Bullying/Wilwerwiltz. Novas regras no autocarro. Pais continuam preocupados
Radio Latina 2 min. 17.10.2022
Luxemburgo

Bullying/Wilwerwiltz. Novas regras no autocarro. Pais continuam preocupados

Foto: Marc Wilwert
Luxemburgo

Bullying/Wilwerwiltz. Novas regras no autocarro. Pais continuam preocupados

Foto: Marc Wilwert
Radio Latina 2 min. 17.10.2022
Luxemburgo

Bullying/Wilwerwiltz. Novas regras no autocarro. Pais continuam preocupados

Crianças envolvidas têm agora lugares fixos no transporte.

O autocarro que leva as crianças de Wiltz à escola fundamental Schoulkauz, em Wilwerwiltz, tem novas regras. As crianças envolvidas no caso de bullying que a Rádio Latina noticiou na semana passada têm agora lugares fixos no transporte.

De acordo com a mãe do menino português de 10 anos, que, segundo os pais, é vítima de bullying desde janeiro de 2021, a informação foi dada à criança na sexta-feira por uma professora da escola. Os pais não foram informados pelo estabelecimento de ensino. Ficaram a saber pelo filho.

Ao que tudo indica, o principal agressor, de 12 anos, e o seu irmão mais novo, de nove, passam a ter de ir sentados nos bancos da frente, perto do condutor, ao passo que o menino português e o irmão mais novo, que frequenta a mesma escola, têm de se sentar nos lugares traseiros. Não se podem aproximar dentro do autocarro”, adiantou à rádio a mãe das crianças portuguesas, Cláudia Reis. “Agora nas instalações da escola, não sei”, acrescentou.

A redação da Rádio Latina questionou entretanto a escola sobre se esta foi uma medida tomada pelo estabelecimento de ensino ou pela comuna, responsável pela linha de autocarro. Aguardamos resposta.

Questionada sobre se a medida tranquilizou a família, Cláudia não esconde a preocupação. “A partir do momento em que soubemos que foi encontrada uma faca na mochila [do principal agressor], não estamos tranquilos em momento algum”, avançou à Rádio Latina Cláudia Reis por escrito. O episódio da faca foi contado a Cláudia pela mãe do principal agressor.


Bullying/Wilwerwiltz. Ministério diz que escola cumpriu o seu papel
Em entrevista à Rádio Latina, Alex Folscheid, do gabinete do ministro da Educação, esclarece que a escola não é responsável pelo transporte escolar.

A Rádio Latina divulgou na semana passada o testemunho de uma mãe portuguesa, residente em Wiltz, que nos contou o caso de bullying de que um dos seus filhos tem sido vítima, na escola e no transporte escolar. Agressões físicas e verbais que terão deixado o menino numa situação de stress com medo de entrar no autocarro. Choros frequentes, noites mal dormidas e dores de barriga levaram o pediatra da criança a prescrever-lhe duas semanas de baixa médica no ano letivo passado. Em março passado, a família apresentou queixa na polícia. 

Diana Alves

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O caso aconteceu na escola primária da Grand-Rue, em Esch-sur-Alzette.