Hoje é um dia triste para a Europa. Xavier Bettel condena agressão militar da Rússia
Radio Latina 7 min. 24.02.2022 Do nosso arquivo online
Atualidade em síntese 24 FEV 2021

Hoje é um dia triste para a Europa. Xavier Bettel condena agressão militar da Rússia

Atualidade em síntese 24 FEV 2021

Hoje é um dia triste para a Europa. Xavier Bettel condena agressão militar da Rússia

Radio Latina 7 min. 24.02.2022 Do nosso arquivo online
Atualidade em síntese 24 FEV 2021

Hoje é um dia triste para a Europa. Xavier Bettel condena agressão militar da Rússia

“O dia de hoje é triste e escuro para a Europa. A estabilidade da Europa está em perigo”.

O primeiro-ministro, Xavier Bettel condena “veementemente a agressão militar da Rússia”. Numa conferência de imprensa que ocorreu esta quinta-feira de manhã, após o exército russo ter dado início ao bombardeamento do território da Ucrânia, Bettel garante que a União Europeia e os Aliados estão a concertar-se para responder a este ataque à Ucrânia.

A União Europeia reagiu rapidamente, frisou Bettel, ao adotar um pacote de medidas de sanções.

Bettel garantiu que este é apenas um primeiro pacote de medidas e a UE está pronta para dar outros passos.

O primeiro-ministro apelou ainda ao presidente russo, Vladimir Putin, para que cesse imediatamente estes ataques militares.

Bettel acrescentou que a Rússia tem de assumir as suas responsabilidades pelos atos que está a ter.

O governante acrescentou que os seus pensamentos estão atualmente com o povo da Ucrânia, que está a sofrer com esta situação. Ajudar a população é uma prioridade, garantiu Bettel.

O Conselho de Ministros chegou hoje à conclusão que é preciso proteger a população também do Luxemburgo contra as consequências deste ataque, nomeadamente no que diz respeito ao preço da energia. Na segunda-feira, irá reunir-se com peritos sobre a matéria para ver como manter os preços da energia a um valor razoável.  

Asselborn: "Putin perdeu o respeito pelo mundo"

Numa reação ao início dos bombardeamentos russos na Ucrânia, o ministro dos Negócios, Jean Asselborn, expressou profunda preocupação com o ato do regime russo.

"Estamos a assistir ao maior ataque militar desde o fim da Segunda Guerra Mundial, há 80 anos. Estamos a lidar com um homem que pôs de lado todas as inibições e quer destruir a vida de milhões de pessoas, que corre o risco de fazer morrer milhares", refere Asselborn à RTL.

O ministro disse que os ataques não estão apenas a ter como alvo zonas militares, tal como a Rússia tinha anunciado. Asselborn refere que toda a Ucrânia é o alvo de Putin e que há informação confirmada de que também ocorreram ataques de mísseis noutras cidades fora da região de Donbass.

O Governante luxemburguês refere que o ataque também teve lugar via Bielorrússia e disse esperar uma reação do povo russo para impedir a guerra.

Apesar de concordar com uma forte condenação da comunidade internacional, o ministro luxemburguês espera que haja um entendimento pacífico sobretudo entre a Rússia e EUA.

Pelo menos 40 soldados ucranianos e uma dezena de civis mortos nas primeiras horas da invasão – Kiev

Pelo menos 40 soldados ucranianos e uma dezena de civis foram mortos nas primeiras horas da invasão russa da Ucrânia, disse hoje um conselheiro do Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky.

“Sei que mais de 40 militares ucranianos foram mortos e várias dezenas ficaram feridos e fala-se da morte de uma dezena de civis" em vários pontos do país, disse Oleksiy Arestovych.

O conselheiro do Presidente da Ucrânia adiantou que as baixas foram provocadas pelos bombardeamentos aéreos e pelos disparos de mísseis russos ocorridos hoje de manhã. 

O exército russo, até ao momento, não se referiu a baixas no terreno.

Citado pelas agências internacionais, o porta-voz do Ministério da Defesa da Rússia, general Igor Konachenkov, indicou que os "separatistas pró-russos" no leste da Ucrânia alcançaram ganhos territoriais e afirmou que a intervenção russa não visa cidades ucranianas, mas sim "infraestruturas militares, instalações de defesa aérea e aeródromos militares".

"A população civil não tem nada a recear", disse o oficial russo.

Cerca de dois mil ucranianos cruzaram hoje a fronteira com a Moldávia desde o início da operação militar da Rússia na Ucrânia, segundo indicou a ministra do Interior moldava, Anda Revenko.

Também está a ser verificado um fluxo de ucranianos que tentam entrar na Roménia em virtude dos novos ataques russos contra o território ucraniano, de acordo com a agência France-Presse (AFP).

A Rússia lançou hoje de madrugada uma ofensiva militar em território da Ucrânia, com forças terrestres e bombardeamento de alvos em várias cidades, que as autoridades ucranianas dizem ter provocado dezenas de mortos nas primeiras horas.

O ataque foi de imediato condenado pela generalidade da comunidade internacional e motivou reuniões de emergência de vários governos, incluindo o português, e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO), União Europeia (UE) e Conselho de Segurança da ONU.

Ucrânia: Von der Leyen promete sanções pesadas e avisa Putin para “não subestimar” a UE

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, anunciou hoje novas “sanções pesadas” contra a Rússia após a escalada da ofensiva militar russa na Ucrânia, avisando o Presidente russo para “não subestimar” a União Europeia (UE).

Numa curta declaração à imprensa em Bruxelas, a responsável explicou que as novas medidas restritivas visam “setores estratégicos da economia russa, bloqueando o acesso a tecnologias e mercados que são fundamentais para a Rússia”.

Von der Leyen assegura ainda que a UE vai enfraquecer a base económica da Rússia e a sua capacidade de modernização e, além disso, congelar os ativos russos na UE e impedir o acesso dos bancos russos aos mercados financeiros europeus”.

Tal como o primeiro pacote de sanções, o objetivo passa por “afetar os interesses do Kremlin e a sua capacidade de financiar a guerra”, explicou, Von der Leyen.

Líderes da UE discutem hoje escalada em cimeira de urgência em Bruxelas

Os chefes de Estado e de Governo da União Europeia (UE) discutem hoje o agravamento do conflito entre a Rússia e a Ucrânia, numa cimeira extraordinária em Bruxelas convocada de urgência na quarta-feira pelo presidente do Conselho Europeu.

A cimeira extraordinária, presencial e com início agendado para as 20:00 foi convocada face à escalada das tensões.

 A UE reagiu prontamente, com a adoção de um pacote de sanções dirigido a Moscovo, acordado pelos ministros dos Negócios Estrangeiros dos 27 na terça-feira, mas o presidente do Conselho Europeu entendeu ainda assim convocar uma cimeira de líderes para uma discussão ao mais alto nível sobre os últimos desenvolvimentos da crise a leste e da ameaça de uma nova guerra na Europa.

Aumento de voos. German Airways vai disponibilizar um avião à Luxair

A Luxair e a German Airways, a segunda maior companhia aérea alemã, assinaram um acordo de cooperarão.

A companhia aérea luxemburguesa fez um pedido de aluguer de um avião Embraer de 100 lugares, para poder assegurar o crescimento esperado das viagens de lazer, já a partir de maio de 2022.

O diretor-geral da Luxair, Gilles Feith, justifica este reforço com a "necessidade urgente" de libertar os Boeing 737 para rotas mais longas, com destinos de férias populares.

O operador turístico LuxairTours está com um grande aumento de reservas e vai abrir novas rotas, por exemplo, para Dakar, no Senegal.

Esta não é a primeira vez que a Luxair recorre a este tipo de aluguer temporário, conhecido como "wet lease, e que inclui o avião, a tripulação completa, a manutenção e o seguro do aparelho.

Abater um lobo pode dar multa até 750 mil euros no Luxemburgo

Abater um lobo ilegalmente durante a caça pode dar uma multa até 750 mil euros. Para além disso ainda pode dar uma pena de prisão, uma vez que o lobo é “uma espécie protegida” no Luxemburgo.

Numa resposta parlamentar, a ministra do ambiente, Carole Dieschbourg, explica que caso alguém mate um lobo durante a caça, pode incorrer uma multa que vai de 250 a 750 mil euros e a uma pena de prisão que pode ir de 8 dias a 6 meses.

A ministra acrescenta que caso alguém embata com um veículo contra um lobo, tem de avisar imediatamente as autoridades policiais. Um animal gravemente ferido tem de ser tratado, caso seja possível.

No documento fica-se ainda a saber que para a próxima semana está prevista uma apresentação desta espécie animal no âmbito do “World Wildlife Day” em Wincrange. Foi justamente nesta localidade, que um lobo foi visto e fotografado no início do mês de janeiro.

Redação Latina | Lusa / Foto AFP


Notícias relacionadas

Pessoas no metro de Kiev, Ucrânia, na manhã da invasão militar por parte da Rússia.
Família espera na estação de Kiev, Ucrânia.
Bombardeamentos em Chuguiv, Ucrânia.
Ukrainian military vehicles move through Independence Square in central Kyiv on Thursday