Escolha as suas informações

Venda de combustível cai. Tabaco aumenta
Economia 27.10.2020

Venda de combustível cai. Tabaco aumenta

Venda de combustível cai. Tabaco aumenta

Foto: Marc Wilwert
Economia 27.10.2020

Venda de combustível cai. Tabaco aumenta

Susy MARTINS
Susy MARTINS
O confinamento mudou os hábitos dos consumidores até nos postos de abastecimento.

Segundo dados divulgados recentemente pela Autoridade Tributária e Aduaneira, a compra de combustível e de tabaco no mesmo ato deixaram de ser a realidade diária de muitos. O ano de 2020 está a demonstrar-se atípico, com a venda do combustível e a do tabaco a evoluírem de forma distinta.

Até ao final de setembro a venda de gasolina diminuiu 23%, representando uma perda de receitas fiscais no valor de 38 milhões de euros, em comparação com o mesmo período de 2019. Já a venda de gasóleo caiu 22%, o que significa menos 109 milhões de euros em impostos. Como expectável, durante o confinamento, a queda da venda de combustível foi ainda mais acentuada, com uma quebra de 50% no gasóleo e de 70% na gasolina. 

No entanto, a tendência comercial foi bem diferente no caso do tabaco. Embora a quantidade de cigarros vendidos diminuísse ligeiramente (-1,72%), a venda de tabaco de enrolar aumentou 8%, o que se traduz num excedente orçamental de 10,8 milhões de euros em prol da Autoridade Tributária e Aduaneira. Segundo a mesma entidade, após o confinamento os postos de abastecimento nas fronteiras com os países vizinhos chegaram mesmo a entrar em rutura de stock de tabaco de algumas marcas. A mesma situação verificou-se na venda de álcool, onde as receitas fiscais ultrapassaram o previsto. 


Tudo o que precisa saber sobre o Orçamento do Estado de 2021
Habitação a preços acessíveis, emissões poluentes taxadas, investimento recorde, mais saúde e solidariedade são as linhas mestras da proposta de Orçamento do Estado para 2021 que deixa pelo caminho a prometida reforma fiscal.

No total, entre impostos sobre o combustível e o tabaco, a Autoridade Tributária e Aduaneira registou uma perda de 150 milhões de euros até 30 de setembro deste ano. O Orçamento de Estado para 2021 prevê arrecadar 1,77 mil milhões de euros em receitas fiscais sobre tabaco e combustível.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas