Governo anuncia tripartida face ao forte aumento dos preços da energia
Radio Latina 9 min. 10.03.2022 Do nosso arquivo online
Atualidade em síntese 10 MAR 2022

Governo anuncia tripartida face ao forte aumento dos preços da energia

Atualidade em síntese 10 MAR 2022

Governo anuncia tripartida face ao forte aumento dos preços da energia

Radio Latina 9 min. 10.03.2022 Do nosso arquivo online
Atualidade em síntese 10 MAR 2022

Governo anuncia tripartida face ao forte aumento dos preços da energia

O objetivo desta reunião é encontrar soluções para ajudar tanto as famílias, como as empresas face ao impacto financeiro da situação atual.

Com a atual forte pressão inflacionista, que acarreta fortes aumentos dos preços da energia, o primeiro-ministro, Xavier Bettel, decidiu convidar os parceiros sociais para uma reunião do Comité de coordenação tripartida.

Num comunicado, o chefe de Estado sublinha que, na continuidade das medidas anunciadas a 28 de fevereiro, o objetivo desta reunião é encontrar soluções para ajudar tanto as famílias, como as empresas face ao impacto financeiro da situação atual.

Esta tripartida vai ao encontro do pedido da central sindical LCGB, que esta quinta-feira frisou que os preços da energia têm aumentado consideravelmente, chegando a valores nunca vistos no país.

Segundo a central sindical LCGB, a situação atual faz lembrar a crise de 1973, quando ocorreu o primeiro choque petrolífero. O sindicato frisa que, após dois anos difíceis de pandemia e uma nova guerra na Europa, é preciso evitar com urgência um tsunami económico e social. Daí a urgência em convocar uma tripartida nacional a fim de adotar um pacote de medidas para ajudar as empresas e garantir o poder de compra das famílias.

Um pedido ouvido pelo Governo, mas ainda não há data definida para a realização dessa reunião tripartida.

Patrões da construção disponíveis a dar trabalho aos refugiados ucranianos

A associação de empresários do setor da construção (Groupement des Entrepreneurs) está disponível a receber mão-de-obra proveniente da Ucrânia.

Este organismo, que está associado à Federação das Indústrias Luxemburguesas (Fedil), refere em comunicado que tudo deve ser feito para facilitar a chegada e a integração dos ucranianos no Luxemburgo, incluindo a oferta de trabalho a quem precisar.

A União Europeia anunciou recentemente que estes refugiados de guerra beneficiam de proteção temporária nos Estados-membros, sem ser necessário pedido de asilo.

Para os que chegam ao Luxemburgo, isto significa que não precisam de autorização de trabalho e podem ser contratados segundo o código de trabalho luxemburguês.

A associação de construtores encoraja os seus membros que desejem contratar refugiados ucranianos a declarar as ofertas junto da Administração para o Emprego (ADEM).

No entanto, a contratação não se afigura fácil já que os homens entre os 18 e os 60 anos foram proibidos pelo Governo da Ucrânia de deixar o país, para lutar contra as forças russas.

Ucrânia: ONU regista 549 mortos e 957 feridos entre a população civil

A guerra na Ucrânia provocou pelo menos 549 mortos e 957 feridos entre a população civil até quarta-feira, segundo dados divulgados hoje pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH).

Os dados referem-se ao período entre 24 de fevereiro, quando a Rússia iniciou a invasão da Ucrânia, e as 24:00 de ontem (hora local), correspondendo a 14 dias de combates.

A agência da ONU para os direitos humanos acredita que os números reais de baixas civis “são consideravelmente mais elevados, especialmente em território controlado pelo Governo” ucraniano, mais sujeito à ofensiva russa.

“A maioria das baixas civis registadas foi causada pela utilização de armas explosivas com uma vasta área de impacto, incluindo bombardeamentos de artilharia pesada e sistemas de mísseis, e ataques aéreos e de mísseis”, disse a agência da ONU.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos disse que "a receção de informações de alguns locais onde têm ocorrido hostilidades intensas tem sido adiada e muitos relatórios ainda estão pendentes de corroboração”.

Ucrânia. Differdange disponível para acolher 230 refugiados

A comuna de Differdange está pronta para acolher até 230 refugiados de guerra da Ucrânia. Os responsáveis da autarquia referem em comunicado que têm disponíveis 45 habitações no antigo hotel Gulliver Tower e mais 13 habitações no edifício Klenge Casino, no centro da cidade.

A todo, são 58 quartos, estúdios e apartamentos, que podem acomodar cerca de 230 refugiados.

A autarquia acrescenta que há mais 23 unidades habitacionais que estão a ser preparadas para breve, graças ao trabalho das empresas de Differdange que se mobilizaram em tempo recorde fazer obras.

Os responsáveis sublinham que a comuna tem uma "longa tradição em ajudar os mais necessitados" e qualificam esta guerra como injusta.

Governo “não pode confirmar nem desmentir” participação de luxemburgueses no conflito

No domingo, o ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, Dmytro Kouleba, anunciou que a legião de combatentes estrangeiros criada no final de fevereiro no país conta atualmente com cerca de 20 mil pessoas. Entre estes voluntários estarão cidadãos luxemburgueses, de acordo com a embaixada da Ucrânia em Bruxelas, citada pela Delano.

A revista refere que aquela entidade se recusou a revelar números por razões de segurança, mas confirmou que “se trata de um pequeno número” de cidadãos luxemburgueses que estarão a lutar ao lado dos ucranianos.

Questionado pelo Contacto, o gabinete de comunicação do ministério de Defesa afirma que “não pode confirmar nem desmentir esta informação” e refere que “não há uma lei específica” no Grão-Ducado que impeça a participação de luxemburgueses em conflitos armados noutros países.

Rússia continuará a atacar até exigências serem atendidas - Kuleba

A Rússia transmitiu hoje ao Governo ucraniano que continuará a atacar até que as suas exigências sejam atendidas, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros ucraniano, Dmytro Kuleba, após um encontro com o seu homólogo russo, Serguei Lavrov.

“Isso significa rendição, algo que não é aceitável", sublinhou Kuleba, assegurando que a Ucrânia "é forte e está a lutar” e que, apesar de estar disponível para procurar soluções, não se vai render.

As primeiras conversas diretas entre os ministros dos Negócios Estrangeiros russo e ucraniano começaram hoje de manhã, no sul da Turquia, o primeiro sucesso diplomático de Ancara, que ofereceu mediação desde o início da crise.

Esta é a primeira reunião deste nível desde que a Rússia invadiu a Ucrânia, em 24 de fevereiro.

O diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA), Rafael Grossi, deverá juntar-se ao encontro para “avançar na questão urgente da segurança e proteção” das instalações nucleares da Ucrânia, de acordo com uma mensagem que divulgou na rede social Twitter.

As autoridades de Kiev e Moscovo já se reuniram várias vezes, mas esta é a primeira vez que a Rússia envia um ministro para discussões sobre este conflito. Até agora, as conversações realizadas resultaram em vários cessar-fogos locais e na abertura de corredores humanitários para retirar civis, mas a Rússia foi sempre acusada de violar os acordos.

MNE ucraniano lamenta falta de progressos sobre cessar-fogo de 24 horas

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Ucrânia, Dmytro Kuleba, lamentou hoje a falta de progresso sobre um cessar-fogo no seu país nas negociações com o seu homólogo russo, Serguei Lavrov, que decorreram no sul da Turquia.

O ministro ucraniano disse à imprensa que os dois governantes falaram sobre um cessar-fogo de 24 horas no país, mas não foi feito nenhum progresso nesse sentido.

Dmytro Kuleba acrescentou, no entanto, ter decidido, em conjunto com Lavrov, "continuar as negociações".

UE já mobilizou 145 toneladas de ajuda essencial

A União Europeia (UE) já mobilizou 145 toneladas de artigos de ajuda essencial para a Ucrânia, avaliados em mais de 100 milhões de euros, disse hoje uma fonte comunitária à agência Lusa.

Através do seu Mecanismo de Proteção Civil, a UE está a canalizar uma quantidade sem precedentes de assistência à Ucrânia, incluindo ofertas de 29 países - todos os Estados-membros da UE, assim como a Noruega e a Turquia.

Ao todo, foram mobilizados cerca de 85 milhões de artigos, tais como 'kits' de primeiros socorros, vestuário de proteção, desinfetantes, tendas, equipamento de combate a incêndios, bombas de água, geradores de energia e combustível", indicou a fonte oficial da Comissão Europeia.

Ucrânia: Rússia anuncia que vai deixar de participar no Conselho da Europa

O Governo russo anunciou hoje que vai deixar de participar no Conselho da Europa e acusou os países da União Europeia (UE) e da NATO de minarem o organismo.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros russo salientou que a UE e a NATO mantêm uma postura “hostil” e salientou que mantêm “uma linha de destruição do espaço comum do Conselho da Europa a nível humanitário e jurídico”.

Por outro lado, afirmou que Moscovo “não participará” nos esforços para “transformar” o Conselho da Europa “noutra plataforma para exaltar a superioridade e o narcisismo ocidentais”.

Infeções aumentaram 2% na semana passada no Luxemburgo

As infeções por covid-19 no Luxemburgo aumentaram ligeiramente na semana de 28 de fevereiro a 6 de março. De acordo com o balanço semanal do Ministério da Saúde, o número de pessoas infetadas aumentou para um total de 4.794 pessoas, ou seja, um aumento de 2% em comparação com a semana anterior.

A idade média dos infetados aumentou ligeiramente para os 34,2 anos.

No que respeita às hospitalizações, houve 24 pacientes hospitalizados nos cuidados normais, mais três que na semana anterior. Nos cuidados intensivos estiveram ainda seis pessoas, menos uma do que no período anterior. A idade média dos hospitalizados diminuiu para os 57 anos (62 na semana passada).

Já o número de mortos devido à doença foi de sete pessoas, igual ao do período anterior. A idade média dos óbitos é agora de 88 anos.

Durante a semana passada foram administradas um total de 3.838 doses de vacinas, elevando o número total de vacinas administradas para 1.268.435. No total, 469.749 pessoas têm um calendário de vacinação completo, o que corresponde a uma taxa de vacinação de 78,2% da população elegível (a partir dos 5 anos).

Sporting de Braga recebe o Mónaco, de Gelson Martins

O Sporting de Braga procura hoje, no Minho, ganhar vantagem sobre o Mónaco, atual oitavo classificado da liga francesa, nos oitavos de final da Liga Europa de futebol, prova em que nunca foi afastado nesta fase.

Os bracarenses vão defrontar pela primeira vez o Mónaco, que conta com o internacional português Gelson Martins, nas competições europeias e nunca conseguiram superar equipas francesas.

O encontro está agendado para as 21:00, em Braga, e será arbitrado pelo alemão Felix Zwayer.

Na quarta-feira, o FC Porto perdeu por 1-0 na receção ao Lyon.

Na Liga dos Campeões, o Sporting confirmou ontem o ‘adeus’ à Liga dos Campeões de futebol, ao empatar 0-0 na visita ao Manchester City, em jogo da segunda mão dos oitavos de final, depois da goleada sofrida na primeira mão.

Redação Latina | Lusa | Foto Chris Karaba


Notícias relacionadas

Cerca de 90% dos que fugiram da Ucrânia são mulheres e crianças, dado que as autoridades ucranianas não permitem a saída de homens em idade militar devido à lei marcial.
Guerra na Ucrânia
O primeiro-ministro polaco, Mateusz Morawiecki, vê o presidente dos Estados Unidos, encontrar-se com refugiados da Guerra da Rússia contra a Ucrânia no estádio PGE Narodowy em Varsóvia.
Jodpillen können im Fall einer nuklearen Katastrophe Leben retten.
This handout picture released on February 19, 2022 by the press service of the General Staff of the Ukrainian Armed Forces in an unknown location of Ukraine shows Ukrainian soldiers taking part in exercises on February 18, 2022. (Photo by Armed Forces of Ukraine / AFP) / RESTRICTED TO EDITORIAL USE - MANDATORY CREDIT "AFP PHOTO / Ukrainian Armed Forces   - NO MARKETING NO ADVERTISING CAMPAIGNS - DISTRIBUTED AS A SERVICE TO CLIENTS