Marco Paulo foi operado a um cancro da mama
Radio Latina 4 min. 19.02.2020

Marco Paulo foi operado a um cancro da mama

Marco Paulo foi operado a um cancro da mama

Radio Latina 4 min. 19.02.2020

Marco Paulo foi operado a um cancro da mama

O cantor está agora a realizar sessões de quimioterapia. Um oncologista explicou ao Contacto como este tumor afeta os homens e quais os fatores de risco.

O artista português, de 75 anos, contou na quarta-feira que está a lutar novamente contra um tumor maligno, desta vez um cancro da mama. Marco Paulo decidiu falar sobre a sua doença  para “alertar os homens” que, este tipo de cancro, não afeta apenas as mulheres mas "também é um problema nosso”.

“Foi-me diagnosticado um tumor na mama debaixo do mamilo” em dezembro, disse Marco Paulo, numa entrevista no ‘Jornal da Uma’ da TVI, no dia 18.

“Nunca me passou pela cabeça que isto pudesse acontecer aos homens”, assumiu o cantor. “Sentia o tumor, sentia aqui o caroço, mas não ligava muito, pensava que era passageiro”.

Foi numa consulta para “retirar um sinal que uma amiga que foi comigo pediu à médica para me observar o peito". Ao apalpar a mama direita “viu que algo não estava bem e disse-me que tinha de ir imediatamente fazer exames”.

Cirurgia no dia do aniversário

A 21 de janeiro, no dia do seu aniversário, estava a ser operado. “Retiraram o peito direito pela axila direita, foram três horas”, disse. Agora Marco Paulo está a fazer quimioterapia, já fez uma sessão, faltando-lhe ainda mais “cinco ou seis”.

De lágrimas nos olhos, o artista confessou que o momento que atravessa “é difícil”, mas que tem “fé”: “Esta é uma luta que tenho de travar” é “uma batalha grande” e “agradeço o apoio que tenho tido de todos, da minha família, dos meus amigos e dos meus fãs”.

Um "alerta para os homens"    

O intérprete de “Eu Tenho Dois Amores” garante que vai fazer tudo “o que os médicos disserem”: “Eu queria ter a alegria de poder transmitir aos outros que pode haver uma recuperação, um resultado como houve pela primeira vez há vinte anos”. 

Marco Paulo referia-se ao cancro do cólon que lhe foi descoberto. Na altura, “as expetativas dos médicos eram muito baixas, mas venci”.  Agora quer vencer mais “esta luta, esta doença grave e eu sei que tenho o apoio de Portugal inteiro para conseguir ultrapassar este momento difícil”. Contudo, se os médicos não se opuserem vai manter o seu concerto no Super Bock Arena Pavilhão Rosa Mota, no dia 21 de março. 

O cantor aceitou contar o seu caso para que sirva como um “alerta bastante forte” para que os “homens se previnam e que de vez em quando toquem no peito”, façam apalpação. “Quero dizer aos homens para tomarem cuidado porque este é também um problema nosso, eu pensava que nunca me ia acontecer isto no peito”.

Factores de risco nos homens

A incidência do cancro da mama nos homens é “muito baixa”, mas também eles se debatem com este tumor. “Um por cento de todos os cancros da mama ocorre nos homens, ou seja, em 100 doentes, 99 são senhoras e um é homem”, declarou ao Contacto Pedro Madeira, oncologista do Instituto de Oncologia de Coimbra. As declarações deste médico são dadas a nível geral da doença nos homens, e não no caso particular de Marco Paulo.

Segundo este especialista, a incidência nos homens pode estar a aumentar dado o “envelhecimento da população” portuguesa. Contudo, não deixa de ser “raro”. E por ser pouco frequente, este é um tumor que ainda está pouco estudado, embora comece a ser alvo de investigações científicas, vinca o oncologista.

Além do ser mais propenso a aparecer em homens com idade mais avançada, há outros fatores de risco do cancro da mama masculino, como o “alcoolismo, a obesidade ou doença hepática”, pois estão ligados ao aumento dos níveis de estrogénio, explica Pedro Madeira. 

Por outro lado, homens que tenham sido submetidos a radiação torácica para tratamento de um cancro anterior também têm maior probabilidade de vir a sofrer de cancro da mama. Na verdade, todos os doentes, sejam homens ou mulheres, que passam por um cancro possuem maior risco de desenvolver, mais tarde, outro tumor, refere Pedro Madeira.

Medidas de prevenção

Por isso, Pedro Madeira diz ser muito importante como medida preventiva o “auto-exame” no homem, a apalpação da mama. Caso seja notada alguma anormalidade, como um caroço, ou se “for notada alguma alteração”, nomeadamente, o “mamilo para dentro”, a pessoa deve logo marcar consulta com o médico de família para avaliar a situação.  

“Quanto mais cedo for feito o diagnóstico, maior é a taxa de sucesso do tratamento. Isto aplica-se a todos os tipos de cancro”, lembra este especialista. No caso concreto do tumor maligno da mama, este é tratável quando detetado nos estádios 1 e 2.

“O problema é que, neste cancro, por norma, o diagnóstico é feito já nas fases mais avançadas, pelo que o prognóstico não é geralmente tão favorável”, alerta o oncologista. Por isso é muito importante sensibilizar os homens para esta doença e a realização do auto-exame.

A adoção de um estilo de vida saudável, com uma alimentação equilibrada, exercício físico e sem consumos de álcool são alguns conselhos deixados pelo oncologista do IPO de Coimbra como meio de prevenção da doença cancerígena.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas