Alegada vítima do príncipe André. "O suor dele era tanto, como se estivesse a chover"
Radio Latina 3 min. 03.12.2019

Alegada vítima do príncipe André. "O suor dele era tanto, como se estivesse a chover"

Alegada vítima do príncipe André. "O suor dele era tanto, como se estivesse a chover"

Foto: DR
Radio Latina 3 min. 03.12.2019

Alegada vítima do príncipe André. "O suor dele era tanto, como se estivesse a chover"

Virginia Roberts Giuffre deu uma entrevista à BBC na passada segunda-feira, 2, e pediu ajuda aos britânicos que a apoiem neste processo. "Isto não é uma história sexual sórdida. Isto é uma história sobre tráfico humano".

Virginia Roberts, uma das vítimas do escândalo sexual que envolve Jeffrey Epstein, veio a público afirmar, em setembro, que foi obrigada a ter relações sexuais com o príncipe André, quando tinha apenas 17 anos.  

Na altura, Roberts e outras cinco mulheres deram uma entrevista para a NBC, onde contaram detalhes sobre o tempo que passaram com Epstein e a sua namorada, Ghislaine Maxwell. 

Num dos encontros programados com Maxwell, o filho da rainha Isabel II terá abusado da menor, segundo Virginia revelou: "Ele não foi rude nem nada disso. Eu estava em choque , não podia acreditar que a realeza também estava envolvida".   

Virginia deu nova entrevista para o programa Panorama da BBC, onde descreveu a noite em questão, em 2001, afirmando que foi Maxwell que a levou e ao príncipe à discoteca Tramp, em Londres, e que lhe disse à saída o que deveria fazer. “Ghislaine disse-me que tinha de fazer com o André aquilo que fazia com o Jeffrey e isso deixou-me enjoada”, afirmou Roberts. 

A alegada vítima garantiu que teve relações com o príncipe num apartamento da em Belgravia, nessa noite. "Ele é o dançarino mais horrível que eu já vi na vida”, declarou ainda a norte-americana, referindo-se à experiência com o príncipe André na discoteca. “O suor dele era tanto, como se estivesse a chover por todo o lado.”

Depois de dançar com o príncipe na discoteca, foram embora juntos. "Havia um banho, que começou ali e depois foi para o quarto. Não durou muito tempo, todo o procedimento. Foi nojento."

A alegada vítima afirma que o duque de York "não era mau nem nada, mas levantou-se e agradeceu e depois saiu e eu sentei-me na cama, apenas horrorizada e envergonhada e senti-me suja."

Virginia e o príncipe André
Virginia e o príncipe André

Virginia lembra aquela época como aterradora. "Foi uma época má na minha vida. Um momento realmente assustador. Eu tinha acabado de ser abusada por um membro da família real. Eu não conseguia entender como, no mais alto nível do governo, pessoas poderosas estavam a permitir que isto acontecesse. Não só a permitir, como a participar".  

A entrevista em questão surge como um apelo direto de Roberts para o povo britânico. "Eu imploro ao povo do Reino Unido que fique do meu lado, que me ajude a lutar contra essa luta, que não aceite isso como sendo 'OK'", disse ela. 

"Esta não é uma história de sexo sórdida. Esta é uma história de ser traficada. Esta é uma história de abuso e esta é uma história davossa realeza", rematou.

Palácio de Buckingham sai em defesa do príncipe 

Após uma desastrosa entrevista ao programa NewsNight da BBC, que tem sido apelidada de "car crash"(acidente de carro), André anunciou a sua retirada das funções públicas que lhe competem como terceiro filho da rainha Elizabeth II e o oitavo na linha de sucessão ao trono. 

No entanto, o Palácio de Buckingham surge agora em defesa do príncipe, após a entrevista de Virginia.   

"O Duque de York lamenta inequivocamente sua associação mal julgada com Jeffrey Epstein. O suicídio de Epstein deixou muitas perguntas sem resposta, particularmente para suas vítimas. O Duque simpatiza profundamente com aqueles afetados que querem alguma forma de encerramento. É sua esperança que, com o tempo, eles sejam capazes de reconstruir suas vidas."

Ao que parece, o filho da rainha está "disposto a ajudar qualquer agência policial apropriada em suas investigações, se necessário. O Duque já declarou que não viu, testemunhou ou suspeitou de qualquer comportamento do tipo que posteriormente levou à prisão e condenação de Jeffrey Epstein. Ele deplora a exploração de qualquer ser humano e não toleraria, participaria ou encorajaria tal comportamento".

Em relação às alegações feitas por Roberts, o comunicado afirma que "é enfaticamente negado que o Duque de York teve qualquer forma de contato ou relação sexual com Virginia Roberts. Qualquer afirmação em contrário é falsa e sem fundamento".

Ana Patrícia Cardoso 


Notícias relacionadas