Biografia não autorizada revela o poder de Melania Trump
Radio Latina 5 min. 03.12.2019

Biografia não autorizada revela o poder de Melania Trump

Melania Trump

Biografia não autorizada revela o poder de Melania Trump

Melania Trump
AFP
Radio Latina 5 min. 03.12.2019

Biografia não autorizada revela o poder de Melania Trump

'Free, Melania' mostra aspetos menos conhecidos da misteriosa primeira-dama dos Estados Unidos da América e a sua complexa relação com Ivanka Trump.

A complexa relação entre a primeira-dama dos Estados Unidos da América, Melania Trump, e Ivanka Trump, a filha do presidente, Donald Trump, é um dos aspetos abordados no livro 'Free, Melania: The Unauthorized Biography', lançado esta terça-feira, 3 de dezembro. 

Escrita por Kate Bennet, correspondente da CNN na Casa Branca, que acompanha os assuntos da primeira-dama e da família Trump, esta biografia não autorizada revela aspetos menos conhecidos da misteriosa primeira-dama americana, a sua real influência política e, claro, algumas polémicas que têm marcado o seu cargo, ao longo deste primeiro mandato de Donald Trump. 

Pegando no hashtag #FreeMelania, que surgiu nos primeiros meses da presidência de Trump e que interpretava a postura pouco expansiva e fechada de Melania como um sinal de opressão por parte do marido, o livro vai desmistificando alguns pressupostos e mostrando traços menos conhecidos e mais reais da primeira-dama, de origem eslovena. 

Um casal, duas maneiras de estar contrastantes 

Enquanto Melania se apresentava publicamente como uma personalidade contida, silenciosa e aparentemente fria - sobretudo, considerando o casal presidencial antecessor, Michele e Barack Obama -, Donald Trump cedo se destacou pelo oposto. 

Enquanto presidente, a sua relação com os jornalistas e a opinião pública foi uma continuação da sua campanha: cáustica, polémica, frequentemente pouco rigorosa na fundamentação das declarações e inédita na forma de comunicar, com tweets diários, diretos e, muitas vezes, sem qualquer filtro político e diplomático. 

Melania, Donald Trump e o filho de ambos, Barron Trump.
Melania, Donald Trump e o filho de ambos, Barron Trump.
Foto: AFP

Tudo isso contribuiu para a imagem de submissão de Melania, que aos poucos foi sendo desconstruída. Os escândalos sexuais que envolveram o nome de Trump, nos últimos anos, nomeadamente a sua relação com a atriz de filmes pornográficos, Stormy Daniel, acabaram por mostrar uma primeira-dama menos permissiva que o inicialmente suposto, ao mesmo tempo que levaram a especulações sobre o grau de afeto e intimidade entre o casal. 

A biografia de Bennet confirma, por exemplo, que a primeira-dama tem um quarto separado do do marido, num piso diferente, na Casa Branca - um dos poucos detalhes do lado privado de Melania que é contado. 

Se há traço que o livro sublinha é o facto de a primeira-dama fazer questão de separar a esfera privada da pública. Por isso, mais do que grandes revelações, denúncias ou escândalos, o livro dá, segundo refere o jornal 'New York Times', uma perspetiva sobre a sua vida enquanto primeira-dama, as suas opiniões e relações com o staff da Casa da Branca - Melania é bastante acarinhada pelos funcionários - ou com outros membros do clã Trump. 

Foto: AFP


 Duas primeiras-damas 

A relação de Melania com a filha de Donald Trump é descrita, por Bennet, como "cordial, mas não próxima". Para isso, terá contribuído em grande parte, o facto de, no início do mandato presidencial, Melania ser rotulada pelos media de "modelo insípida" - em alusão à sua anterior profissão de manequim - e "mulher troféu", enquanto Ivanka aparecia com a imagem de mãe que geria ao mesmo tempo a sua carreira de empresária bem sucedida e com crescente ascendência política sobre o pai. 

Os cargos políticos que Trump atribuiu à filha, desde um gabinete informal na Casa Branca e a responsabilidades de representação no estrangeiro e em conferências ao mais alto nível, até à nomeação oficial de conselheira não remunerada, em março de 2017, reforçaram a sua importância ofuscando no papel público de Malania. 

Além disso, algumas das ações realizadas por Ivanka entravam na esfera habitualmente atribuída à primeira-dama, o que, segundo fontes ouvidas pela jornalista da CNN, terá gerado um certo mal-estar entre Melania e a filha do marido. 

 Mais influente do que parece 

Apesar de a ascendência de Ivanka sobre o pai sempre ter parecido superior à de Melania, a biografia de Kate Bennet mostra que essa perceção pública não corresponde exatamente à verdade. 

Numa adaptação da biografia, que a própria jornalista fez para o site daquela estação televisiva é dito que a primeira-dama americana é "muito mais poderosa e influente junto do marido do que o que se possa pensar". 

Foto: AFP


A esse respeito a jornalista lembra quando Melania exigiu publicamente a saída de Mira Ricardel do cargo de assessora-adjunta para a Segurança Nacional, há cerca de um ano. 

"Como o Presidente demorou a reagir a esse pedido, a primeira-dama simplesmente - e sem precedentes - fez uma declaração pública", lembra a jornalista, citando a referida declaração escrita que Melania fez divulgar na altura: "É posição do gabinete da Primeira-Dama que (Ricardel) deixou de merecer a honra de servir a Casa Branca".  

No dia seguinte a assessora demitiu-se e com isso, nota Bennet, Melania Trump provou que tinha poder suficiente para se impor politicamente, em diferentes assuntos. 

Esse caso foi um exemplo de conhecimento público, mas, segundo fontes familiares a que a jornalista teve acesso, Melania Trump influencia muitas das decisões do marido, tanto políticas como de gestão do seu staff. 

Além da influência que tem na ala este da Casa Branca, dedicada aos assuntos sociais e relacionados com as ações protocolares do cargo de primeira-dama, frequentemente, acrescenta a biografa nos destaques que fez para a CNN, Melania manifesta opiniões e debate com o marido questões de diversa ordem. Em muitos casos, mais do que uma vez por dia e através do telefone, quando não estão juntos. 

 O famoso e polémico casaco de Melania 

O livro alude ainda a escândalos que afetaram diretamente Melania e que tiveram a ver com as suas opções de guarda-roupa

Foto: AFP

O polémico casaco da Zara, de 35 euros, que Melania usou para visitar um campo de crianças imigrantes hospitalizadas e separadas dos seus pais e que tinha uma mensagem escrita em inglês, nas costas, onde se podia ler, "Eu realmente não me importo. E tu?", tem uma explicação muito própria, segundo a jornalista da CNN. 

Bennet diz em partes da biografia, citadas pelo New York Times, que apesar das muitas justificações apresentadas, a primeira dama terá usado aquele casaco como uma resposta a Ivanka Trump. "Acreditei, e continuo a acreditar, que esse casaco foi uma farpa jocosa dirigida a Ivanka e à sua tentativa constante de se associar aos pontos positivos da administração [do pai]", conclui a jornalista.   

Ana Tomás


Notícias relacionadas