Escolha as suas informações

Vendas de gasóleo estagnaram desde a subida do imposto sobre os combustíveis
Economia 22.10.2019

Vendas de gasóleo estagnaram desde a subida do imposto sobre os combustíveis

Vendas de gasóleo estagnaram desde a subida do imposto sobre os combustíveis

Economia 22.10.2019

Vendas de gasóleo estagnaram desde a subida do imposto sobre os combustíveis

Diana ALVES
Diana ALVES
Há menos automobilistas a encher o depósito de gasóleo no Luxemburgo. Desde que aumentou o imposto sobre os combustíveis que as vendas de gasóleo estagnaram no país.

A subida de um cêntimo no imposto sobre a gasolina e de dois cêntimos sobre o gasóleo, a vigorar desde 1 de maio, foi o tema central da reunião entre os membros da Comissão das Finanças e Orçamento e os responsáveis da Administração Aduaneira e Fiscal, no âmbito dos trabalhos parlamentares sobre o Orçamento do Estado para 2020.

Segundo os mais recentes dados, as previsões para 2019 mantêm-se: as estações de serviço do Luxemburgo deverão vender menos 100.000 litros de gasóleo este ano, o que equivale a uma perda de 35,5 milhões de euros em receita fiscal. No que diz respeito à gasolina, as vendas não sofreram para já qualquer impacto, verificando-se, aliás, um crescimento de 5,78% nos primeiros nove meses do ano.

No total, este ano, as receitas provenientes do imposto sobre os produtos petrolíferos deverão atingir 1,16 mil milhões de euros (170 milhões dos quais dizem respeito ao IVA).

O aumento do imposto sobre os combustíveis também se tem feito sentir ao nível de outros produtos à venda nas bombas de gasolina. Enquanto as vendas de cigarros aumentaram, as de tabaco de enrolar sofreram uma quebra. Mesmo assim, o Estado deverá encaixar 775 milhões de euros (170 milhões dos quais em IVA) este ano graças aos produtos de tabaco. Já em relação às bebidas alcoólicas, as receitas deverão rondar os 57 milhões de euros.

Quanto ao impacto da futura legislação sobre a canábis recreativa, que o Luxemburgo quer legalizar nos próximos dois anos, a Administração Aduaneira e Fiscal diz que os cálculos ainda não foram feitos devido à “falta de dados precisos”.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

Os impostos do futuro
Vêm aí novos impostos. A ideia parece certa, mas não se sabe ainda quando nem como. A culpa é da saída do Reino Unido da União Europeia. É que o grupo dos 27 vai ter de arranjar forma de compensar a redução que o Brexit vai provocar no orçamento comunitário.