Escolha as suas informações

Um terço dos contratos de trabalho no Luxemburgo são a termo
Economia 11.02.2020

Um terço dos contratos de trabalho no Luxemburgo são a termo

Um terço dos contratos de trabalho no Luxemburgo são a termo

Economia 11.02.2020

Um terço dos contratos de trabalho no Luxemburgo são a termo

Susy MARTINS
Susy MARTINS
Mais de metade dos contratos a prazo têm a duração de dois a seis meses.

Cerca de 28% dos contratos de trabalho assinados no Luxemburgo entre 2017 e 2019 são com vínculo a termo, os chamados CDD (contrats à durée déterminée, em francês). Em números absolutos foram assinados nesses dois anos 256.230 contratos, dos quais 71.880 eram contratos a termo.

Estes dados foram divulgados pelo ministro do Trabalho, Dan Kersch, em resposta ao deputado cristão-social (CSV) Marc Spautz.

Em 2018, a maioria dos contratos (52%) era contratos para um período de dois a seis meses. Já 21 % dos contratos tinham duração inferior a um mês. É no setor do comércio que mais se recorre a contratos a termo.

Segundo o ministro do Trabalho, em 2019, 5,6% dos contratos tinham prazo definido. Este número tem aumentado nos últimos anos, uma vez que os contratos a termo representavam em 2009, 3,7% do total dos contratos assinados no Grão-Ducado

Dan Kersch defende que embora os contratos sem termo (CDI, contrats à durée indéterminée) tenham de continuar a ser a regra, os contratos a termo permitem um primeiro contacto com o mercado de trabalho.


Notícias relacionadas

Trabalho temporário quase triplica no Luxemburgo
A Câmara dos Assalariados avaliou o trabalho temporário no país. Os chamados CDI estão em maioria, mas o trabalho temporário disparou. Quem tem um emprego temporário ganha menos e enfrenta um risco maior de cair na pobreza.