Gravações inéditas de Nirvana, Aretha Franklin ou Elton John destruídas em incêndio
Radio Latina 13.06.2019

Gravações inéditas de Nirvana, Aretha Franklin ou Elton John destruídas em incêndio

Gravações inéditas de Nirvana, Aretha Franklin ou Elton John destruídas em incêndio

Foto: Shutterstock
Radio Latina 13.06.2019

Gravações inéditas de Nirvana, Aretha Franklin ou Elton John destruídas em incêndio

Incidente foi considerado "o maior desastre na indústria da música".

Em 2008 um incêndio destruiu parte da Universal Studios, em Hollywood, nos EUA. Na altura, foi anunciado que só a área do cinema teria ardido (por exemplo, os cenários do filme "Regresso ao futuro). Mas 11 anos depois, uma investigação do The New York Times revela que foram perdidas milhares de gravações originais no já considerado "o maior desastre na indústria da música". 

O jornal norte-americano divulgou documentos da investigação judicial que aconteceu em 2009 onde é revelado que os "ativos destruídos" rondam os 118.230. Há, no entanto, um outro relatório confidencial divulgado pela reportagem "O dia em que a música ardeu" e que vai mais longe revelando que a própria produtora de música da Universal afirma ter perdido cerca de 500 mil músicas.   

Os danos são, de facto, irreparáveis com perdas de catálogos inteiros de artistas e músicas que constituem um vasto património cultural. A lista inclui praticamente todos os estilos, do jazz ao rock. Nomes como  Nirvana, R.E.M., Guns N' Roses, Elton John, Eminem, The Police ou Snoop Dogg perderam originais das suas músicas. 

Até "At Last" de Etta James foi consumida pelas chamas, tal como clássicos de Louis Armstrong, Aretha Franklin, John Coltrane, Dizzy Gillespie, Buddy Guy, Tom Petty e os Heartbreakers, Chuck Bery e Aretha Franklin, Duke Ellington ou Count Basie. O The New York Times acrescenta também que todo o catálogo musical de Billie Holiday desapareceu. 

Em reação à reportagem do jornal, a Universal afirmou que existem muitas contradições, dados incorretos e declarações enganosas. A editora afirma ainda que está "orgulhosa do seu legado". 

Alguns artistas também já vieram a público reagir ao trabalho do diário americano. Por exemplo, a banda R.E.M. anunciou na rede social Twitter que está a investigar os danos causados ao seu catálogo e que irá manter os fãs informados. 

Ana Patrícia Cardoso