passado, assinou um contrato com uma editora de Nova Iorque (Ostinato Records) para publicar os seus grandes sucessos.

O concerto da banda Pilon tem lugar no sábado, dia 29 de fevereiro, a partir das 22:30, no palco principal.

Já no dia anterior, os artistas cabo-verdianos Casy Rodrigues e Cassandra Lobo vão partilhar o palco com a cantora braseira Biah Vasconcelos, nos concertos de abertura do festival, na sexta-feira, a partir das 21h.

No sábado e domingo, há também música a partir do meio-dia, no palco secundário do pavilhão 3 (Hall 3). O grupo folclórico luso-luxemburguês, o grupo etnográfico do Alto Minho, o conjunto Alegria do Minho, os brasileiros Abada Capoeira e os guineenses W Chico e DJ Mikas são algumas das presenças musicais neste palco.

HB  / Redação Latina


Notícias relacionadas

Tito Paris, Sara Tavares e Cristina Branco.