Autotestes para quem não tem dose de reforço ‘anticovid’ e vacinação obrigatória à vista
Radio Latina 7 min. 27.12.2021
Atualidade em síntese 27 DEZ 2021

Autotestes para quem não tem dose de reforço ‘anticovid’ e vacinação obrigatória à vista

Atualidade em síntese 27 DEZ 2021

Autotestes para quem não tem dose de reforço ‘anticovid’ e vacinação obrigatória à vista

Radio Latina 7 min. 27.12.2021
Atualidade em síntese 27 DEZ 2021

Autotestes para quem não tem dose de reforço ‘anticovid’ e vacinação obrigatória à vista

Depois da pressão sobre os não vacinados, o Governo dificulta agora a vida aos que não têm a dose de reforço contra a covid-19.

Desde sábado que a nova lei covid obriga os vacinados que não têm dose de reforço a fazerem um autoteste para aceder a um café ou restaurante ou para entrarem num local que reúna mais de 20 pessoas. É o que o Governo chama de CovidCheck 2G+. A mesma condição é aplicada aos recuperados da doença: sem vacinação têm de fazer um autoteste no local para entrar nos estabelecimentos da horeca, ir ao cinema ou ainda assistir a um jogo de futebo

O primeiro-ministro, Xavier Bettel, não esconde que se trata de pressão sobre os vacinados para tomarem a dose de reforço face à preocupação gerada pela nova variante Omicron do SARS-CoV-2. Variante detetada em 64 pessoas no Luxemburgo.

Embora os primeiros conhecimentos sobre esta variante pareçam indicar que não provoca doença grave, sabe-se que é altamente transmissível. Com mais transmissões há mais infeções e por consequências mais quarentenas (baixas médicas). E são as quarentenas que o Governo quer evitar.

O Grão-Ducado não se pode permitir de ficar com menos profissionais de saúde ou bombeiros sem colocar em risco o bom desenrolar da sociedade.

O Governo insiste agora na toma da dose de reforço apesar de a Organização Mundial da Saúde (OMS) pedir aos países para não o fazerem já que África, por exemplo, precisa dessas vacinas para atingir a imunidade de grupo. A OMS diz que a pandemia não vai acabar enquanto as vacinas não chegarem a toda a população no mundo.

Por outro lado, o Luxemburgo decidiu vacinar todas as crianças dos 5 aos 11 anos. Isto contraria a posição do Conselho Superior de Doenças Infecciosas do Luxemburgo que recomendou a vacina apenas às crianças vulneráveis. Os médicos especialistas do Conselho consideraram que seria mais seguro esperar para generalizar a vacinação pediátrica, até surgirem mais dados clínicos sobre a vacina no desenvolvimento das crianças.

Vacinação obrigatória à vista

O Luxemburgo pondera tornar a vacinação ‘anticovid’ obrigatória. O Governo dá-se até meados de janeiro para tomar uma decisão, altura que o CovidCheck 3G será obrigatório nas empresas.

O primeiro-ministro, Xavier Bettel, revelou na sexta-feira no Parlamento que a ministra da Justiça, Sam Tanson, está a trabalhar num projeto de lei nesse sentido.

O Governo não descarta obrigar à vacinação, numa altura em que o país ultrapassou um milhão de doses administradas.

O Executivo aguarda o parecer do Conselho Superior das Doenças Infecciosas.


Vacina da Novavax esperada no Luxemburgo no primeiro trimestre de 2022

O Luxemburgo deverá receber à volta de 30 mil doses do novo fármaco Novavax nos primeiros três meses de 2022. Garantia dada pelo primeiro-ministro, Xavier Bettel.

A Comissão Europeia deu luz verde à vacina da farmacêutica norte-americana Novavax, na semana passada, depois de a Agência Europeia do Medicamento ter aprovado a utilização de emergência da Novavax, para pessoas a partir dos 18 anos. Esta é a quinta vacina a receber o aval do regulador europeu.

Ora, o primeiro-ministro diz que o Luxemburgo já encomendou esse fármaco que deverá chegar entre janeiro e março ao país. Bettel esclarece que o Executivo está ainda à espera do parecer do Conselho Superior das Doenças Infeciosas para saber de que forma é que esta vacina deve ser administrada, ou seja que faixa etária da população poderá tomá-la.

Os estudos revelam que a vacina desenvolvida pela Novavax tem uma eficácia de 90% contra a covid-19.

Vacinação na UE começou há um ano e já chegou a mais de 78% dos adultos

A vacinação na União Europeia (UE) arrancou há precisamente um ano. Até agora há 79,1% dos adultos totalmente vacinados, assinalou esta segunda-feira a presidente da Comissão Europeia.

Ursula von der Leyen divulgou um vídeo na rede social Twitter, em que sublinha que o atual "aumento do número de infeções e em particular a rápida propagação da [variante] Ómicron tornam a vacinação ainda mais importante".

Na mesma mensagem, a líder do executivo comunitário aproveitou ainda para agradecer a todos os profissionais do setor da saúde por trabalharem durante horas a fio "para administrar as vacinas" e também para cuidar dos doentes infetados.

Um ano após os países começarem a vacinar contra a covid-19, 289 milhões de adultos na UE estão totalmente vacinados. Apesar disso, registam-se recordes de infeções embora haja menos mortes e hospitalizações.

Luxemburgo vai ter cobertura 5G estável na fronteira com a Bélgica

Os três países que fazem parte do Benelux - Bélgica, Países Baixos e Luxemburgo - acordaram "juntar forças para alcançar uma conexão estável da rede 5G" nas suas fronteiras.

Sophie Wilmes, ministra dos Negócios Estrangeiros da Bélgica, que preside o Benelux em 2021, refere numa nota de imprensa que esta "boa cobertura" transfronteiriça do sinal 5G vai ter impacto na economia e na indústria, mas também nos veículos autónomos ou outros meios de transporte.

Além disso, a governante belga garante que a comunicação móvel através de smartphones vai ser "muito mais rápida".

O ministro dos Negócios Estrangeiros do Luxemburgo, Jean Asselborn esteve reunido, recentemente, com os homólogos do Benelux. No caso do Grão-Ducado, esta cobertura mais estável da rede 5G só vai ser implementada na fronteira com a Bélgica.


Agricultores em parada de Natal em hora dos profissionais de saúde

Mais de 400 tratores fizeram-se ontem à estrada, enfeitados de luzes de Natal. Os agricultores do Luxemburgo voltaram este ano a agradecer desta forma o trabalho dos profissionais de saúde do país.

Os 400 tratores divididos em vários grupos circularam até hospitais e lares, onde desfilaram e buzinaram, trazendo alguma alegria aos profissionais de saúde e aos utentes neste domingo de Natal.

A iniciativa cresceu. No ano passado, cerca de 200 agricultores aderiram à ação de agradecimento. Este ano foram mais de 400.

Na Bélgica, o desfile foi outro

Milhares de pessoas desfilaram ontem pelo centro de Bruxelas contra o encerramento obrigatório das salas de espetáculo, cinema e teatro devido à nova variante Ómicron do vírus SARS-CoV-2.

A Bélgica, que já tem medidas de contenção como o teletrabalho parcialmente obrigatório e o encerramento noturno de bares e restaurantes, proíbe a partir de agora grande parte das atividades culturais em espaços interiores à exceção de museus e bibliotecas.


Funeral de Desmond Tutu marcado para o próximo sábado

Morreu o ‘arcebispo do povo’. Desmond Tutu, arcebispo emérito sul-africano e vencedor do Prémio Nobel da Paz em 1984 pelo ativismo contra o regime de segregação racial ('apartheid'), morreu ontem na Cidade do Cabo. Tinha 90 anos.

O funeral do arcebispo vai realizar-se no próximo sábado na Catedral de São Jorge, a sua antiga paróquia na Cidade do Cabo.

O arcebispo anglicano estava debilitado há vários meses, durante os quais não falou em público, mas ainda cumprimentava os jornalistas que acompanhavam cada uma das suas saídas recentes, como quando foi tomar a sua vacina contra a covid-19 num hospital ou quando celebrou os seus 90 anos em outubro.


Recordes de infeções diárias em França, Itália e Dinamarca

Um ano após os países começarem a vacinar contra a covid-19 registam-se recordes de infeções embora haja menos mortes e hospitalizações.

França registou no domingo 100.000 casos diários de infeção e entrou na quinta vaga com receio de o país paralisar face ao aumento esperado de baixas médicas.

Itália também registou um novo recorde no sábado, com mais de 54.700 casos diários.

Na Dinamarca foram quase 14.900 novos casos nas últimas 24 horas. Desde que a variante Ómicron é a predominante neste país nórdico, que o número de infeções disparou.


Gouveia e Melo: dos submarinos à vacinação contra a covid-19

Em Portugal, o vice-almirante Henrique Gouveia e Melo toma hoje posse como novo Chefe do Estado-Maior da Armada. Vai substituir Mendes Calado que foi exonerado e que sai, segundo o próprio diz, mas não “por vontade própria”.

O novo Chefe do Estado-Maior da Armada, Gouveia e Melo passou 22 anos da sua carreira nos submarinos onde exerceu diversas funções operacionais. Até setembro, o vice-almirante coordenou a ‘task force’ da vacinação contra a covid em Portugal.


Redação Latina | Lusa | Foto AFP


Notícias relacionadas

Les personnes qui n'ont pas reçu de dose booster devront se faire tester pour se rendre au restaurant.
Depuis le 28 décembre 2020, le Luxembourg a administré 1.013.421 doses de vaccin anti-covid.
Mehr als 10.000 freie Stellen meldete die Adem im November.
Luxembourg's Prime Minister Xavier Bettel arrives for the Eastern Partnership summit at The European Council Building in Brussels on December 15, 2021. (Photo by JOHANNA GERON / POOL / AFP)
Telecran, Reportage Réidener-Schwämm / Redingen-Attert - Sicherheitskonzept Coronavirus, Schwimmbad, Piscine, Corona Virus, Covid-19, Foto: Chris Karaba/Luxemburger Wort
20.05.2008 Lecker essen - Maison Relais Caritas Grevenmacher Foto: Serge Waldbillig
23.11.2021 Illustration Covid 19 , Corona Virus Coronavirus Covid-19  Covidcheck Regime Covid Check , Schnelltest , Impfung ( Achtung : Spritze Impfung illustrativ nur ( nachgestellt) )  Foto : Marc Wilwert / Luxemburger Wort
Luxembourg's Chambre de Deputés parliament
Pour le ministre des Finances, cette avancée 2.0  va faciliter et accélérer le traitement des dossiers fiscaux.
19.11.2021 Eröffnung Weihnachtsmarkt Place de Paris Niklosmaart  , marché  de Noël , Foto : Marc Wilwert / Luxemburger Wort
Fotografia do local do acidente tirada pela Polícia Grã-Ducal.
Com a aplicação CovidCheck.lu qualquer residente pode verificar código QR do passe sanitário. (foto: John Schmit)