Isaura luta contra cancro da mama
Radio Latina 2 min. 05.02.2020 Do nosso arquivo online

Isaura luta contra cancro da mama

Isaura

Isaura luta contra cancro da mama

Isaura
Foto: Promo
Radio Latina 2 min. 05.02.2020 Do nosso arquivo online

Isaura luta contra cancro da mama

Compositora do tema 'O Jardim', finalista português da Eurovisão de 2018, revelou que foi diagnosticada recentemente com a doença.

A cantora Isaura, autora do tema 'O Jardim', que apresentou com Cláudia Pascoal na final do Festival da Eurovisão de 2018, revelou publicamente que sofre de cancro da mama. 

 A artista, de 30 anos, anunciou ontem, Dia Mundial do Combate ao Cancro, que lhe foi diagnosticada a doença, mas que está preparada para a combater. 

"No Dia Mundial do Cancro venho para vos dizer que fui diagnosticada com cancro da mama. Felizmente é possível tratar e há-de ficar tudo bem!", começou por escrever, justificando a decisão de falar publicamente sobre a sua situação. 

Isaura (à esquerda) e Cláudia Pascoal (à direita) representaram Portugal na final do Festival da Eurovisão em 2018.
Isaura (à esquerda) e Cláudia Pascoal (à direita) representaram Portugal na final do Festival da Eurovisão em 2018.
Foto: DR

A cantora explicou que foram três as razões que a levaram a falar sobre o seu problema de saúde. Desde logo, porque nos próximos tempos a sua prioridade serão os tratamentos, o que a levará a abrandar o seu ritmo de trabalho. 

"É possível que nos próximos meses não seja tão expedita e desenvencilhada como de habitual - há muitas coisas a fazer agora - cuidar de mim teve, obrigatoriamente, que levar a taça para casa e chegar ao topo da lista. Se estiver em falha com alguém em matérias de trabalho aproveito para pedir desculpa e prometer que nada está esquecido; eu continuo aqui, pronta para fazer coisas, é só um ritmo novo!" 

Isaura quis também fazer da partilha do seu caso uma forma de diminuir o peso da doença, da mesma forma que o conhecimento de situações semelhantes a tem ajudado a lidar com o seu próprio processo.

"Quando fui diagnosticada as primeiras pessoas com quem quis falar foram pessoas que tinham vivido isto muito recentemente e que eu sentia ter acompanhado. Como elas foram partilhando o que se estava a passar nas suas redes sociais também eu fui sentido cada vitória e a palavra cancro foi encolhendo e ocupando menos espaço", explicou, acrescentando que "partilharmo-nos vulneráveis é difícil mas é tão importante". 


View this post on Instagram

No Dia Mundial do Cancro venho para vos dizer que fui diagnosticada com cancro da mama. Felizmente é possível tratar e há-de ficar tudo bem! Quis escrever este post por três razões, vou tentar explicar-me o mais brevemente possível. 1) Porque é possível que nos próximos meses não seja tão expedita e desenvencilhada como de habitual - há muitas coisas a fazer agora - cuidar de mim teve, obrigatoriamente, que levar a taça para casa e chegar ao topo da lista. Se estiver em falha com alguém em matérias de trabalho aproveito para pedir desculpa e prometer que nada está esquecido; eu continuo aqui, pronta para fazer coisas, é só um ritmo novo! 2) Porque quando fui diagnosticada as primeiras pessoas com quem quis falar foram pessoas que tinham vivido isto muito recentemente e que eu sentia ter acompanhado. Como elas foram partilhando o que se estava a passar nas suas redes sociais também eu fui sentido cada vitória e a palavra cancro foi encolhendo e ocupando menos espaço. Partilharmo-nos vulneráveis é difícil mas é tão importante. Há demasiadas burocracias e coisas a decidir num curto espaço de tempo enquanto se tenta assimilar tudo o que alguém desbobinou à nossa frente; graças a elas senti-me mais amparada e soube o que fazer com mais certezas. O que me leva à razão número três. 3) Também eu espero poder ajudar alguém que precise. Há qualquer coisa que muda dentro de nós no segundo em que somos confrontados com um cenário destes; acho que percebemos melhor a palavra amizade e ficamos mais abertos ao mundo. No Dia Mundial do Cancro venho para vos lembrar que o diagnóstico atempado do cancro da mama é mais eficaz a cada dia que passa e nós só temos de fazer a nossa parte; não se esqueçam e não tenham medo de fazer a palpação: porque não vão encontrar nada!, e se encontrarem é para tratar o mais rapidamente possível! Quanto ao meu: estou pronta para dar cabo dele.

A post shared by I s a u r a (@isauramusic) on


A cantora afirmou que quando se é confrontado com a notícia de que se sofre de cancro da mama, não é apenas com as consequências imediatas da doença que se tem de lidar. "Há demasiadas burocracias e coisas a decidir num curto espaço de tempo", sublinhou.

 Por isso, da mesma forma que a partilha de outras situações a tem ajudado, também ela espera poder fazer o mesmo pelos outros. 

"Espero poder ajudar alguém que precise. Há qualquer coisa que muda dentro de nós no segundo em que somos confrontados com um cenário destes; acho que percebemos melhor a palavra amizade e ficamos mais abertos ao mundo." 

Isaura aproveitou ainda a sua mensagem - onde vários músicos e figuras públicas portuguesas deixaram comentários de apoio - para frisar a importância de se estar atento ao corpo e de um diagnóstico precoce. "Não se esqueçam e não tenham medo de fazer a palpação: porque não vão encontrar nada!, e se encontrarem é para tratar o mais rapidamente possível! Quanto ao meu: estou pronta para dar cabo dele."