CovidCheck deixa de existir em restaurantes e atividades de lazer
Radio Latina 8 min. 04.03.2022 Do nosso arquivo online
Atualidade em síntese 04 MAR 2022

CovidCheck deixa de existir em restaurantes e atividades de lazer

Atualidade em síntese 04 MAR 2022

CovidCheck deixa de existir em restaurantes e atividades de lazer

Radio Latina 8 min. 04.03.2022 Do nosso arquivo online
Atualidade em síntese 04 MAR 2022

CovidCheck deixa de existir em restaurantes e atividades de lazer

Governo decidiu de acabar com o CovidCheck na maioria dos locais.

À imagem do que acontece noutros países, também o Luxemburgo decidiu aligeirar as medidas sanitárias devido à covid-19. O regime CovidCheck deixa de existir na maioria dos locais, como também o uso da máscara.

Tanto nos restaurantes, supermercados ou atividades de lazer, as pessoas deixam de ser obrigadas a usar a máscara de proteção. Porém, fica a recomendação de respeitar os gestos barreira.

Continua a ser obrigatório usar a máscara de proteção nos lares, hospitais, como também nos transportes públicos.

A apresentação dos certificados CovidCheck continua também a ser obrigatória nos lares de idosos e hospitais. Porém, nos restaurantes, cafés e atividades de lazer esta medida deixa de existir.

O primeiro-ministro, Xavier Bettel, esclareceu no entanto numa conferência de imprensa esta sexta-feira que é preciso continuar a ser vigilante, até porque a pandemia ainda não está erradicada.

Estas medidas só entrarão em vigor após o voto no Parlamento.

Presença da covid-19 nas águas residuais volta a aumentar

A presença do SARS-CoV-2 continua elevada no Luxemburgo. Apesar de o Instituto de Ciência e Tecnologia ter registado uma diminuição da presença do vírus há três semanas, no final da semana passada observou-se um ligeiro aumento dessa presença nas águas residuais do Luxemburgo. Um aumento que se situa, porém, muito abaixo dos valores registados no mês de janeiro.

Através de um processo de análise altamente sensível, os investigadores conseguem detetar pequenas quantidades do vírus nas amostras.

Este tipo de estudo é um instrumento importante, uma vez que permite detetar o aparecimento ou a reemergência do vírus no Luxemburgo, bem como possíveis novos aumentos da prevalência da covid-19 no país.

Aumento dos preços. Deputados apoiam medidas decididas pelo Governo

As diferentes medidas anunciadas pelo Governo para atenuar o impacto do aumento dos preços da energia para os agregados familiares têm o apoio da maioria dos deputados do Luxemburgo, embora alguns estejam a favor de outras medidas excecionais.

Os ministros da Família, Economia e Energia estiveram esta terça-feira em comissão parlamentar para dar explicações sobre as medidas.

No total, o Estado vai desembolsar 75 milhões de euros para apoiar as famílias afetadas pelo aumento do preço da energia. Na terça-feira ficou-se a saber que 12 milhões de euros vão ser atribuídos para estabilizar o preço da eletricidade, através de um aumento da participação do Estado, ou seja, o mecanismo de compensação.

Outros 45 milhões de euros estão destinados aos encargos temporários por parte do Estado para as despesas ligadas às redes de gás. O resto do montante é para financiar um subsídio único, que vai de 200 a 400 euros para os agregados familiares.

Os deputados saudaram o facto de esse subsídio não ser apenas destinado a famílias que beneficiam do subsídio de vida cara. De facto, o patamar para receber o subsídio único foi aumentado 25% em relação ao subsídio de vida cara. Note-se que atualmente 22 mil agregados familiares recebem o subsídio de vida cara.

O ministro da Economia, Franz Fayot, sublinhou ainda que o Governo não prevê “manipular a indexação”, apesar do aumento generalizado dos preços. Atualmente está previsto haver uma indexação dos salários na primavera, e uma segunda tranche deverá ocorrer mais tarde, mas ainda este ano. No entanto, o ministro espera que as medidas decididas pelo Executivo possam travar o aumento dos preços.

Ucrânia: Conselho de Segurança da ONU reúne-se ainda hoje para discutir ataque a central nuclear

O Conselho de Segurança da ONU vai reunir-se ainda hoje de urgência, a pedido do Reino Unido, para discutir as consequências dos bombardeamentos russos contra a maior central nuclear da Ucrânia.

A sessão pública – também apoiada pelos Estados Unidos, França, Noruega, Irlanda e Albânia - foi convocada a pedido do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson.

No início da manhã de hoje, não havia ainda qualquer indicação sobre se haverá uma resolução para aprovação no final da reunião.

A Rússia, como membro permanente do órgão, tem direito de veto em todas as decisões do Conselho de Segurança que não digam respeito a procedimentos.

Nas últimas horas, o Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, pediu à Rússia para que cesse as atividades militares na área da central nuclear de Zaporizhzhia.

Hoje de manhã, o exército russo ocupou a central e as autoridades ucranianas disseram que o incêndio, que deflagrou num laboratório, foi extinto, não havendo sinais de fugas de radioatividade.

Manifestação nacional pela paz convocada na capital para sábado

Foi convocada uma manifestação nacional pela paz na Ucrânia, no sábado (dia 5), na Cidade do Luxemburgo.

O ponto de encontro é a praça Clairefontaine, a partir das 15h, e decorre sob as atuais regras sanitárias.

A manifestação é organizada pela ASTI, OGBL, Movimento Ecológico, plataforma Solidariedade e Paz, e pela organização católica Justiça e Paz.

Os organizadores condenam, em comunicado, a invasão russa da Ucrânia, referindo que se trata de um golpe contra o direito internacional. As cinco plataformas instam os responsáveis a cessar imediatamente as operações de guerra e a optar por negociações diplomáticas sob a égide das Nações Unidas.

Os organizadores estão também preocupados com a escalada nuclear, pedem ajuda humanitária para a população ucraniana e exigem a retirada das tropas russas da Ucrânia.

Ucrânia: Tropas russas dizem ter destruído mais de 1.800 infraestruturas militares

As forças armadas russas destruíram 1.812 infraestruturas militares ucranianas desde o início da "operação especial" na Ucrânia, disse hoje um porta-voz do Ministério da Defesa russo.

A lista de alvos destruídos inclui “65 centros de comando e comunicações das forças armadas ucranianas, 56 sistemas de mísseis terra-ar e 59 estações de radar”, disse o major-general Igor Konashenkov, citado pela agência estatal TASS.

As tropas russas também destruíram “49 aviões no solo e 13 aeronaves no ar, 635 tanques e outros veículos blindados e aparelhos de combate.

A ONU deu conta de que mais de um milhão de pessoas fugiram para a Polónia, Hungria, Moldova e Roménia desde o início da invasão da Ucrânia.

Ucrânia. Tropas russas tomaram central nuclear de Zaporizhzhia

As tropas russas tomaram a central nuclear ucraniana de Zaporizhzhia, a maior da Europa, informou o regulador nuclear estatal da Ucrânia, acrescentando que a equipa da central controla o estado dos edifícios e garante seu correto funcionamento.

As forças russas terão bombardeado esta central nuclear na noite de quinta-feira. As autoridades locais garantem que os seis reatores de Zaporizhzhia não foram afetados e que o incêndio atingiu apenas um edifício e um laboratório do local.

Esta manhã, os bombeiros conseguiram apagar um incêndio que tinha deflagrado na central.

Luxemburgo cria centro de acolhimento para refugiados ucranianos

O Luxemburgo cria um centro de acolhimento para refugiados da Ucrânia.

Esta é uma das medidas divulgadas esta quinta-feira, em comunicado oficial, pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros e Europeus. Além de colocar esta infraestrutura à disposição dos recém-chegados, o Luxemburgo vai conceder-lhes um “estatuto de proteção temporária, que está prestes a ser aprovado a nível europeu”, assim como a todas as pessoas que chegaram nos últimos dias.

Isto significa que os cidadãos ucranianos não “precisam de tomar quaisquer medidas específicas para permanecerem no país”, já que serão notificados assim que este procedimento for ativado no Luxemburgo. Para obterem o estatuto em causa, os interessados devem contactar o Direção de Imigração do ministério e preenchendo, depois, o formulário que lhes será enviado.

Incêndio no Centro Penitenciário do Luxemburgo

Na tarde desta quinta-feira, um detido ateou fogo à sua cela no Centro Penitenciário do Luxemburgo. De acordo com a informação oficial do Governo, o homem em questão sofreu queimaduras em segundo grau nas mãos e no rosto, tendo sido transferido para o Hospital do Luxemburgo.

Cinco agentes prisionais e uma enfermeira psiquiátrica inalaram fumo e tiveram de receber cuidados médicos.

A polícia técnica do Departamento de Investigação Criminal está a conduzir a investigação.

Já é possível obter certificados de experiência profissional através de MyGuichet.lu

Quem pretender progredir na carreira, encontrar um novo emprego ou assumir novas responsabilidades pode agora optar por validar a sua experiência profissional através da plataforma digital MyGuichet.lu.

Segundo o Ministério da Educação, esta validação permite a obtenção de certificados e diplomas que reconhecem a experiência profissional e pessoal adquirida ao longo da vida. Todos os anos, mais de 350 pessoas iniciam esse processo junto do Departamento de Formação Profissional do Ministério da Educação.

Com o objetivo de facilitar a validação, a plataforma MyGuichet.lu disponibiliza agora questionários dinâmicos em francês e orienta os candidatos nas fases de admissibilidade e de validação.

Os documentos e certificados exigidos como comprovativos podem ser anexados através dos telemóveis, tablets ou da aplicação móvel MyGuichet.lu.

Como alternativa, os interessados podem solicitar o pedido de certificação da experiência adquirida por correio, utilizando os formulários disponíveis em Guichet.lu.

Redação Latina | Lusa | Foto Anouck Antony


Notícias relacionadas

Exercício militar na central de Zaporijia.
Accountant verify the Saving Account Book and Statement
Rafael Grossi, diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atómica.
TOPSHOT - An Ukrainian Territorial Defence fighter takes the automatic grenade launcher from a destroyed Russian infantry mobility vehicle GAZ Tigr after the fight in Kharkiv on February 27, 2022. - Ukrainian forces secured full control of Kharkiv on February 27, 2022 following street fighting with Russian troops in the country's second biggest city, the local governor said. (Photo by Sergey BOBOK / AFP)