Comissão Nacional de Ética contra vacinação obrigatória parcial
Radio Latina 6 min. 20.01.2022
Atualidade em síntese 20 JAN 2021

Comissão Nacional de Ética contra vacinação obrigatória parcial

Atualidade em síntese 20 JAN 2021

Comissão Nacional de Ética contra vacinação obrigatória parcial

Radio Latina 6 min. 20.01.2022
Atualidade em síntese 20 JAN 2021

Comissão Nacional de Ética contra vacinação obrigatória parcial

O facto de restringir a medida às pessoas com mais de 50 anos “fragiliza a solidariedade entre gerações”, refere o organismo.

A Comissão Nacional de Ética é contra a proposta dos peritos, que recomendam a vacinação obrigatória para as pessoas com mais de 50 anos e aos profissionais da Saúde e a outras profissões que contactam com pessoas vulneráveis.

No seu parecer, a Comissão sublinha que caso haja “obrigação”, esta não pode estar a cargo, apenas, de um grupo. O facto de restringir a medida às pessoas com mais de 50 anos “fragiliza a solidariedade entre gerações”, refere o organismo.

A Comissão de Ética acrescenta que as pessoas que não pertencem ao grupo sujeito à obrigação vacinal, poderão com esta obrigação parcial, estar menos motivados para se vacinarem ou mesmo para respeitar as medidas sanitárias.

A organização relembra que mesmo se o risco de doença grave, para as pessoas com menos de 50 anos é menor, os efeitos do “long-covid” junto dos mais novos não pode ser ignorado.

Relativamente aos transfronteiriços, a Comissão é da opinião que a vacinação obrigatória não se pode limitar aos residentes, sendo que deve ser estendida às pessoas que vivem do outro lado da fronteira, mas que trabalham no Grão-Ducado. Um sistema 2G no local de trabalho seria uma forma de obrigar os transfronteiriços a vacinarem-se.

Parlamento dividido sobre a questão da obrigação vacinal

O Governo pronunciou-se esta quarta-feira a favor de uma obrigação vacinal. Logo no início do debate, o primeiro-ministro, a ministra da Saúde e a ministra da Justiça explicaram que tanto os peritos como as estatísticas demonstram que a vacinação obrigatória é essencial, pelo menos para uma parte da população.

Um grupo de peritos independentes recomendou esta semana que a vacinação seja obrigatória para as pessoas com mais de 50 anos e aos profissionais de Saúde e a outras profissões que contactam com pessoas vulneráveis.

Durante o seu discurso a ministra da Saúde frisou que a vacinação obrigatória é a última solução, e que depois de dois anos de pandemia é preciso preparar essa eventualidade, até porque há que prever um novo aumento de casos, no próximo Outono.

Do lado da oposição, o deputado do partido cristão social, Claude Wiseler, mostrou-se claramente a favor da vacinação obrigatória no país e não somente de forma setorial, mas geral, para todos com mais de 18 anos que trabalham e vivem no Grão-Ducado. Para o deputado, a lei deveria ser votada em fevereiro ou o mais tardar em março, para que todos tenham tempo de se conformar com a situação. Adiar o voto para setembro é “andar a correr atrás da pandemia”, frisa Claude Wiseler.

Em contrapartida, a deputada do partido déi Lénk, Nathalie Oberweis, diz não perceber a necessidade de instaurar, agora, uma obrigação vacinal, embora acrescente que o seu partido não é contra uma vacinação obrigatória. No entanto, diz que é preciso provar cientificamente que essa medida é necessária, o que segundo a deputada não é atualmente o caso.

Os Piratas dizem-se “para já” contra a vacinação obrigatória, mas acrescentam que se a situação mudar, estes não se opõem a uma obrigação vacinal. Para o deputado Sven Clement, a atual situação sanitária do Luxemburgo não justifica uma tal medida.

Do lado do ADR, o deputado Fernand Kartheiser mostrou-se claramente contra a obrigação vacinal, favorizando a liberdade de cada pessoa. Para este político, o Executivo está a praticar uma “política do medo”, o que não é benéfico para o país.

Covid.19. Casos continuam a aumentar no Luxemburgo

As novas infeções por covid-19 aumentaram 8% no espaço de uma semana, de acordo com o boletim semanal do Ministério da Saúde. Em termos absolutos na última semana foram contabilizadas 11.728 pessoas com teste positivo, quando na semana anterior foram 10.680.

Entre 10 e 16 de janeiro, morreram mais sete pessoas da doença. A idade média entre os óbitos é de 78 anos.

Durante a semana passada, a idade média dos infetados diminuiu para os 28 anos. No total foram realizados 37.804 testes, mais do que na semana anterior.

Relativamente às hospitalizações, 26 dos 48 pacientes não estavam vacinados. Nos cuidados intensivos 14 das 19 pessoas não tinham sido inoculadas.

108 residentes de lares estão infetados com covid-19

A ministra da Família confirmou 108 casos positivos nos lares de idosos do Luemburgo. Na semana passada, registaram-se 42.

No Facebook, a ministra da Família, Corinne Cahen, confirmou que 108 pessoas tinham testado positivo para o coronavírus - mais do dobro, portanto da senana anterior - e cinco estão internadas nos hospitais do Grão-Ducado.

A ministra garantiu ainda que todos os infetados tinham levado dose de reforço e ninguém apresenta sinais da forma mais grave da doença.

Covid-19. Luxemburgo continua a ultrapassar a barreira dos 2000 novos casos por dia

O Luxemburgo registou ontem 2.551 novos casos de covid-19, num total de 6.900 testes de diagnóstico realizados.

O país reportou mais 1 morte atribuída à covid-19. O número total de óbitos associados a esta doença sobe para 941.

Relativamente aos internamentos hospitalares, o Ministério da Saúde revela que estão internadas 72 pessoas, das quais 15 nos cuidados intensivos.

Bombeiros profissionais reforçados com mais 38 efetivos

A corporação de bombeiros profissionais do Luxemburgo vai ser reforçada com mais 38 efetivos.

A cerimónia de tomada de posse vai ter lugar esta quinta-feira, a partir das 11h, no Centro Nacional de Incêndio e Socorros.

Os novos bombeiros iniciaram a sua formação em fevereiro de 2020 e passaram ainda por um estágio prático.

A ministra do Interior, Taina Bofferding, e a presidente do conselho de administração da Corporação Grã-Ducal de Incêndio e Socorros, Lydie Polfer, vão presidir a cerimónia de tomada de posse dos novos 38 bombeiros profissionais.

Chuva de milhões. Euromilhões vai sortear 100 milionários esta sexta-feira

O Euromilhões vai premiar esta sexta-feira 100 apostadores com um milhão de euros cada.

A Loterie Nationale refere em comunicado que esta "chuva de milionários" inclui o Luxemburgo, Portugal e os restantes sete países da comunidade Euromilhões.

Para participar, os apostadores irão receber um código alfanumérico constituído por quatro letras e cinco números. No Luxemburgo, a primeira letra desse código é "L" (para identificar o país), que será impresso no recibo normal de apostas com a designação do sorteio.

Este sorteio especial é gratuito e o seu prémio pode ser acumulado com o prémio do sorteio normal.

Outra novidade é que haverá ainda um jackpot de 17 milhões de euros para esta sexta-feira.

Redação Latina | Lusa | Foto DPA


Notícias relacionadas

O primeiro-ministro Xavier Bettel está a preparar o projeto de lei para a imposição da vacinação obrigatória no Luxemburgo.
A Câmara dos Deputados debateu esta tarde a obrigação vacinal no Luxemburgo.
ARCHIV - 08.04.2021, Niedersachsen, Hannover: ILLUSTRATION - Ein Corona-Selbsttest, fotografiert mit neben dem Etui eines Grundschülers. In zahlreichen Bundesländern geht der Unterricht nach den Osterferien mit einer Corona-Testpflicht weiter. Ohne negatives Testergebnis ist der Besuch des Unterrichts nicht möglich. (zu dpa «Corona-Test vor dem Frühstück - Für Schulkinder gelten neue Regeln») Foto: Julian Stratenschulte/dpa +++ dpa-Bildfunk +++
ARCHIV - 08.12.2021, Sachsen, Leipzig: Ein Kinderarzt impft ein 7-jähriges Mädchen gegen das Covid19-Virus. (zu dpa: «Ansturm auf Beratung» zu Corona-Impfstoff bei Kindern») Foto: Jan Woitas/dpa-Zentralbild/dpa +++ dpa-Bildfunk +++