Luxemburgo já mobilizou 100 milhões de euros para ajudar a Ucrânia
Radio Latina 15 min. 25.10.2022
Atualidade em síntese 25 OUT 2022

Luxemburgo já mobilizou 100 milhões de euros para ajudar a Ucrânia

Atualidade em síntese 25 OUT 2022

Luxemburgo já mobilizou 100 milhões de euros para ajudar a Ucrânia

Radio Latina 15 min. 25.10.2022
Atualidade em síntese 25 OUT 2022

Luxemburgo já mobilizou 100 milhões de euros para ajudar a Ucrânia

"O apoio financeiro permite à Ucrânia manter as suas infraestruturas e serviços essenciais, preservando o Estado".

O Luxemburgo mobilizou até agora quase 100 milhões de euros (99,7) para apoiar a Ucrânia, dos quais mais de 73 milhões destinaram-se à ajuda militar. São dados avançados pela ministra das Finanças, Yuriko Backes, numa resposta parlamentar.

Além desta ajuda direta, o Grão-Ducado participa em iniciativas europeias e internacionais, nomeadamente através da sua contribuição para o orçamento europeu. 

Desde a invasão russa da Ucrânia, a União Europeia já contribuiu com 12 mil milhões de euros em auxílios, tanto em ajuda humanitária, como em garantias para que Kiev possa contrair empréstimos junto do Banco Europeu de Investimento (BEI). 


Número de ucranianos no Luxemburgo quadruplicou desde o início do ano

O número de residentes ucranianos no Luxemburgo quadruplicou desde o início do ano, de acordo com o Instituto Nacional de Estatística (Statec). A 1 de janeiro eram pouco mais de mil. Seis meses depois, ascendiam a quase 4.500. O aumento ocorreu sobretudo entre março e abril, no início da invasão russa da Ucrânia. Apesar deste pico devido à guerra, o Statec refere que o número de ucranianos no Grão-Ducado tem estado em “constante aumento” desde 2015. Período que coincide com a anexação da Crimeia por Moscovo.

Sem surpresas, a maior fatia da comunidade ucraniana no Luxemburgo diz respeito a mulheres. A 1 de julho último elas eram 70% do total. Os dados do gabinete de estatística mostram também que se trata de uma comunidade jovem, com a média de idades a rondar os 32 anos anos. Número bastante inferior à média de idades de 41 anos dos residentes luxemburgueses e de 38 anos dos estrangeiros.

A vasta maioria do ucranianos que chegaram ao país no primeiro semestre deste ano tem o estatuto de proteção temporária, o que lhes permite inscreverem-se nos centros de emprego da ADEM. Já as crianças podem integrar o sistema de ensino.


Esch-sur-Alzette vai assinar acordo de geminação com cidade ucraniana

A comuna de Esch-sur-Alzette e a cidade ucraniana de Stryi vão assinar um acordo de geminação no próximo dia 28 de outubro.

Os autarcas das duas cidades vão rubricar o documento no edifício da autarquia de Esch-sur-Alzette, numa cerimónia marcada para as 18h. Este será o primeiro acordo do género entre uma cidade luxemburguesa e uma ucraniana.

A cidade de Stryi conta com 60 mil habitantes e fica perto da fronteira com a Polónia. É uma das cidades que tem recebido mais pessoas deslocadas por causa da guerra na Ucrânia.


Portugal 'oferece' estagiários' a empresas do Luxemburgo e não só

Os empresários portugueses fora de Portugal que estiverem interessados em acolher um estagiário podem candidatar-se ao programa Inov Contacto até ao final do mês de outubro. O programa de estágios internacionais é gerido pela AICEP Portugal Global – (Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal).


Milhares de vagas de emprego. Nunca o Luxemburgo precisou de tanta mão-de-obra
A falta de trabalhadores é transversal a praticamente todos os setores.

A AICEP assegura o custo da bolsa mensal, seguro de acidentes de trabalho, seguro de acidentes pessoais, seguro de saúde e viagem de ida e volta dos jovens estagiários.

O programa "garante uma seleção cuidada e criteriosa de estagiários, centrada nas competências técnicas e interpessoais, dedica grande atenção ao matching para obter a pessoa mais indicada para o trabalho e organização, e acompanha os estagiários e empresas durante todo o período de estágio", pode ler-se na apresentação do programa a que o jornal Contacto teve acesso. As candidaturas podem ser feitas até ao final do mês de outubro no site da AICEP. 


Teleconsultas não devem servir para poupar tempo aos médicos, alerta CNS

As teleconsultas não devem servir para que os médicos poupem tempo. Alerta da Caixa Nacional de Saúde (CNS). Numa nota sobre o prolongamento da comparticipação das teleconsultas, divulgada pela associação dos pacientes Patiente Vertriedung, a CNS lembra que as consultas por telefone ou videochamada devem obedecer às mesmas exigências de qualidade do que as consultas presenciais.


Nova demissão no hospital do norte
A vaga de demissões no Centro Hospitalar do Norte (CHdN) parece não ter fim.

Além disso, o médico tem de conhecer o paciente, já que tem de ter havido uma consulta presencial nos 12 meses anteriores à consulta remota.

A Caixa Nacional de Saúde lembra que “o atendimento telefónico dos pacientes para questões práticas e marcações não é uma teleconsulta”. Também “os conselhos dados por telefone ao paciente sobre uma questão médica limitada” não constituem uma teleconsulta.


Ministro. “Não queremos controlar o consumo de gás em casa”


Petição. Salário mínimo não chega para renda, comida e combustível, diz português
Limitar a subida dos preços dos produtos essenciais. É isto que pede uma nova petição pública, lançada por um residente português no site do Parlamento.

“Não queremos controlar o consumo de gás em casa”. Palavras do ministro da Energia, Claude Turmes. Numa reunião, ontem, no Parlamento, para debater o plano de emergência do Governo em matéria de abastecimento de gás, Claude Turmes frisou que a estratégia assenta numa “abordagem gradual consoante a gravidade da crise”.

Questionado sobre o que será feito caso as medidas voluntárias não surtam efeito, o ministro adiantou que, se a situação se tornar crítica, a próxima etapa será a introdução de um regulamento grão-ducal vinculativo e, em último recurso, cortes no fornecimento de gás.


Ministros da Energia da UE reúnem-se hoje no Luxemburgo

Os ministros da Energia da União Europeia (UE) reúnem-se hoje no Luxemburgo, mais precisamente em Kirchberg, num encontro onde o ministro Claude Turmes representa o país.

A Comissão Europeia vai apresentar uma proposta de regulamento do Conselho Europeu que pretende reforçar a solidariedade através de uma melhor coordenação da compra de gás, do intercâmbio transfronteiriço de gás e do estabelecimento de índices de referência dos preços.

Estas propostas fazem parte do pacote “Objetivo 55”, composto por medidas que visam colocar a União Europeia (UE) na via da neutralidade climática até 2050. Os ministros da Energia da UE vão ainda abordar a proposta de diretiva relativa ao desempenho energético dos edifícios.


Governo, sindicatos e delegação do pessoal denunciam conduta da Liberty Steel

Governo, sindicatos e a delegação do pessoal estão preocupados com as ações da empresa Liberty Steel, sediada em Dudelange e que comprometem o seu futuro económico. O principal credor do dono da Liberty, o grupo financeiro Greensill Capital, declarou insolvência no Reino Unido em março de 2021. A unidade de Dudelange está parada desde então, com a exceção da retoma temporária em julho e agosto deste ano, em que a unidade de Dudelange retomou a produção por dois dias.

O ministro da Economia, Franz Fayot, e o ministro do Trabalho, Georges Engel, receberam na segunda-feira representantes dos sindicatos OGBL e LCGB, como também a delegação do pessoal, para fazerem o ponto da situação e abordar o futuro da Liberty Steel em Dudelange. Até agora, só se sabe que as entidades da Liberty Steel na Bélgica e no Luxemburgo estão paradas até pelo menos ao final deste ano.

O governo reiterou que atualmente existe o interesse de um ator industrial que quer retomar a empresa em Dudelange, afim de manter as atividades siderúrgicas e preservar o emprego. Por seu lado, o ministro do Trabalho quis tranquilizar os sindicatos e a delegação do pessoal da Liberty Steel, garantindo que o seu ministério vai estar atento ao pagamento dos salários, que poderão ser pagos pelo Fundo para o Emprego, caso seja necessário.


Número de alunos a comer nas cantinas dispara com início de refeições gratuitas

O número de alunos a comer nas cantinas escolares disparou com o início das refeições gratuitas. Eles são agora mais de 19.300, segundo dados avançados pelo ministro da Educação, Claude Meisch, numa resposta parlamentar aos deputados do DP, Carole Hartmann e Claude Lamberty.

Antes do atual ano letivo, o número mais alto dos últimos cinco anos tinha sido registado em 2019, com 15.200 alunos a comerem nas cantinas.

As refeições gratuitas nas escolas foram anunciadas pelo primeiro-ministro Xavier Bettel em 2021, com a estimativa de abrangerem 44 mil alunos. A medida limita-se aos dias em que há escola. Durante as férias, as famílias com um rendimento inferior a duas vezes o salário mínimo têm direito à refeição. Já às restantes aplicam-se as tarifas do cheque-serviço.


Ajuda financeira para quem tem caldeiras a pellets

Quem aquece a casa através de caldeiras a pellets também vai ter direito a uma ajuda financeira por parte do Estado. No entanto, para já, não há mais pormenores sobre o procedimento. As medidas decididas durante a tripartida vão custar à volta de 1,2 mil milhões de euros ao Estado. Medidas que terão como objetivo travar a inflação, ao controlar os preços do gás e da eletricidade.


Estado já gastou 3,5 mil milhões de euros no combate aos efeitos colaterais da crise pandémica
O Estado luxemburguês já desembolsou cerca de 3,5 mil milhões de euros em ajudas no âmbito da resposta à pandemia da covid-19.

Ora, desse dinheiro, à volta de um milhão de euros vai ser para subvencionar as famílias que aquecem o seu alojamento com caldeiras a “pellets”. Porém, para já não há mais detalhes sobre essa ajuda financeira. Numa resposta parlamentar, o ministro da Energia, Claude Turmes, não forneceu resposta sobre como a verba vai ser dividida pelos agregados familiares. Note-se que o acordo da tripartida já foi assinado a 28 de setembro.

Na resposta do governante fica-se no entanto a saber, que não há ajuda prevista para quem aquece a sua casa com lenha. Claude Turmes sublinha que o objetivo do acordo tripartido é de compensar o aumento dos custos dos diferentes tipos de aquecimento, sendo que estes têm de ser “administrativamente geráveis e controláveis”, o que não é o caso para a lenha.


Luta contra a violência doméstica. Uma prioridade para o governo luxemburguês

“A gestão das vítimas tem de passar obrigatoriamente pela gestão dos autores de violência”. Uma afirmação da ministra pela Igualdade entre Mulheres e Homens, Taina Bofferding, que acrescenta que se houver menos pessoas violentas também há menos vítimas. Num comunicado, o Governo garante que a luta contra a violência doméstica é uma prioridade para o Executivo do Grão-Ducado.

A ministra para Igualdade e a ministra da Justiça, Sam Tanson, reuniram-se ontem, no Grão-Ducado, com o Grupo de Peritos do Conselho da Europa (GREVIO) para falarem sobre a luta contra a violência contra as mulheres e violência doméstica. O grupo de peritos GREVIO assegura a monitorização do bom cumprimento da Convenção de Istambul, que o Luxemburgo ratificou em 2018.

Segundo a ministra da Justiça, Sam Tanson, o Luxemburgo aposta na prevenção e sensibilização, como também em medidas repressivas para os agressores. Uma melhor proteção das vítimas é outra das prioridades do Grão-Ducado.


Uma comédia musical sobre o aborto vai subir ao palco em Esch

“É importante ouvir histórias de mulheres que abortaram e que se sentem bem com isso”. É assim que ‘Good Girls’ se apresenta. O espetáculo, de Larissa Faber, sobe ao palco do Teatro de Esch no mês de novembro.


Uma comédia musical sobre o aborto vai subir ao palco em Esch
"É importante ouvir histórias de mulheres que abortaram e que se sentem bem com isso".

Em palco vão estar três artistas, três pianos e muito jazz. ‘Good Girls’ é baseada em testemunhos de pessoas que fizeram um aborto na Europa, recolhidos no Luxemburgo, Lituânia e Reino Unido. 

É uma peça que quer “reforçar o apoio ao direito ao aborto e derrubar o estigma” em torno da interrupção voluntária da gravidez que se tem alastrado nos últimos tempos. Além da peça, o projeto inclui um livro que compila os testemunhos e entrevistas sobre o assunto. Saiba mais aqui. 


OGBL e federação das associações cabo-verdianas assinam acordo de parceria

O sindicato OGBL e a Federação das Associações Cabo-verdianas do Luxemburgo (FACVL) assinaram um acordo de parceria, que prevê uma colaboração mais estreita entre os dois organismos.

Segundo o documento rubricado no fim de semana, durante a Festa dos Imigrantes, a OGBL vai ajudar as atividades e projetos da federação. São exemplo disso o financiamento do novo site para a comunidade cabo-verdiana e o patrocínio do equipamento da seleção de futebol de Cabo Verde no Luxemburgo.

Já a federação vai difundir iniciativas da OGBL no seu site e dar uma maior visibilidade ao sindicado nos seus eventos.    


Feira do Estudante marcada para 27 e 28 de outubro

A 36a edição da Feira do Estudante, organizada pelo Ministério da Educação, realiza-se esta quinta (27) e sexta-feira (28) no campus universitário de Belval. A feira será organizada na “Casa do Saber” (rés-do-chão e -1). Após a crise sanitária, a feira dedicada aos estudantes volta assim a ser maioritariamente presencial, sendo completada por sessões virtuais.

Durante dois dias, os futuros alunos universitários poderão fazer perguntas e esclarecer dúvidas sobre o ensino superior no Luxemburgo ou no estrangeiro, conhecer instituições e oportunidades de financiamento dos estudos. No local, Portugal vai estar representado pela Embaixada de Portugal no Luxemburgo. A feira em modo presencial vai estar aberta ao público entre as 9:00 e as 17h00.

Para além da feira em Belval, várias instituições vão apresentar-se de forma virtual. Numa plataforma, vários vídeos previamente gravados vão estar à disposição dos estudantes a qualquer altura. Portugal está representado nesta plataforma pelo Instituto Piaget, pelo Instituto Superior de Administração e Gestão e pela Universidade da Beira Interior.


Gasóleo vai baixar de preço

O gasóleo vai ficar mais barato a partir da meia-noite.

Este combustível vai baixar 3,9 cêntimos por litro e vai passar a ser vendido a 1,982 euros por litro.  


Voos. As novidades nas ligações entre Portugal e o Luxemburgo

A partir deste domingo, 30 de outubro, a companhia aérea easyJet passa a usar o Terminal 1 do aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, que fica junto ao edifício principal. A companhia low cost, que usava o Terminal 2, passará a operar no terminal principal depois de ter ficado com 18 'slots' diários que pertenciam à TAP.  Em junho, a Comissão Europeia atribuiu estes 'slots' no aeroporto da capital a outras companhias, no âmbito do plano de reestruturação da TAP.

A easyJet realiza quatro voos por semana entre as capitais de Portugal e do Luxemburgo - dois em cada sentido - que passam agora a descolar e aterrar no Terminal 1, no caso do aeroporto de Lisboa. Neste terminal, mantêm-se as operações da TAP e da Luxair, companhias que têm ligações regulares entre Lisboa e a Cidade do Luxemburgo. A sul também há mudanças que vão ter impacto nas ligações diretas entre o Luxemburgo e a região algarvia. 

A Ryanair anunciou, no início deste mês, quatro novas rotas entre Faro e cidades europeias, entre as quais a capital do Luxemburgo. Frankfurt, Madrid e Nuremberga são as restantes três.


Rishi Sunak será indigitado primeiro-ministro britânico esta terça-feira

No Reino Unido, o novo líder do Partido Conservador, Rishi Sunak, deverá ser indigitado primeiro-ministro britânico esta manhã pelo Rei Carlos III.

Liz Truss, que se demitiu do cargo, ainda vai presidir a uma reunião do Conselho de Ministros. No final, fará uma declaração à porta da residência oficial, em Downing Street, antes de se deslocar para o Palácio de Buckingham, onde vai formalizar a demissão de primeira-ministra. 

O Rei Carlos III receberá então o sucessor, Rishi Sunak, que será indigitado primeiro-ministro e encarregado de formar governo. 


Oito em cada 10 ciganos na Europa vivem na pobreza e sem perspetivas

Oito em cada 10 ciganos na Europa vivem na pobreza e sem perspetivas de melhorar, quer na vertente da educação quer na de trabalho. A conclusão é da Agência dos Direitos Fundamentais da União Europeia, que analisou a situação dos ciganos em 10 países europeus.

Na análise divulgada hoje, seis anos depois do último inquérito sobre o tema, o organismo conclui que “os ciganos em toda a Europa continuam a sofrer privações generalizadas”. Embora a média dos países analisados indique que 80% dos ciganos vive em situação de pobreza, esse número sobe para 98% em Espanha e em Itália, para 96% em Portugal e na Grécia e para 93% na Croácia.

O relatório frisa que as famílias ainda vivem em condições chocantes. Um dos dados mostra que mais de um em cada cinco ciganos vivem em espaços sem água corrente e um terço não tem casa de banho interior.


LC: Benfica tenta assegurar os 'oitavos' na receção à Juventus

O Benfica pode hoje assegurar o acesso aos oitavos de final da Liga dos Campeões de futebol na receção aos italianos da Juventus, que está obrigada a vencer no Estádio da Luz, na quinta jornada do Grupo H.

Um triunfo deixa automaticamente os ‘encarnados’ com lugar garantido na próxima fase da ‘Champions’, embora um empate também possa servir, caso, no outro encontro do agrupamento, o Maccabi Haifa não consiga bater em França o Paris Saint-Germain.

O Benfica recebe a Juventus numa altura em que continua imbatível em todas as provas em 2022/23, depois de ter vencido o FC Porto (1-0) no Dragão na sexta-feira, para a I Liga portuguesa. Do lado dos italianos, o argentino Di Maria, antigo jogador do Benfica, deverá falhar o regresso à Luz, por causa de problemas físicos. O encontro está agendado para as 21:00 e conta com relato na Rádio Latina, num simultâneo com a Antena 1. 

Redação Latina | LUSA |Foto: Shutterstock


Notícias relacionadas

In seiner Erklärung zur Lage des Landes betont Premier Xavier Bettel (DP) immerzu, dass seine Regierung Verantwortung übernommen hat - und weiter übernimmt, um den Krisen zu trotzen.
ARCHIV - 24.01.2020, Baden-Württemberg, Sinsheim: Ein Lehrer unterrichtet in einem Klassenzimmer der Kraichgau-Realschule.     (zu dpa «Rund 4000 Lehrer im Südwesten werden über die Sommerferien arbeitslos») Foto: Marijan Murat/dpa +++ dpa-Bildfunk +++