João Gilberto. O adeus ao homem que inventou a Bossa Nova
Radio Latina 5 5 min. 08.07.2019

João Gilberto. O adeus ao homem que inventou a Bossa Nova

João Gilberto. O adeus ao homem que inventou a Bossa Nova

Foto: AFP
Radio Latina 5 5 min. 08.07.2019

João Gilberto. O adeus ao homem que inventou a Bossa Nova

Com 88 anos, o cantor morreu em casa, no Rio de Janeiro. Não subia aos palcos há 11 anos.

O pai da Bossa Nova morreu no passado fim de semana, na sua casa do Rio de Janeiro e as causas da morte ainda não foram divulgadas. O funeral decorreu esta segunda-feira, oito de julho, no Teatro Municipal. 

O artista não dava concertos desde 2008 e os últimos anos foram passados em reclusão devido a problemas de saúde graves. Uma situação que obrigou a família a tomar medidas. Em novembro de 2017, a filha Bebel Gilberto pediu à Justiça que interditasse o pai. A razão dada ao tribunal foi o "quadro confusional" do autor que o levou a uma "absoluta penúria financeira." A Justiça concedeu a interdição provisória e João Gilberto passou a não poder fazer negócios sem o conhecimento da filha, nomeada curadora. 

Após a sua morte, Bebel escreveu um tributo ao pai no perfil oficial do Instagram. "Meu Deus como a gente se divertiu!!! Obrigada por tudo. Por me ensinar a prestar atenção em todas as harmonias e melodias, por amar cada momento da vida como se não houvesse amanhã, por sempre me fazer mudar todas as passagens ou partidas."

Ver esta publicação no Instagram

OMG, how much fun we had! Thank you for everything.. for the attention to every little harmony , melody in any song, for loving every moment in life , for being kind and honest, and a family man , for being the GREATEST dad any one could ever dreamed of.!! thank you for the last laugh looking in to my eyes thank u for all. I loooove you.❤️. Meu Deus como a gente se divertiu!!! obrigada por tudo ,por me ensinar a prestar atenção em todas as harmonias e melodias, por amar cada momento da vida como se não houvesse amanhã , por sempre me fazer mudar todas as passagens , ou partidas. Por valoriza-tanto cada momento da vida. Obrigada pelo último olhar , pela última risada, por ser honesto , por see m homen totalmente familia. Por ter sido o melhor pai que alguém poderia desejar. Meu amor,que os anjos e Mamãe te recebam , descanse em paz. Te amo.

Uma publicação partilhada por Bebel Gilberto (@bebelgilberto) a

Sofia Gilberto, a neta, deixou uma mensagem no Facebook para o avô: “Meu vovô foi o vovô mais amoroso e carinhoso que eu podia ter tido, pedia pra eu irá pra lá todos os dias e quando estava tarde da noite e já estava na hora de eu ir embora, depois de eu já ter passado o dia todo com ele, falava: - mas já vai? Dorme aqui..! Comia para ficar forte para brincar comigo. Amo ele demais e vai estar sempre no meu coração e na minha vida”.

Sobre o pai, João Marcelo disse nas redes sociais que "a sua luta foi nobre, ele tentou manter a dignidade à luz de perder a sua soberania. Agradeço a minha família (o meu lado da família) por estar lá por ele. Por último, gostaria de agradecer a Maria do Céu por ter estado ao seu lado até ao fim. Ela era a sua verdadeira amiga, e companheira”.  

"Melhor que silêncio, só João"

Várias personalidades brasileiras fizeram questão de prestar homenagem ao artista. Gilberto Gil, outros dos grandes nomes da canção brasileira, deixou uma mensagem "para João, a música, a poesia e o amor". Segundo ele, "aparece a cada 100 anos, um, e a cada 25, um aprendiz. Esse um era João." 

Ver esta publicação no Instagram

Para João, a música, a poesia e o amor. 💙 #EquipeGil

Uma publicação partilhada por Gilberto Gil (@gilbertogil) a

Caetano Veloso deixou um longo texto no Facebook sobre "o maior artista com quem minha alma entrou em contacto". Anos anos, o cantor disse a frase que definia a forma como Gilberto o influenciou: "Melhor que o silêncio, só João".  

A cantora Gal Costa publicou uma fotografia antiga com o músico e escreveu: " Se foi João Gilberto o maior génio da música brasileira. Influência definitiva no meu canto. Fará muita falta mas seu legado é importantíssimo para o Brasil e para o mundo."

O nascimento da Bossa Nova

João Gilberto Prado Pereira de Oliveira, nasceu na Bahia, em Juazeiro, a 10 de junho de 1931. Aos 20 anos, o jovem cantor é convidado a substituir Jonas Silva, o vocalista dos "Garotos da Lua". É esta a oportunidade que levaria o baiano João para o Rio de Janeiro pela primeira vez. 

Os vídeos 360 não têm suporte aqui. Ver o vídeo na aplicação Youtube.

Para ganhar um extra, ainda tentou trabalhor como escriturário na Câmara dos Deputados, mas não valeu a pena. A vida de funcionário público não era para ele e acabou por ser despedido. Sem dinheiro, refugiou-se na casa de uma irmã, em Diamantina, onde passaria meses só com o violão a criar um som único. 

Voltou ao Rio de Janeiro decidido a tocar e o "boca a boca" levaram-no à presença do maestro da orquestra do Teatro Odeon, Tom Jobim. Estava formada a dupla de amigos e compositores que mudaria a história da música do Brasil. 

João Gilberto e Tom Jobim.
João Gilberto e Tom Jobim.
Foto: DR

"Chega de Saudade", de 1958, composta por Jobim e Vinícius de Moraes, é o primeiro 'single' - que também deu nome ao álbum de estreia. Vendeu 35 mil cópias no lançamento e marcou uma posição no panorama musical. Nascia oficialmente a Bossa Nova. Este trabalho entrou para o "Grammy Hall of Fame" e é considerado o quarto melhor álbum brasileiro de sempre. De João, Tom Jobim disse que ele vinha "influenciar toda uma geração de compositores, músicos e cantores". 

A Bossa Nova falava de um Rio de Janeiro diferente do retratado anteriormente no samba dos pobres, das favelas, da raça negra. Era o Rio da classe média branca da zona sul carioca, da "Garota de Ipanema", do amor, da cidade maravilhosa e, claro, da saudade. 

Apesar de durar apenas uma década, o movimento nunca deixou de influenciar os compositores brasileiros até hoje. Dos prémios que ganhou, João queria saber pouco. Não via neles grande significado já que "não homenageavam a sua arte mas o que o mercado retirava dela". Em 1964, quando recebeu o primeiro Grammy pelo disco (Stan) Getz/Gilberto , atirou-o para um canto de casa. 

A sua discografia conta vários discos de estúdio, ao vivo ou coletâneas. Entre os mais conhecidos estão "Chega de Saudade" (1958), "O Amor, o Sorriso e a Flor" (1960) , "João Gilberto" (1961) ou "João, Voz & Violão" (2000), produzido por Caetano Veloso.

Com um legado de seis décadas, João Gilberto compôs algumas das faixas mais emblemáticas da música brasileira. "Chega de Saudade", de 1958, o hino que deu início à Bossa Nova.

Os vídeos 360 não têm suporte aqui. Ver o vídeo na aplicação Youtube.

"No peito de um desafinado também bate um coração". Desafinados, de 1960. 

Os vídeos 360 não têm suporte aqui. Ver o vídeo na aplicação Youtube.

  'Corcovado' gravada por Gilberto em 1960.  

Os vídeos 360 não têm suporte aqui. Ver o vídeo na aplicação Youtube.

'Aquarela do Brasil', samba escrito em 1939, foi retocada com os ritmos da Bossa Nova em 1997: 

Os vídeos 360 não têm suporte aqui. Ver o vídeo na aplicação Youtube.

"Uma pessoa conhecida", disse Bolsonaro

Jair Bolsonaro, Presidente da República do Brasil, não prestou publicamente condolências pela morte do cantor brasileiro. Quando os jornalistas lhe pediram um comentário, disse apenas: “Uma pessoa conhecida. Nossos sentimentos à família, tá ok?”

No início de Junho, Bolsonaro teve uma atitude diferente quando o funkeiro MC Reaça morreu, O cantor, conhecido por suas letras machistas e preconceituosas, espancou a namorada que estava grávida e, em seguida, suicidou-se. “Tales Volpi, conhecido como Mc Reaça, nos deixou no dia de ontem. Tinha o sonho de mudar o país e apostou em meu nome por meio de seu grande talento. Será lembrado pelo dom, pela humildade e por seu amor pelo Brasil. Que Deus o conforte juntamente com seus familiares e amigos”, escreveu na altura. 


Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.