Autarquia da capital volta a ativar patrulhas de empresas privadas
Radio Latina 14 min. 07.06.2022
Atualidade em síntese 07 JUN 2022

Autarquia da capital volta a ativar patrulhas de empresas privadas

Atualidade em síntese 07 JUN 2022

Autarquia da capital volta a ativar patrulhas de empresas privadas

Radio Latina 14 min. 07.06.2022
Atualidade em síntese 07 JUN 2022

Autarquia da capital volta a ativar patrulhas de empresas privadas

O tráfico de droga e a insegurança transferiu-se do bairro da Gare para o centro da capital.

“Há mais patrulhas da polícia nas ruas da capital, tanto em uniforme como à paisana, mas ainda não chega”. Uma declaração da burgomestre da capital, Lydie Polfer, em entrevista à RTL.

No entanto, Lydie Polfer salienta que o tráfico de droga e a insegurança transferiu-se do bairro da Gare para o centro da capital, nomeadamente para o centro Hamilius e para o parque onde se situa o barco “pirata”.

Para a burgomestre, não se pode tolerar que haja seringas nos locais onde as crianças vão brincar. Daí ter decidido agir contra esse fenómeno.

Uma das pedidas consiste em voltar a ativar patrulhas de segurança de empresas privadas, mas somente na parte alta da capital e não no bairro da Gare.

Já no ano passado, a autarquia da capital recorreu a patrulhas privadas. Na altura, a autarquia foi acusada por vários partidos e organismos de estar a incorrer numa ilegalidade por permitir o uso de empresas privadas em missões reservadas à polícia. A polémica surgiu após o caso do cão patrulha da empresa G4S que atacou um homem.

O recurso às patrulhas da G4S foi justificado pela comuna da capital como mais um meio de combate ao tráfico de droga nas ruas da capital. No entanto, o contrato de vigilância nas ruas da capital com a empresa de segurança não foi renovado e terminou no dia 15 de novembro do ano passado.

Meio ano depois, a autarquia quer, porém, novamente solicitar a ajuda de patrulhas privadas para travar a criminalidade na Cidade do Luxemburgo.

UEL diz que há demasiados feriados e licenças no Luxemburgo

“Não é com feriados e licenças que o Luxemburgo se vai tornar mais atrativo”. É a posição defendida pela União das Empresas Luxemburguesas (UEL), que considera que o Grão-Ducado tem demasiados feriados e licenças especiais.

Numa publicação recente sobre o assunto, o organismo sublinha que além dos 26 dias de férias anuais e dos 11 feriados, o país dispõe de uma multitude de licenças especiais, como por exemplo as licenças desportiva, política, para formação ou para mandatos sociais ou ainda a licença por razões familiares ou para acompanhar uma pessoa em fim de vida.

A União das Empresas destaca ainda o projeto de lei que prevê criar uma licença cultural e um outro, já adotado pelo Conselho de Ministros, relativo aos funcionários comunais e que visa o equilíbrio entre a vida privada e profissional de pais.

Na nota divulgada sobre esta matéria, a UEL reforça que, “num contexto de penúria de mão de obra, a atratividade do Luxemburgo e o desenvolvimento económico do país no seio da Europa não passarão por um aumento de licenças nem por qualquer outra forma de redução do tempo de trabalho”. No entender da instituição, “os poderes públicos devem adotar políticas a favor de uma economia próspera e sustentável e assegurar o bom funcionamento e desenvolvimento das empresas”.

O organismo acrescenta que são depois as próprias empresas quem deve atribuir vantagens aos trabalhadores de forma a atrair mão de obra, e isto em função dos seus recursos e das realidades concretas do terreno.

Trabalhadores têm aumento nos salários já em julho

É já no próximo mês que vai aparecer o crédito fiscal de energia (CIE, na sigla em francês) nos recibos de vencimento, uma medida que faz parte do pacote de apoios do governo tendo em conta a subida da inflação e a escalada dos preços da energia. A medida, prevista para agosto, foi antecipada um mês.

O Crédito fiscal será finalmente pago a todas as pessoas que trabalham no Luxemburgo a partir de julho, com exceção dos “altos salários” superiores a 100.000 euros por ano.

É um aumento de 84 euros líquidos para salários inferiores a 3.667 euros brutos mensais.

Todos os salários inferiores ou iguais a 5.000 euros brutos vão beneficiar de um pouco mais de dinheiro com o Crédito fiscal do que o valor do índice. Para ter direito ao crédito fiscal de energia não é preciso fazer nada, ele será automaticamente adicionado à sua folha de salário.

Relatório 2021. Maioria das queixas que chegam ao Instituto de Regulação é sobre telecomunicações

O serviço de mediação do Instituto Luxemburguês de Regulação (ILR) recebeu 131 pedidos de intervenção em 2021. Em comparação com 2020 (134), houve apenas menos três casos.

Do total, 107 queixas referem-se aos serviços de comunicações eletrónicas (109 queixas em 2020), 12 sobre eletricidade e/ou gás natural (oito em 2020) e outras 12 sobre os serviços postais (17 em 2020).

O ILR refere no seu relatório anual que 86% dos pedidos de mediação que recebeu foram feitos através da internet. Quanto aos pedidos de intervenção provenientes do Serviço Nacional do Mediador do Consumidor representam 8%.

O instituto refere que a maioria dos pedidos de mediação recebidos em 2021 resultou em acordo entre as partes.

O ILR aconselha os consumidores a fazer uma reclamação por escrito à empresa em causa quando constatarem um problema. Esta é uma condição prévia para a mediação, já que o consumidor fica com uma prova escrita do seu litígio e a empresa poderá também regularizar a situação.

UE chega a acordo sobre base comum para salário mínimo europeu

Negociadores dos Estados-Membros e do Parlamento Europeu chegaram a acordo esta terça-feira sobre regras comuns para garantir um salário mínimo em cada país do bloco que assegure "um nível de vida decente". O valor vai alternar consoante o Estado-membro.

O texto prevê regras vinculativas nos 21 países da UE que já têm um salário mínimo para encorajar o seu aumento, impondo maior transparência na forma como é determinado.

No entanto, não estabelece um limiar mínimo europeu uniforme nem obriga à introdução de um rendimento mínimo nos seis países que não o têm e onde os níveis de rendimento são determinados por negociação coletiva. No entanto, a Suécia e a Dinamarca já advertiram que são contra o texto.

Esta oposição não deverá impedir o avanço do acordo, por maioria qualificada de Estados, na próxima reunião do Conselho Europeu.

Ano de 2021. CNS gastou 756 mil euros em transporte de doentes até ao estrangeiro

Os doentes com seguro de saúde que não conseguem receber tratamento médico no Luxemburgo e optam por viajar para o estrangeiro podem ser reembolsados nos custos de transporte.

Em 2021, e segundo dados provisórios apresentados pelo ministro da Segurança Social Claude Haagen, a Caixa Nacional de Saúde (CNS) reembolsou um total de 756 mil euros a 5.259 pessoas.

Na sua resposta parlamentar ao partido Pirata, o ministro esclarece que o valor total refere-se aos doentes com seguro de saúde do Luxemburgo e cujo transporte foi reembolsado por esse seguro.

Nos últimos cinco anos, o valor do reembolso mais elevado foi registado em 2017, com 1,207 milhões de euros para 10.631 doentes.

No ano seguinte o valor desceu ligeiramente para 1,129 milhões (10.314 pessoas), em 2019 o reembolso foi praticamente igual, com 1,172 milhões (9.947 pessoas), enquanto 2020 registou a maior quebra, com 652 mil euros (6.608 pessoas).

PIB aumenta 1,2% no primeiro trimestre de 2022

A atividade económica luxemburguesa recuperou no primeiro trimestre de 2022. O Produto Interno Bruto (PIB) real foi corrigido sazonalmente com um aumento de 1,2% face ao trimestre anterior (4° trimestre de 2021).

Na comparação homóloga, com igual período de 2021, o Instituto Nacional de Estatísticas luxemburguês (Statec) divulgou que o PIB aumentou 4%.

Quanto aos dados do flash conjuntura divulgados também pelo Statec, a produção industrial no Luxemburgo recuou em março 3,2% e as vendas a retalho recuaram 0,7%, isto comparando com o mês precedente.

Três meses depois do início do conflito na Ucrânia, tal como na zona euro, o Statec dá ainda conta de uma queda acentuada na confiança dos agentes económicos. O setor financeiro também sofreu, sobretudo devido à deterioração da conjuntura do mercado bolsista no início do ano.

Luxemburgo. Seca na primavera está a prejudicar agricultura

A falta de chuva e o tempo seco na primavera estão a afetar a agricultura e a viticultura no Luxemburgo. Esta é a principal conclusão do relatório apresentado pelo serviço meteorológico para a agricultura, AgriMeteo.

O mês de março apresentou temperaturas mais quentes do que o habitual, com, por exemplo, um grau celsius acima da média registada na estação de medição de Asselborn (comuna de Wincrange). Em termos de precipitação, o mês de março foi muito seco em todo o país.

Em abril, o tempo foi mais frio do que a média de referência, com temperaturas entre 7,5° graus e 9,6° graus. O AgriMeteo refere ainda que o tempo foi muito seco e que apenas Remich não registou défice de chuva.

Já o mês de maio foi muito quente, com temperaturas médias entre 13,3° e 16° graus. Apesar das chuvas torrenciais benéficas para a agricultura, o mês de maio permaneceu marcado pela seca.

Entre as culturas prejudicadas está o trigo de inverno, que pode ser ainda compensado se a chuva não diminuir nas próximas semanas. À exceção do milho, os cereais de verão foram também muito prejudicados pela seca.

Quanto à fruticultura, as geadas tardias do início de abril causaram danos limitados, principalmente nas pereiras. Devido à falta de chuva, outro problema é o alto custo da irrigação das hortaliças, refere o serviço meteorológico para a agricultura.

Quanto às videiras, as vinhas jovens começam a sofrer com a falta de água e requerem irrigação.

Mulher de 81 anos morre em acidente de viação

Um acidente rodoviário na N23 entre Hostert e Ospern, fez uma vítima mortal.

Segundo o relatório da polícia, o acidente ocorreu na segunda-feira à tarde por volta das 15:30. O automobilista perdeu por razões desconhecidas o controle do veículo e embateu contra uma árvore. A passageira, uma mulher de 81 anos morreu ainda no local do acidente.

O condutor foi transportado de helicóptero para o hospital.

O Ministério Público abriu uma investigação ao acidente e foi solicitada uma autópsia.

Polícia apela a testemunhas sobre morte de motociclista entre Wecker e Schorenshaff

O motociclista de 56 anos que chocou contra um trator na estrada CR133, entre Wecker e Schorenshaff, na passada quinta-feira, acabou por falecer devido a ferimentos graves.

O anúncio foi feito pela polícia grã-ducal numa nota enviada esta terça-feira às redações.

As autoridades estão agora a tentar recolher mais elementos sobre este grave acidente, que ocorreu por volta das 18h do dia 2 de junho.

Por motivos ainda não esclarecidos, o ‘motard’ perdeu o controlo do veículo, quando vinha de Wecker e seguia em direção a Grevenmacher.

A polícia refere que após cair no chão, o motociclista acabou por embater contra a roda de um trator parado à beira da estrada.

Qualquer informação sobre este acidente pode ser comunicada à esquadra da polícia de Museldall pelo telefone 244 70 1000 ou pelo email: police.museldall@police.etat.lu.

Cidadãos convidados a debater o desenvolvimento da política linguística luxemburguesa

Os cidadãos do país são novamente convidados a participar num debate sobre o desenvolvimento da política linguística luxemburguesa. À semelhança do que aconteceu em 2017, o Ministério da Educação volta a promover, a partir desta terça-feira, uma ronda de quatro debates com os cidadãos, nas quatro regiões do país.

A iniciativa “D’Sproocheronn 2022” arranca em Belval (edifício Terre-Rouge), neste dia 7 de junho, passando depois por Echternach (Liceu Clássico) no dia 9, pela cidade do Luxemburgo (Liceu Michel-Rodange) no dia 14 e por Clervaux (Liceu Edward Steichen) no dia 16. As sessões são abertas a toda a população e têm início marcado para as 19:00.

Os participantes terão assim a oportunidade de exprimirem as suas opiniões e ideias em três ateliês temáticos: ‘aprender luxemburguês’, ‘o luxemburguês no dia a dia’ e ‘o luxemburguês no século 21’.

Os interessados poderão também discutir os temas num fórum disponível no site www.lux.lu.

Procissão dançante regressou hoje a Echternach

O evento cultural e religioso, que não aconteceu nos últimos dois anos por conta da pandemia, voltou hoje a reunir milhares de pessoas em Echternach, para saltitar em homenagem ao padroeiro Santo Willibrord.

A secular procissão dançante de Echternach, classificada como Património Cultural Imaterial da UNESCO desde 2010, voltou finalmente ao centro histórico da cidade nesta terça-feira de Pentecostes.

Rússia mantém 2.500 prisioneiros da fábrica de Azovstal, diz Zelensky

A Rússia mantém prisioneiros cerca de 2.500 soldados que foram capturados na fábrica de Azovstal, na cidade costeira ucraniana de Mariupol.

Num encontro com jornalistas, divulgado por meios de comunicação social do país, o presidente do país, Volodymyr Zelensky, reconheceu, porém, que "é difícil saber ao certo quantos soldados foram levados do complexo de Azovstal, depois de semanas de bloqueio e bombardeamentos.

O chefe de Estado ucraniano disse que o Ministério da Defesa ucraniano está a trabalhar na libertação dos soldados, não avançando pormenores sobre a operação.

Zelensky considerou que os russos "não torturam os defensores ucranianos de Azovstal, porque não é do seu interesse fazê-lo", e explicou: "os nossos combatentes tornaram-se figuras públicas". O exército ucraniano defendeu a cidade portuária de Mariupol, no mar de Azov, ao longo de mais de 80 dias.

A retirada dos soldados ucranianos que se tinham refugiado nas instalações do complexo, bloqueado pelos invasores russos, começou a 16 de maio e durou vários dias.

Ucrânia. Quantidade de cereais bloqueados pode triplicar no outono - Zelensky

A quantidade de cereais destinados à exportação e bloqueados na Ucrânia devido à invasão russa pode triplicar no outono e atingir 75 milhões de toneladas, alertou o Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky.

Este defendeu a criação de corredores marítimos, referindo que está em negociações com a Turquia, Reino Unido e ONU.

As exportações por via marítima permitem escoar 10 milhões de toneladas por mês.

A Ucrânia, que antes da guerra com a Rússia era o quarto maior exportador mundial de trigo e milho, também está em conversações com a Polónia e os países bálticos para a exportação de pequenas quantidades de cereais por ferrovia.

A guerra provocou um aumento dos preços dos cereais e óleos, cujos valores superaram os alcançados durante a primavera árabe, em 2011, e os ‘motins alimentares’ de 2008.

A ONU teme "um furacão de fome", principalmente nos países africanos que importaram mais da metade do seu trigo da Ucrânia ou da Rússia.

Boris Johnson sobrevive a moção de censura

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, resistiu ontem a uma moção de censura interna no Partido Conservador ao conseguir 211 votos de apoio.

Numa votação secreta realizada no edifício do Parlamento em Londres, 211 deputados (59%) do Partido responderam sim à questão: “Ainda tem confiança em Boris Johnson como líder?”, enquanto 148 (41%) responderam que não.

O escândalo causado pelas festas ilegais na residência de Johnson em Downing Street durante a pandemia de covid-19 foi apontado como a principal causa de insatisfação interna, mas alguns deputados levantaram outras questões relacionadas com políticas do Governo.

Futebol. Luxemburgo procura segunda vitória seguida na Liga das Nações

A seleção de futebol do Luxemburgo joga às 20h45 desta terça-feira nas Ilhas Faroé, no segundo jogo do grupo 1 da Liga C da Taça das Nações 2022.

Depois da vitória fora de portas, no sábado, contra a Lituânia por 2-0, os leões vermelhos procuram a segunda vitória consecutiva, para já frente a adversários teoricamente mais acessíveis.

Entre os convocados pelo selecionador Luc Holtz há seis lusófonos: Marvin Martins, Mica Pinto, Leandro Barreiro, Christopher Martins, Gerson Rodrigues e Yvandro Borges.

No dia 11 de junho o Luxemburgo vai receber a Turquia e três dias depois (14) volta jogar contra as Ilhas Faroé, mas no Estádio Nacional, em Kockelsheuer.

Os restantes jogos contra a Turquia e a Lituânia serão disputados em setembro.

Redação Latina | Lusa | Foto Chris Karaba


Notícias relacionadas

Claude Wiseler / Foto: Elena Arens
Die Rettungskräfte langweilten sich am Samstagabend und am frühen Sonntag nicht.