Milhares de trabalhadores da construção de férias até 21 de agosto
Radio Latina 12 min. 29.07.2022
Atualidade em síntese 29 JUL 2022

Milhares de trabalhadores da construção de férias até 21 de agosto

Atualidade em síntese 29 JUL 2022

Milhares de trabalhadores da construção de férias até 21 de agosto

Radio Latina 12 min. 29.07.2022
Atualidade em síntese 29 JUL 2022

Milhares de trabalhadores da construção de férias até 21 de agosto

Finalmente férias!

Milhares de trabalhadores do ramo da construção estão de férias até ao próximo dia 21 de agosto. O período fixo de descanso no setor arranca oficialmente esta sexta-feira.

Note-se que todas as empresas do ramo da construção que trabalhem no Luxemburgo e estejam abrangidas pela convenção coletiva são obrigadas a respeitar as datas das férias coletivas.

Mas há exceções e há obras que não param durante o verão. Dependendo do tipo de projeto, a lei permite algumas derrogações do período de férias coletivas. É o caso, por exemplo, de obras de reparação em escolas ou nas fábricas que param a produção durante este período. Outra exceção diz respeito aos projetos qualificados de “urgentes” pela Comissão Especial da Construção da Inspeção do Trabalho e das Minas (ITM).

Para poderem beneficiar dessas exceções, as empresas têm de fazer o pedido. De acordo com dados revelados recentemente, aquela comissão deu luz verde a 132 pedidos de empresas, que abrangem um total de 1.200 trabalhadores. Segundo a ITM, pode dar-se o caso de alguns terem de trabalhar durante as três semanas ou apenas alguns dias.

Mas, sem autorização, nada feito. E a ITM já fez saber também que “este verão vai haver controlos por parte da Inspeção do Trabalho e das Minas, da Administração Aduaneira e da Polícia Grã-Ducal”, que poderão fechar qualquer obra que esteja a infringir a lei.

LuxAirport. “Se não conseguir reservar estacionamento, tente mais tarde”

Se está a tentar reservar estacionamento no aeroporto do Luxemburgo e todas as opções estão esgotadas, tente mais tarde. A recomendação é de Alexander Flassak, diretor da Lux-Airport, a empresa que gere o aeroporto do Luxemburgo.

Contactado pela Rádio Latina, o responsável explicou que há atualizações frequentes no que toca às pré-reservas, pelo que os utentes que não conseguiram reservar devem revisitar o site da Lux-Airport mais tarde. É possível que surja alguma vaga.

Flassak insistiu, no entanto, que é “fortemente recomendado fazer a pré-reserva do estacionamento com antecedência para evitar perder tempo à procura de lugar e acabar por não encontrar um parque disponível”.

Segundo Flassak, o Findel tem 6.700 lugares de estacionamento, excluindo já aqueles que são arrendados a empresas. Além dos 6.700, a Lux-Airport criou 270 lugares suplementares para fazer face ao aumento da procura este verão. Mesmo assim, grande parte do estacionamento está esgotado.

Note-se que as reservas de estacionamento no aeroporto do Luxemburgo devem ser feitas no site airportparking.lu.

Na semana passada, numa entrevista à rádio 100,7, o diretor da Lux-Airport recomendou também aos passageiros que se dirijam para o aeroporto pelo menos duas horas antes da partir do voo, para garantir que terão tempo suficiente para passar no controlo de segurança. Outro conselho é fazer o check-in online na véspera da viagem.

Covid-19. Somente 11% da população aderiu à quarta dose da vacina

A população residente no Luxemburgo tem aderido pouco à quarta dose da vacina anti-covid. Desde meados de julho que o Ministério da Saúde recomendou a segunda dose de reforço do fármaco, sendo que desde então foram enviados 52.000 mil convites a pessoas entre 60 e 69 anos. No entanto, até agora somente 6.000 pessoas foram vacinadas com a quarta dose, ou já fizeram a sua marcação.

Estes dados foram revelados pela rádio estatal 100,7, que acrescenta que a taxa de inoculação com a segunda vacina de reforço é de cerca de 11%.

Um número não muito encorajador, segundo o Alto-Comissário da Proteção Nacional, Luc Feller, que acrescenta que, em comparação, a primeira dose de reforço obteve uma taxa de vacinação de cerca de 92% na mesma faixa etária, ou seja, entre os 60 e os 69 anos.

Para Luc Feller, o aligeiramento das medidas sanitárias pode ser uma das explicações para esta pouca adesão. O responsável pela organização da campanha de vacinação explica que o facto de já quase ninguém usar máscara faz sentido na situação atual da pandemia, mas que tem repercussões psicológicas para a população. Diz que “as pessoas têm a perceção que está tudo bem e que já não precisam de vacinas”.

O que, segundo Feller, torna mais difícil convencer as pessoas a aderiram à quarta dose da vacina, para minimizar os riscos no próximo outono e inverno.

Luxemburgo enfrenta escassez de paracetamol

O Luxemburgo está a ter problemas de abastecimento de paracetamol. Numa resposta parlamentar, o Ministério da Saúde e o Sindicato dos Farmacêuticos confirmaram as dificuldades em repor os stocks do medicamento.

Segundo a vice-presidente do sindicato dos farmacêuticos, Danielle Becker-Bauer, nas duas últimas semanas, as farmácias têm enfrentado a rutura temporária dos stocks de paracetamol, o que fez com que, por exemplo, o xarope infantil à base de paracetamol tenha estado temporariamente indisponível nas farmácias.

O Luxemburgo encomenda o paracetamol através da Bélgica e da Alemanha, que enfrentam atualmente constrangimentos no abastecimento, devido a problemas de produção e à elevada procura gerada pela covid-19.

Contudo, até agora não foram dadas, pelo Governo luxemburguês, instruções específicas para as farmácias fazerem face a esta escassez, sendo que os atrasos na reposição do stock do medicamento poderão estar resolvidos até ao final de agosto.

CGFP reivindica pelo menos um dia de teletrabalho por semana para os funcionários transfronteiriços

Os transfronteiriços que trabalham na Função Pública no Luxemburgo não beneficiam das mesmas condições fiscais, em caso de teletrabalho, do que os trabalhadores do setor privado. Uma situação que levou o sindicato da Função Pública, CGFP, a ter esta semana uma reunião com a ministra das Finanças, para pedir mais equidade entre os dois setores.

Desde 1 de julho, que as condições que geriam o teletrabalho durante a pandemia da covid-19 foram abolidas. Desde então os transfronteiriços alemães podem trabalhar 19 dias por ano a partir de casa, os de França 29 dias e os da Bélgica até 34 dias.

Mas estes tetos máximos só são validos para o setor privado. Num comunicado, a CGFP sublinha que devido à dificuldade de encontrar alojamento a um preço razoável, também os funcionários públicos vão cada vez mais morar para os países vizinhos. Daí a importância de encontrar uma solução, também para estes trabalhadores.

Um dos pedidos é que todos os funcionários do Estado, que tenham a possibilidade de o fazer, possam usufruir de um dia por semana de teletrabalho.

Bullying. Os conselhos da polícia aos pais

As alegadas agressões do grupo de jovens “17Antissistema”, recentemente relatadas pelo Luxemburger Wort, geraram uma onda de preocupação, sobretudo entre pais. A Rádio Latina falou com a polícia, que está a investigar o caso.

Embora não possam revelar quaisquer detalhes da investigação, as autoridades deixam alguns conselhos aos pais de crianças e jovens. Num e-mail enviado à Rádio Latina, a polícia refere que, “independentemente deste caso e de forma geral, quando se trata de jovens, a recomendação aos pais é que procurem o diálogo com os filhos logo que notem alguma alteração no seu comportamento”.

Alguns dos sinais de alerta são quando estes aparecem em casa com roupas danificadas, quando objetos de valor desaparecem ou, como é evidente, quando há sinais de agressão.

Outra das recomendações das autoridades é que as vítimas se dirijam imediatamente à polícia, seja qual for a infração de que foram alvo. A polícia alerta para a importância de apresentar queixa o mais rapidamente possível “para que as medidas necessárias possam ser postas em prática”.

Aquilo que se sabe até agora

Como tinha sido revelado pela edição alemã do Luxemburger Wort, as autoridades estão a investigar as alegadas agressões de um grupo de jovens conhecido como “Antissistema”, “17” e “1Block7”. No e-mail enviado à Rádio Latina, a polícia reitera que “por uma questão de princípio, não se pode pronunciar sobre eventuais investigações em curso”.

Aquilo que se sabe neste momento, segundo o jornal, é que o grupo será composto por cerca de 40 jovens, alguns com menos de 14 anos. As vítimas são selecionadas ao acaso, sendo depois agredidas e humilhadas. Toda a situação é filmada e depois divulgada na Internet para o autor se vangloriar da agressão. Trata-se de um fenómeno conhecido como ‘happy-slapping’. 

O caso já chegou ao parlamento através de questões parlamentares de pelo menos dois partidos da oposição. CSV e ADR, em missivas distintas, questionaram o ministro da Segurança Interna, Henri Kox, sobre o assunto, pedindo que confirmasse as informações do Wort e disponibilizasse mais dados sobre o caso. 

Métissage. Déi Lenk pede "realojamento de emergência" para gerentes do café

O incêndio que, a 16 de julho, destruiu o café-restaurante Métissage, emblemático café cabo-verdiano do Luxemburgo, incluindo os quartos no primeiro andar, deixou os gerentes do estabelecimento e sete residentes sem habitação.

Na noite do incêndio, os três irmãos que trabalhavam no café procuraram a ajuda do irmão mais velho, onde passaram a noite. Mas, uma vez que tiveram apoio familiar e não precisaram de recorrer a um abrigo da Cidade do Luxemburgo, ficaram impedidos de aceder à ajuda estatal, segundo relatado numa reportagem da RTL.

Esta quinta-feira, o Déi Lenk emitiu um comunicado a apelar à comuna que aloje as vítimas do incêndio numa habitação de emergência, evocando o regulamento de 21 de setembro de 2006 sobre a lei do arrendamento, que define que "as autoridades municipais têm a tarefa de assegurar, na medida do possível, o alojamento de todas as pessoas com domicílio dentro da comuna".

Por agora, os três irmãos do Métissage dormem em casa de um amigo, um no sofá e dois num colchão no chão. Não há planos para o realojamento.

Mas o Déi Lenk sugere o Hotel Graace, na capital, que tem 28 quartos alugados para acolher refugiados ucranianos. Segundo o partido, "apenas um estúdio está atualmente ocupado", já que vários cidadãos ucranianos preferiram ficar em centros de acolhimento com os seus compatriotas.

Turismo cresceu 30% no Luxemburgo em 2021

O turismo no Luxemburgo está a recuperar. De acordo com o mais recente estudo "Turismo em números", divulgado pelo Statec, 853.472 pessoas fizeram turismo no Grão-Ducado no ano passado. São mais 30% de turistas em comparação com 2020, ano do pico da pandemia. Apesar deste aumento, os números estão ainda longe do recorde alcançado em 2019, de 1.165.256 visitas.

Sem surpresa, 9 em cada 10 visitas são de estrangeiros (756.387). O 'top 3' é composto por turistas belgas (151.225 chegadas), neerlandeses (128.365) e alemães (122.658 chegadas). Foram ainda contabilizados 97.085 residentes que fizeram turismo no país.

As regiões do Centro, Ardenas e Mullerthal são os locais com mais visitas.

O Luxemburgo tem atualmente 223 hotéis, pousadas e pensões, com capacidade para 7.700 acomodações, o que representa a maior parte da oferta de alojamento turístico do país. Há ainda 78 espaços para camping, sem contar com alojamentos privados e casas de férias.

Segundo dados mais atuais do Statec, referentes a 2020, o setor do turismo empregava 38.336 pessoas e representava 0,95% do Produto Interno Bruto. 

Acidente. Dois jovens irmãos morrem a caminho de Portugal 

Dois jovens portugueses morreram esta quinta-feira, em Espanha, a caminho de Portugal. O despiste de um automóvel ligeiro vitimou a dupla de emigrantes, de 17 e 24 anos, que regressavam a Fafe para as férias.

O acidente aconteceu esta quinta-feira, pouco depois das 8h, em Zamora, Espanha, de acordo com informações avançadas pela imprensa local.

Os dois jovens viajavam com o pai, de 51 anos, que ficou gravemente ferido e foi transportado para o Hospital Universitário de León.

A família, emigrada em França, era natural de Queimadela, Fafe, para onde se dirigia por ocasião das férias, como habitual nesta altura do ano.

Acidente na A1 provoca um morto e um ferido grave

Um acidente de viação na autoestrada A1, em direção à Alemanha, provocou ontem um morto e um ferido grave. O desastre fatal aconteceu por volta das 14h30, perto da saída para Mertert. A vítima mortal é um homem alemão de 44 anos.

De acordo com o boletim da polícia, o condutor despistou-se e a viatura capotou após um embate contra os rails de proteção da autoestrada.

O homem perdeu a vida no local do acidente. O segundo ocupante do veículo ficou gravemente ferido e foi levado para o hospital.

O Ministério Público ordenou a abertura de um inquérito para apurar as circunstâncias do acidente.

Maioria dos comércios indicam bem os seus preços 

A grande maioria dos novos comércios, que abriram este ano no centro da Cidade do Luxemburgo e arredores, respeitam o regulamento luxemburguês em matéria de indicação dos preços. Cerca de 96% dos estabelecimentos indicavam corretamente os preços dos seus produtos e 90% os tarifários dos seus serviços.

Desde o início do ano, o Ministério da Proteção dos Consumidores controlou mais de 50 comércios que abriram recentemente. Para além dos controlos dos tarifários, os agentes também tentaram sensibilizar os responsáveis sobre o Código do Consumo.

Segundo o mistério, uma parte dos comércios não sabia que era também preciso expor a autorização de estabelecimento. Note-se que as autoridades vão manter os controlos no decorrer do ano.

Capital. Parque de Merl volta a ter "mini-veleiros"

O lago do parque de Merl, na capital, volta a ter os "mini-veleiros" à disposição do público.

As embarcações em miniatura (controladas com ajuda de uma vara) são inspiradas nos pequenos barcos do jardim do Luxemburgo, em Paris, e têm sido uma das atrações daquele parque desde o verão de 2018.

Ao todo, são 16 mini-veleiros que podem ser disponibilizados gratuitamente ao público, para serem lançados no lago.

A comuna da capital refere em comunicado que o horário deste serviço é das 11h às 17h, nos dias 30 e 31 de julho, 13, 14, 24 e 25 de agosto, e 10, 11, 24 e 25 de setembro.


Notícias relacionadas

Imagem de arquivo
Private security agents stopped work in the Gare area in mid-November after the council cancelled the contract
Face à une foule hostile, les policiers ont dû créer un cordon protecteur devant la Chambre des députés, samedi.