Médicos que fazem bancos vão receber perto de 100 euros por hora de remuneração extra
Radio Latina 12 min. 18.11.2022
Atualidade em síntese 18 NOV 2022

Médicos que fazem bancos vão receber perto de 100 euros por hora de remuneração extra

Atualidade em síntese 18 NOV 2022

Médicos que fazem bancos vão receber perto de 100 euros por hora de remuneração extra

Radio Latina 12 min. 18.11.2022
Atualidade em síntese 18 NOV 2022

Médicos que fazem bancos vão receber perto de 100 euros por hora de remuneração extra

Está feito. O Ministério da Saúde e a Federação dos Hospitais assinaram uma convenção sobre a compensação financeira para os médicos que fazem bancos nos serviços de urgências hospitalares.

Os médicos que fazem banco, ou seja que asseguram urgências, tanto durante a semana como ao fim de semana vão passar a receber 96 euros por hora para além do salário habitual. A compensação financeira desce para 40 euros suplementares por hora para os médicos que estão de prevenção em serviço de plantão.

Esta convenção é retroativa, sendo válida desde 1 de junho deste ano. Trata-se aqui de um projeto piloto que irá ser alvo de avaliação.

O Orçamento do Estado para 2023 prevê 25 milhões de euros em compensações financeiras para os bancos dos médicos nos hospitais e instituições especializadas.


Bronquiolite. Serviços de pediatria do Luxemburgo estão sobrecarregados

O Luxemburgo está atualmente a enfrentar uma severa vaga de casos de bronquiolite, que leva a que os serviços de pediatria estejam sobrecarregados. Numa conferência de imprensa, a Sociedade Luxemburguesa de Pediatria, revelou que as intervenções não urgentes de crianças tiveram de ser adiadas ou mesmo anuladas.

A bronquiolite é provocada por uma infeção pelo vírus sincicial respiratório (VSR) e, nos casos de bebés com menos de dois anos, pode ser grave. A imprensa nacional dá conta de que atualmente estão internadas 58 crianças na Kannerklinik do Centro Hospitalar do Luxemburgo (CHL) das quais oito nos cuidados intensivos.

Fica ainda a recomendação de não sobrecarregar ainda mais as urgências pediátricas, recorrendo primeiro ao pediatra habitual. Deve-se também respeitar os gestos barreira, como usar uma máscara e evitar reuniões de família.


Apesar da falta de mão de obra, requerentes de asilo vão continuar a esperar seis meses para trabalhar

O Luxemburgo tem falta de mão de obra em vários setores e, como alternativa, há patrões que estão dispostos a recrutar requerentes de asilo. Mesmo assim, o Governo garantiu que não vai mexer no tempo de espera que os requerentes de asilo têm de cumprir para poder trabalhar no Grão-Ducado.

Segundo a lei em vigor, só depois de seis meses do pedido de proteção internacional no país é que os requerentes podem obter uma "autorização de ocupação temporária", que permite o trabalho renovável a cada seis meses. Mas para o ministro da Imigração, a abolição do mínimo de seis meses de espera está fora de questão. Foi o que Jean Asselborn garantiu numa resposta parlamentar ao partido CSV.

No entanto, o Governo está a preparar um projeto de lei que prevê abolir o período de teste de mercado de trabalho no âmbito da obtenção da autorização de ocupação temporária. Jean Asselborn esclarece ainda que os requerentes de asilo não podem registar-se na ADEM nem ter acesso às formações. Mas quem já obteve o estatuto de proteção internacional e é considerado “refugiado” tem os mesmos direitos que qualquer outro residente e como tal pode inscrever-se na ADEM e ter acesso aos serviços e ofertas. Entre 2015 e 2020, 857 refugiados conseguiram ser integrados no mercado de trabalho através da ADEM, 165 deles em 2020.


OCDE defende fim da indexação automática de salários no Luxemburgo

A OCDE defende o fim da indexação automática dos salários no Luxemburgo. O objetivo é travar a pressão inflacionista, argumentam os peritos da OCDE num relatório a que o jornal Contacto teve acesso.

No relatório, que acaba de ser divulgado, defendem a reforma do sistema da indexação automática de salários no Luxemburgo, propondo que se negoceiem com os parceiros sociais aumentos que “tenham em conta os seus efeitos na produtividade, emprego e investimento”.

Os autores consideram que o atual sistema de aumento automático dos salários provoca o “risco de crescimento das tensões inflacionistas, beneficiando as classes mais favorecidas”. Para além da revisão do sistema, propõem “a criação de ajudas para os agregados familiares mais vulneráveis”.


Trabalhadores das lojas Hema com aumento salarial de 80% por hora aos domingos

A direção das lojas Hema e o sindicato OGBL assinaram a renovação da convenção coletiva de trabalho para os 33 funcionários da empresa. O novo acordo é válido por 19 meses, entre 1 de janeiro de 2022 (efeito retroativo) e 31 de julho de 2023.

Uma das principais medidas negociadas é o aumento salarial de 80% por hora de trabalho aos domingos. Mesmo que a loja esteja fechada, pode haver trabalho nos armazéns. Entre outras melhorias negociadas, a tabela salarial por hora vai ser adaptada à evolução do salário mínimo social, haverá um aumento do prémio de antiguidade para quem tem contrato com menos de 20 horas semanais e todos os funcionários terão direito a um prémio único de 250 euros, em função do tempo de trabalho semanal. 

Haverá ainda um aumento de folgas por antiguidade, 75 euros para quem substituir temporariamente o assistente de gerente da loja e 125 euros para o assistente que substituir temporariamente o gerente. A marca holandesa Hema é especialista na venda a retalho de roupa de casa, cosmética, brinquedos, acessórios de decoração e de cozinha.


Câmara dos Funcionários Públicos quer mais apoio para as famílias

A Câmara dos Funcionários Públicos (CHFEP, na sigla francesa) reivindica mais apoio para as famílias para combater a perda do poder de compra e as desigualdades sociais.

No seu parecer sobre o Orçamento de Estado para 2023, a organização defende que as medidas decididas na tripartida não são suficientes para melhorar o poder de compra das famílias. O presidente da CHFEP, Guy Wolff, saúda a indexação dos salários, mas critica a falta de ação do governo no plano fiscal, mostrando-se favorável a uma reforma fiscal.

Exige que o escalão fiscal seja adaptado ao custo de vida, ou seja à inflação e que a classe de impostos 1A, relativa às famílias monoparentais, seja abolida. Para a CHFEP os pais que educam sozinhos os seus filhos deveriam permanecer na classe de impostos 2, que atualmente se destina às pessoas casadas.


Centro de vacinação de Esch-Belval encerra a 26 de novembro

O centro de vacinação de Esch-Belval vai voltar a fechar portas a partir do dia 26 de novembro, às 13h00.

Este centro tinha reaberto portas em meados de outubro para administrar vacinas contra a covid-19. Na altura, o Ministério da Saúde dizia que se tratava de uma abertura temporária afim de reforçar a proteção da população face a possíveis vagas de covid-19 durante o outono e inverno.

O governo recomenda que os residentes procurem um médico ou a uma farmácia para garantirem que recebem o fármaco. Recorde-se que a lista de médicos e farmácias que participam na campanha de vacinação pode ser consultada neste www.covid19.lu.


Número de casos covid-19 volta a aumentar na última semana

Na semana de 7 a 13 de novembro, o número de novos casos positivos de covid-19 no Luxemburgo voltou a aumentar, com 913 infeções diagnosticadas, contra 873 na semana anterior.

Houve ainda 518 casos de reinfeção (dois testes PCR positivos consecutivos em 90 dias), o que eleva para 1.431 o número de pessoas com infeções ativas. A idade média das pessoas infetadas é de 46 anos. Nos hospitais, 14 ‘doentes covid’ estavam internados em enfermaria e um nos cuidados intensivos. Segundo o balanço semanal do Ministério da Saúde, três pessoas morreram devido à covid-19 no Grão-Ducado.

Quanto à vacinação, entre 7 e 13 de novembro foram administradas 2.012 doses, sendo que 1.790 são referentes à segunda dose da vacina de reforço.


Bazar da Cruz Vermelha solidário com os jovens

A Cruz Vermelha luxemburguesa organiza neste fim de semana, 19 e 20 de novembro, o seu tradicional bazar, no Glacis, na Cidade do Luxemburgo. Durante dois dias, este certame apresenta vários stands e expositores onde se pode comprar de tudo um pouco, sem faltar a diversificada gastronomia tradicional e também várias animações para as crianças.

Este bazar é organizado anualmente pela secção local da Cruz Vermelha no qual trabalham cerca de 300 voluntários e tem como objetivo a recolha de fundos a favor de ações para ajudar os jovens, tanto do Luxemburgo, como do mundo.

Um dos pontos altos do evento, ocorre no sábado às 16 horas, com o corte do bolo de aniversário que assinala o 76° Bazar da Cruz Vermelha. Segue-se depois uma conferência sobre as violências baseadas no género. O bazar está aberto ao público este sábado e domingo das 10:00 às 18:00.


Luxemburgo. Envio de encomendas por correio continua a aumentar

Há cada vez menos cartas enviadas (substituídas pelos e-mail) e mais encomendas a transitar, no fluxo postal. O Luxemburgo não foge à regra, como revela a última publicação do Instituto Luxemburguês de Regulação (ILR), referente ao ano de 2021.

As encomendas aumentaram quase 14% num ano. Em contrapartida, o envio de correspondência tradicional diminuiu ligeiramente de quase 2%. O setor dos correios emprega atualmente mais de 1.900 pessoas, sendo que a POST emprega 1.300 trabalhadores, ou seja, 69% dos empregos no setor.

No que diz respeito ao acesso dos consumidores aos serviços dos correios, não para de aumentar o número de postos automáticos de distribuição de pacotes postais (pack up). Passou de 91, em 2018, para 131, em 2019.


Jean Asselborn em conferência sobre proteção de civis contra armas explosivas em áreas povoadas

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Jean Asselborn, participa esta sexta-feira numa conferência internacional sobre proteção de civis contra o uso de armas explosivas em zonas povoadas. A conferência é organizada em Dublin, a convite do ministro da Defesa da Irlanda, Simon Coveney.

Asselborn participa neste evento juntamente com vários governantes internacionais, especialistas das Nações Unidas em desarmamento e representantes da sociedade civil.

Espera-se a adoção da uma declaração política sobre o reforço da proteção de civis contra as consequências humanitárias ligadas ao emprego de armas explosivas em zonas povoadas.


Coreia do Norte dispara míssil intercontinental - Japão

A Coreia do Norte disparou um míssil balístico intercontinental, que caiu no mar, em águas da Zona Económica Exclusiva (ZEE) do Japão, anunciou o Ministério da Defesa nipónico.

O primeiro-ministro japonês, descreveu o lançamento como "absolutamente inaceitável", confirmando que o míssil caiu em águas dentro da zona económica do Japão, sem aparentemente ter causado quaisquer danos a navios ou aviões.

O gabinete presidencial da Coreia do Sul disse que convocou uma reunião de segurança de emergência para discutir o lançamento norte-coreano.


Assembleia Parlamentar da NATO arranca em Madrid e Ucrânia domina agenda

A sessão deste ano da Assembleia Parlamentar da NATO arranca hoje em Madrid com a guerra na Ucrânia no centro da agenda e poucos dias depois de um míssil, provavelmente da defesa antiaérea ucraniana, ter atingido a Polónia.

A Assembleia Parlamentar da NATO vai reafirmar a solidariedade com a Ucrânia e salientar o compromisso com a defesa de todos os 30 países da organização.

Uma das intervenções previstas no plenário é do Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, que deverá falar, por videoconferência.


Catar exige à FIFA que proíba venda de cerveja nos estádios

O Catar exige à FIFA que deixe de vender cerveja nos estádios onde se realizam os jogos do mundial de futebol, segundo notícia avançada pelo jornal britânico The Times.

O pedido partiu da família real do Catar e poderá criar um problema financeiro com um dos principais patrocinadores da competição, a marca de cerveja Budweiser, que poderá exigir uma indemnização milionária. No Catar, o consumo de álcool é bastante restrito e a bebida pode ser consumida apenas em alguns hotéis da capital. 

Durante o mundial, estes regulamentos foram relaxados, mas o álcool continua a não ser vendido em supermercados e os preços das bebidas podem alcançar valores muito elevados – um litro de cerveja chega a custar mais de 13 euros. O campeonato do mundo de futebol arranca no domingo com o jogo de abertura Catar-Equador, às 17h00. Portugal estreia-se na quinta-feira da próxima semana diante do Gana.


Cristiano Ronaldo assume provável despedida da prova no Catar 

 O futebolista internacional português Cristiano Ronaldo, que representa os ingleses do Manchester United, admite que “provavelmente” vai disputar no Catar a quinta e última presença numa fase final de um mundial.

O capitão da formação das ‘quinas’ declara-se ainda “otimista” e diz que Portugal vai fazer um grande mundial. Declarações de CR7 numa entrevista concedida a uma estação televisiva britânica. 

A 22.ª edição da prova realiza-se no Catar, entre o próximo domingo e 18 de dezembro, com Portugal a encarar Gana (24 de Novembro), Uruguai (dia 28) e Coreia do Sul (2 de Dezembro), orientada pelo treinador luso Paulo Bento, no grupo H. Portugal chega hoje ao Catar, depois de ontem ter goleado a Nigéria, por 4-0, em Alvalade.


Luxemburgo recebe Bulgária em mais um jogo de preparação

A seleção luxemburguesa de futebol recebe a Bulgária no domingo, em mais um jogo amigável, depois do empate 2-2 contra a Hungria esta quinta-feira. O jogo está agendado para as 15h de domingo, também no Estádio do Luxemburgo.

O selecionador, Luc Holtz, conta com 25 jogadores, incluindo sete lusófonos.

 O Luxemburgo faz parte do 'grupo J' de qualificação para campeonato europeu de 2024. O primeiro jogo será contra Portugal, no dia 26 de março de 2023. Fazem ainda parte do grupo o Liechtenstein, a Islândia, a Eslováquia e a Bósnia Herzegovina.

Redação Latina LUSA |Foto: Marc Wilwert


Notícias relacionadas

Bau, Handwerk, Baugewerbe, Baustelle
Lokales, Referendum Leudelingen, Centre Culturel an der Eech, Wahlen, Foto: Lex Kleren/Luxemburger Wort
Pour le responsable du réseau RGTR, «cette situation est tout simplement inacceptable»
Les prix des logements connaissent une hausse croissante depuis 2015 en Europe.
In seiner Erklärung zur Lage des Landes betont Premier Xavier Bettel (DP) immerzu, dass seine Regierung Verantwortung übernommen hat - und weiter übernimmt, um den Krisen zu trotzen.