Coachella. O festival em que ninguém se lembra da música
Radio Latina 42 5 min. 17.04.2019

Coachella. O festival em que ninguém se lembra da música

Coachella. O festival em que ninguém se lembra da música

Foto: Instagram
Radio Latina 42 5 min. 17.04.2019

Coachella. O festival em que ninguém se lembra da música

É o festival de que mais gente fala e com mais posts no instagram. A moda passou a ser mais importante do que a música. Já lhe chamam as “olimpíadas das influencers”. Por isso, as marcas convidam estes profissionais das redes sociais. É a forma de ir ao Coachella, o evento mais caro do ano, gastando muito pouco.

 É o festival mais caro do mundo, o mais procurado e o mais badalado. E o spot de todas as celebridades. É onde se vai para ver, mas sobretudo para se ser visto….nas redes sociais. É isto que irá acontecer no próximo fim-de-semana, 20 e 21 de Abril, o último da edição deste ano do Coachella, em Indio, Califórnia.

Se há 20 anos Coachella se estreou como um evento de música, hoje já é muito mais do que isso. Continua a ter um cartaz espetacular sim, com os melhores do momento, mas muitos dos festivaleiros, uma boa percentagem dos milhares que lá vão, estão lá porque aquele é um dos eventos mais trendy do ano, onde se desfilam looks sem passerelles, se ditam tendências e se fotografa looks como em nenhum outro festival se faz.

Metade do planeta deseja viver esta experiência, pelo menos, uma vez na vida. Mas nem todos o conseguem. Os preços são um grande entrave. Este ano, os bilhetes vão desde 380 euros até aos nove mil euros, segundo a Business Insider. O campismo, vai desde os 130 euros por noite aos 9 mil também, este último de superluxo.

Também há pacotes com passe, dormida e transporte incluídos, desde os 2400 até aos sete mil. Uma simples cerveja custa entre sete a onze euros e um taco, o mais baratinho para enganar a fome, 11 euros. Ou seja, num fim de semana gasta-se cerca de 150 euros, só em alimentação. E sem grandes loucuras, afiança a Business Insider. Tudo isto, sem contar com o bilhete de avião, para quem não mora para aqueles lados, até Los Angeles, que dista 214 quilómetros, do vale de Coachella.

Aqui, grátis mesmo, só a água dos bebedouros que estão espalhados pelo recinto, mas não são muitos. E o calor imenso que se faz de dia, afinal o festival acontece no deserto da Califórnia, torna quase impossível resistir a uma bebida fresca, ou a uma cerveja. Um festivaleiro contou à Forbes que, num fim de semana em Coachella gastou quase 1500 euros.

Como ir ao Festival com tudo pago

No entanto, há quem consiga ir gastando muito pouco dinheiro. Como? Sendo convidado por uma empresa, ou sendo influencer, uma das novas profissões do momento.

Modelos da Victoria's Secret, como Alessandra Ambrósio, Gigi Hadid ou a portuguesa Sara Sampaio são já habitués deste evento, o festival mais fashionista de todos. Também Paris Hilton, e as atrizes Vanessa Hudgens e Kate Bosworth é raro perderem uma edição. Para não falar nas irmãs Jenner, do clã Kardashian. A maioria delas é embaixadora de marcas. Isto apesar de poderem pagar a sua própria estadia.

Todas elas contribuíram para que este festival se tornasse na referência boho chic do ano. Algo que está a mudar. Por causa das novas festivaleiras: as influencers.

Este ano, o Coachella foi batizado como “as olimpíadas das influencers”. Não há profissional, desta nova atividade das redes sociais que não queira lá estar. Mas para tal, é preciso ter já um número simpático de seguidores, que atraia as marcas para se ser convidado. E ir sem se gastar quase nada, claro.

Dos cinco portugueses conhecidos, que este ano postaram fotos neste primeiro fim-de-semana, no Coachella (sem contar com Sara Sampaio), duas são influencers. Helena Coelho (Make Up&Beauty) tem 243 mil seguidores e Carlota Sardinha, com 51,9 mil seguidores, foram ao evento e nas fotos que postaram no instagram colocaram hashtags de uma marca de cosmética. Helena Coelho faz mesmo referência à marca nas legendas.

Nos dois fins-de-semana que dura o evento, o instagram quase não sobrevive ao aumento de tráfego gerado pelo Coachella. Não há certamente, quase ninguém no planeta, que não tenha no seu feed, pelo menos uma imagem de alguém neste festival, conhecido, desconhecido, celebridade ou não. É um dos eventos que mais agita as redes sociais. Elementos de uma fórmula que agrada não só às influencers como às próprias marcas.

Coachella é o “El Dorado” das marcas

Para as grandes empresas este é o local eleito para promover os seus produtos, roupa e acessórios. Melhor do que qualquer campanha de marketing, afiançam. A divulgação que as influencers fazem dos seus produtos é muito mais abrangente e mais direcionada para o público alvo do que qualquer outra ação promocional. E chega a muito mais milhares de pessoas no mundo. Então, se for feita no Coachella, muito melhor.

A marca Revolver, da qual a top model Kendal Jenner, é embaixadora, é um dos exemplos. Dentro do Coachella há já o “Revolver Festival”, o mini-festival, onde no ano passado atuou Snoop Dogg, e que a cada ano se torna mais procurado.

No ano passado, esta empresa convidou 90 influencers de 14 países para irem ao Festival, com viagem, hotel pago e outras mordomias. Ali, distribuiu peças da sua marca por mais 450 influencers. Todas elas tiraram fotos e selfies vestidas com Revolver, com legendas e hashtags com o nome da companhia. Este é o evento mais importante do ano “para divulgar a nossa marca”, garante o Ceo da Revolver, Michael Mente, referindo que a empresa não olha a custos nas ações para o festival. Vale mais do que qualquer campanha publicitária, afiança.

“Coachella transformou-se num evento global, do qual todos falam e isso joga a nosso favor. Há tantas influencers no mundo que querem vir ao festival e ao mesmo tempo têm oportunidade de fazer parte da nossa marca”, salientou a responsável da Revolver, Raissa Gerona, citada pela revista “Fashionista”. Em 2018, a marca, “ultrapassou o orçamento” previsto para o Coachella mas “vale muito a pena”, esclarece Mente. E é assim que num festival de música, a música é relegada para segundo plano. Coachella transformou-se num festival de moda, que envolve muitos milhões.  

Paula Ferreira

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.