Euro2024. Entre 100 e 600 euros para assistir ao Luxemburgo – Portugal
Radio Latina 13 min. 15.11.2022
Atualidade em síntese 15 NOV 2022

Euro2024. Entre 100 e 600 euros para assistir ao Luxemburgo – Portugal

Atualidade em síntese 15 NOV 2022

Euro2024. Entre 100 e 600 euros para assistir ao Luxemburgo – Portugal

Radio Latina 13 min. 15.11.2022
Atualidade em síntese 15 NOV 2022

Euro2024. Entre 100 e 600 euros para assistir ao Luxemburgo – Portugal

A Federação Luxemburguesa de Futebol (FLF) coloca esta terça-feira à venda os bilhetes para os jogos que os ‘leões vermelhos’ vão disputar em casa na fase de qualificação para campeonato europeu de 2024.

Mas quem quiser assistir ao Luxemburgo – Portugal, de 26 de março próximo, vai ter de gastar pelo menos 100 euros. É que a FLF não vende ingressos únicos para cada jogo. Os bilhetes são vendidos em pacotes de cinco [ingressos]. Isto é, para assistir aos cinco jogos de apuramento que a seleção luxemburguesa de futebol vai disputar no Estádio do Luxemburgo.

Há várias categorias de bilhetes e por consequência vários preços. Na categoria 1, ou seja atrás das balizas, o pacote (para assistir aos cinco jogos) custa 100 euros. Fica por metade do preço (50 euros) para os jovens (nascidos a partir de 2007) com 15 anos ou menos. Na categoria 2, correspondente aos lugares nas bancadas laterais, o pacote fica por 200 euros, reduzindo para metade do preço (100 euros) para os jovens adolescentes. A FLF tem ainda à venda o pacote “Roude Léiw Club”, tribuna principal que inclui comes e bebes, por um preço de 600 euros.

Os pacotes incluem então ingressos para os jogos dos 'leões vermelhos', em casa, frente a Portugal (26 de março 2023 às 20:45), Lichtenstein (17 de junho às 15:00), Islândia (8 de setembro às 20:45), Eslováquia (16 de outubro às 20:45) e Bósnia Herzegovina (16 de novembro às 20:45). Os ingressos estão à venda a partir das 12h00 desta terça-feira, no site da FLF em www.flf.lu.


Partes de corpo encontradas na Alemanha são de Diana

As partes de um corpo encontradas na cidade alemã de Temmels, no distrito de Trier-Saarburg, no dia 1 de novembro, pertencem a Diana Santos, revelou esta terça-feira a Polícia de Trier. O Ministério Público de Diekirch também confirma a ligação.

Aquela entidade acrescenta ainda que "a investigação judicial luxemburguesa prossegue e, nesta fase, não é apropriado comunicar outros elementos da investigação".

Ainda não se sabe exatamente que partes foram encontradas, mas, segundo a imprensa alemã, terão sido a cabeça e as pernas.


Estado tem de indemnizar em caso de morte ou danos físicos permanentes relacionados com vacinação

Se uma vacinação imposta por lei ou regulamento, ou recomendada pelo Estado, provocar a morte ou incapacidade física permanente, cabe ao próprio Estado responder pelos danos. É o que prevê o primeiro artigo da lei de 4 de julho de 2000. Esta garantia voltou a ser dada pela ministra da Saúde, Paulette Lenert, em resposta a uma questão parlamentar da deputada Nathalie Oberweis, do Déi Lénk.

Para isso, a ministra explica que o pedido de indemnização deve ser acompanhado por documentos que comprovem a vacinação recomendada e comprovem a morte ou incapacidade física permanente relacionadas com a vacinação.

O pedido de indemnização deve ser feito ao Ministério da Saúde pela vítima, ou, em caso de morte, pelos herdeiros. O ministério vai depois analisar o caso através de uma perícia médica. Se ficar provado que a morte ou a sequela permanente estiveram ligadas à vacinação (e se o dano não for indemnizável ao abrigo do Código da Segurança Social), o Estado tem de assumir os custos.


Nova variante da Omicron está a ganhar terreno no Luxemburgo

A ministra da Saúde diz que se trata da mutação BQ.1, respetivamente BQ1.1, que se está a espalhar na Europa, e que deverá substituir a variante BA.5.

Paulette Lenert explica que esta nova mutação, representa atualmente 13% das novas infeções e que circula no Luxemburgo há cerca de sete semanas. Em números absolutos, as autoridades sanitárias registaram até à data, 242 infeções com esta variante. Para Lenert, os dados demonstram que esta mutação do SARS-CoV-2, não é tão contagiosa como inicialmente temido por parte dos peritos.

O Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças (ECDC) alertou em meados de outubro para a possibilidade de uma nova linhagem da variante Omicron passar a ser dominante na Europa até dezembro, o que poderá provocar um aumento de contágios.


Covid-19. Como obter baixa médica em caso de isolamento?

Com a entrada em vigor da nova “lei covid”, o funcionamento do rastreamento (Contact Tracing) de contactos foi adaptado. O Ministério da Saúde diz que caso uma pessoa tenha testado positivo à covid-19, tem de se colocar imediatamente em isolamento. Até aqui nada de novo, uma vez que sempre foi assim.

No entanto, a partir de agora, a pessoa com resultado positivo ao teste de covid-19 tem de preencher um formulário de “autodeclaração”, no site www.covid19.lu para poder obter baixa médica como justificativo para ficar em isolamento. Após o envio do formulário, a pessoa em questão irá receber uma SMS de confirmação. O número do remetente é o 621 203 000.

A nova “lei covid” entrou em vigor no final do mês de outubro. Com as novas regras, o período de isolamento de uma pessoa infetada com o SARS-CoV-2 passou a ser de quatro dias, em vez de sete.


Penúria de médicos nos hospitais é uma realidade”

“Os médicos nos hospitais estão a chegar ao limite das suas capacidades”. Quem é o diz é o médico e vice-presidente da Associação dos Médicos Hospitalares, Jean Reuter, em declarações à RTL.

Este responsável defende ser necessário melhorar as condições de trabalho dos médicos nos hospitais, salientando que “os médicos que se despedem dos hospitais continuam a exercer em consultórios privados”.

Jean Reuter diz que para evitar essa fuga de profissionais para o setor privado tem de haver uma valorização dos salários dos médicos hospitalares. Outra ideia seria criar um hospital universitário, necessário para completar a oferta de estudos em medicina por parte da Universidade do Luxemburgo.


CGFP propõe reforma antecipada para funcionários públicos que fazem turnos

A Confederação Geral da Função Pública (CGFP) esteve reunida esta segunda-feira, em conselho nacional, para discutir algumas medidas que afetam o setor. A principal proposta saída da reunião foi a reforma antecipada aos 57 anos para os funcionários públicos que trabalham por turnos durante, pelo menos, 20 anos.

A CGFP lembra em comunicado que o Governo também concordou recentemente com a implementação desta regulamentação, que “irá beneficiar milhares de funcionários do setor público”. No entanto, a proposta terá ainda de ser apresentada formalmente ao ministro da Função Pública.

A proposta de Orçamento de Estado para 2023 foi também tema de discussão na reunião, com a CGFP a pedir ao Executivo que apresente os números mais recentes o mais rápido possível e que introduza mais escalões de impostos para reduzir as desigualdades sociais. A confederação revela ainda que está a ser preparado um anteprojeto de lei que prevê assistência jurídica do Estado aos funcionários públicos em litígio.


Funcionários da Veritas com primeira convenção coletiva de trabalho

O sindicato OGBL e a direção das lojas Veritas assinaram a primeira convenção coletiva de trabalho (CCT) para os 29 funcionários da empresa. O acordo é válido até 31 de outubro de 2025.

Entre as medidas negociadas entre a OGBL e a cadeia de lojas de acessórios de vestuário estão o prémio de 150 euros para os funcionários que trabalhem mais de 30 horas semanais e o pagamento de um vale-refeição no valor de 6,80 euros.

Haverá a introdução de uma grelha salarial para as diferentes funções, o salário por hora será aumentado em 90% para o trabalho ao domingo, enquanto o trabalho noturno vai ter um aumento salarial de 15%. Os funcionários vão ter direito a pausas remuneradas de 15 minutos a partir de 4 horas de trabalho e várias outras regalias.


Capital. Animações de Natal com menos decorações e iluminação até 23h

As tradicionais animações de Natal da Cidade do Luxemburgo vão ter lugar entre 18 de novembro e 8 de janeiro de 2023. O anúncio foi feito esta segunda-feira pela autarquia da capital, que vai cumprir a promessa de reduzir o consumo de energia. As luzes de Natal que enfeitam as ruas e praças da capital vão estar acesas todos os dias, entre 16h30 e as 23h, exceto nos dias 24, 25, 26 e 31 de dezembro, quando a iluminação vai permanecer acesa até à 1h da noite.

Ao todo, vai haver uma redução de 19 para seis horas diárias de iluminação, para fazer face à crise energética. No mesmo sentido, vai haver também menos 265 decorações. Entre as animações de Natal mais concorridas, e que poderão ser visitadas este ano, estão o Mercado de Natal, na Place d'Armes, o Mercado de Inverno, na Place de la Constitution, o Mercado de São Nicolau, na Place de Paris, ou o Parque de Inverno, no Kinnekswiss.

Haverá ainda árvores de Natal com mais de dez metros de altura, roda gigante, trampolins, chalés com vinho quente e guloseimas, concertos e vários eventos.


Preços dos combustíveis em queda

Os combustíveis estão hoje mais baratos em todo o Grão-Ducado. Cada litro de gasolina sem chumbo 95 custa agora 1,640 euros. Trata-se de uma redução de 8,3 cêntimos face ao preço de segunda-feira.

O preço da gasolina de 98 octanas baixou para 1,873 euros, uma descida de 5,3 cêntimos por litro.

Já o gasóleo baixou 8,8 cêntimos para 1,737 euros por litro.


'Ação Inverno' arranca já esta terça-feira

Arranca mais cedo do que habitual. Normalmente, abre no dia 1 de dezembro. A Ação Inverno visa abrigar os sem-abrigo durante o tempo frio.

As estruturas temporárias de acolhimento encontram-se junto ao aeroporto do Findel. Os sem-abrigo têm acesso a refeições quentes, chuveiro, acompanhamento médico e a uma cama para dormir. A iniciativa dura até 15 de abril do próximo ano e pretende evitar que quem não tem domicílio fixo seja vítima de hipotermia durante o inverno.

Ao todo, as instalações dispõem de 250 camas, das quais 18 para mulheres. A ação é levada a cabo por quatro associações humanitárias: a Caritas, Cruz Vermelha, a Inter-Actions e a associação Dräieck. Cerca de 20 profissionais em regime de voluntariado participam no projeto. Pesa 1,8 milhões de euros nos cofres do Estado.


“Zero álcool ao volante” é a nova campanha de segurança rodoviária

O ministro da Mobilidade, François Bausch, e o presidente da associação Segurança Rodoviária, Paul Hammelmann, apresentaram esta segunda-feira a nova campanha de segurança rodoviária "Zero álcool ao volante".

Os dois responsáveis referem em comunicado conjunto que o objetivo da campanha é sensibilizar o público em geral sobre os perigos de conduzir embriagado e demonstrar que existem soluções para garantir um regresso seguro a casa, como os transportes públicos.

O álcool continua a ser a segunda principal causa de acidentes nas estradas do Luxemburgo. No ano passado houve 24 vítimas mortais a lamentar, um dos números mais altos. A maioria foram acidentes em que houve excesso de velocidade ou condução sob o efeito do álcool.

A nova campanha vai ser difundida na televisão, cinema, rádio, jornais, internet, redes sociais e publicidade no exterior, numa altura em que o consumo de álcool voltou a aumentar, no período pós-covid, e antes da época das festas de fim de ano.


Jean Asselborn participa em congresso mundial contra pena de morte

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Jean Asselborn, participa esta terça-feira no oitavo congresso mundial contra a pena de morte, em Berlim, a convite da sua homóloga alemã, Annalena Baerbock.

Organizado pela organização francesa "Ensemble Contre la Peine de Mort" (ECPM), o congresso vai reunir governantes de vários países e representantes da sociedade civil. O objetivo do encontro é o reforço do compromisso internacional para abolir a pena de morte e apoiar iniciativas nesse sentido.

 Asselborn vai fazer um discurso na sessão plenária dedicada à instrumentalização da pena de morte para fins políticos.


Luxemburgo tem o 17° melhor desempenho climático

O Luxemburgo ocupa o 17º lugar do Índice de Desempenho das Alterações Climáticas, tendo subido uma posição em relação ao ano passado, no ranking divulgado na COP27, a conferência da ONU sobre o clima que está atualmente a decorrer em Sharm el-Sheikh, no Egito.

A par de Malta, que está em 18º lugar, o Grão-Ducado fecha a lista de países a verde, isto é, com um alto desempenho climático. Também Portugal surge a verde, no 14º lugar, tendo subido duas posições em relação aos últimos dados devido ao fecho das centrais a carvão do Pego e de Sines e da publicação da Lei de Bases do Clima.

Em primeiro lugar, surge a Dinamarca, seguida da Suécia e do Chile. Também Marrocos, Índia, Estónia, Noruega e Reino Unido se encontram entre o grupo de países com o melhor desempenho climático.


Maiores potências discutem em Bali guerra na Ucrânia e problemas globais

Os líderes do G20 iniciam hoje uma cimeira de dois dias na ilha indonésia de Bali, que deverá ser marcada por divergências sobre a invasão russa da Ucrânia. Esta é a primeira cimeira do G20 desde que começou a guerra na Ucrânia, em 24 de fevereiro deste ano, e a falta de consenso poderá refletir-se na declaração final conjunta, como aconteceu na cimeira da Ásia Oriental, realizada no domingo.

O Presidente russo, Vladimir Putin, não participa na cimeira das 20 economias mais desenvolvidas e dos países emergentes, em que estará representado pelo seu ministro dos Negócios Estrangeiros, Serguei Lavrov. Moscovo alegou problemas de agenda e a necessidade de Putin permanecer na Rússia para justificar a ausência.

Apesar de a Ucrânia não integrar o G20, o Presidente Volodymyr Zelensky foi convidado pelo seu homólogo indonésio, Joko Widodo, presidente em exercício do grupo, a discursar por videoconferência.


Mundial2022: Portugal arranca preparação com 16 jogadores no treino

A seleção portuguesa de futebol realizou ontem o primeiro treino de preparação para o Mundial2022, numa sessão da qual estiveram ausentes 10 jogadores, que realizaram trabalho de recuperação.

Apesar de os 26 atletas convocados para o Campeonato do Mundo já se terem apresentado na Cidade do Futebol, em Oeiras, o selecionador Fernando Santos só contou com 16 elementos durante os 15 minutos de sessão abertos aos jornalistas.

Durante o período de sessão aberto à comunicação social, os 16 atletas fizeram aquecimento e exercícios com bola, sendo que as ‘objetivas’ estiveram quase todas direcionadas para Ronaldo, depois de na véspera terem sido divulgados excertos de uma entrevista em que o capitão da seleção nacional ‘arrasou’ o Manchester United e o treinador Erik ten Hag.

Redação Latina | LUSA |Foto: Gerry Schmit/Arquivo LW


Notícias relacionadas

Pour le responsable du réseau RGTR, «cette situation est tout simplement inacceptable»
In seiner Erklärung zur Lage des Landes betont Premier Xavier Bettel (DP) immerzu, dass seine Regierung Verantwortung übernommen hat - und weiter übernimmt, um den Krisen zu trotzen.