Apenas 1% dos residentes usa o elétrico para ir trabalhar – sondagem

Apenas 1% dos residentes usa o elétrico para ir trabalhar – sondagem

Radio Latina 13.03.2018

Apenas 1% dos residentes usa o elétrico para ir trabalhar – sondagem

Apenas 1% dos residentes usa o elétrico da cidade do Luxemburgo para ir trabalhar, de acordo com uma sondagem elaborada pelo TNS-Ilres, a pedido do Ministério do Desenvolvimento Sustentável e Infraestruturas.

Cerca de 28% dos 1007 habitantes, entrevistados pelo TNS-ILres, usaram o novo meio de transporte da capital, durante as primeiras seis semanas da sua operacionalidade. A taxa equivale a cerca de um quarto dos sondados. No entanto, a esmagadora maioria (22%) afirmou que só recorre ao elétrico uma a três vezes por semana, ao passo que 4% disseram que o utilizam mais vezes, embora de forma irregular. Já a taxa de residentes que usa o elétrico para ir trabalhar é de apenas 1%. Essa é também a proporção de utentes que recorre ao meio de transporte para ir às compras.

Importa no entanto referir que a primeira parte do primeiro troço do elétrico, inaugurada a 10 de dezembro do ano passado, só garante o percurso entre a chamada Ponte Vermelha e a LuxExpo, em Kirchberg. A segunda parte, que vai chegar à Place de l'Etoile, deve ficar completa antes do verão.

O estudo de opinião do TNS-Ilres revela também que 83% dos sondados estão satisfeitos com este novo meio de transporte, 13% são da opinião contrária e 4% preferem não comentar.

Entre os vários elementos do projeto, o design e estética do elétrico são as componentes que mais agradam aos utentes,com 95% de opiniões positivas. Seguem-se depois o ordenamento das plataformas (92%) e o conforto no interior do elétrico (90%). Já sobre o projeto global de mobilidade, os novos 'park & ride' nas regiões fronteiriças e a extensão da rede ferroviária são os elementos mais apreciados pelos residentes.

Outros dados da sondagem mostram que 79% das pessoas inquiridas sentem-se bem informadas sobre o projeto e 77% recomendam a utilização do meio de transporte da capital.

Redação Latina