Escolha as suas informações

Turismo de combustível ganha força na fronteira França-Suíça
Economia 3 min. 09.09.2022
Preços

Turismo de combustível ganha força na fronteira França-Suíça

Preços

Turismo de combustível ganha força na fronteira França-Suíça

Foto: Christophe Gateau/dpa
Economia 3 min. 09.09.2022
Preços

Turismo de combustível ganha força na fronteira França-Suíça

AFP
AFP
O desconto de 38 cêntimos/litro, aprovado pelo Estado francês e pela TotalEnergies, têm levado centenas de pessoas a encher o depósito no país.

"Não esperava tanta gente na fila à beira da estrada", disse Blendi Bllaca, 23 anos, ao volante de um Volkswagen preto com matrícula de Genebra, ao observar a fila de carros amontoados na berma da estrada.

Há uma semana que as oito bombas nesta estação de serviço da TotalEnergies em Annemasse (Haute-Savoie), a cerca de 15 minutos de carro da fronteira, têm estado ocupadas de manhã à noite.


França. Governo quer desconto de 30 cêntimos nos combustíveis
Segundo o ministro da Economia, a medida permitiria ter combustível a 1,50 euros/litro em algumas bombas do país.

O número de visitantes mais do que duplicou, atingindo agora 1.700 pessoas por dia - incluindo uma grande clientela suíça, atraída pela perspetiva de um depósito cheio.

Alexandre Macaire, 45 anos, aproveitou a sua viagem de compras a França - onde a comida é mais barata - para encher o tanque rapidamente. "Estava muito perto, por isso aproveitei para poupar um pouco na bomba".

"Antes, podíamos ter dois a quatro em cada dez carros vindos da Suíça. Agora vamos conseguir quatro a cinco em cada dez carros suíços", explicou à AFP Shana Drut, funcionária da estação.

Diferença de 50 a 70 cêntimos em relação à Suíça

Com a entrada em vigor dos últimos descontos do Estado e da TotalEnergies no combustível, todos os clientes da gigante petrolífera francesa beneficiam de uma redução de 38 cêntimos por litro até 1 de outubro.

Estas são poupanças bem-vindas para os automobilistas suíços, cujo governo ainda não considerou necessário introduzir medidas para apoiar o seu poder de compra num país relativamente poupado pela inflação, que foi limitada a 3,4% em julho, em comparação com 6,1% em França.

Os suíços também a beneficiar de uma taxa de câmbio historicamente baixa: depois de atingir a paridade durante o verão, a moeda europeia fixou-se permanentemente abaixo do franco suíço, com um euro agora a ser transacionado a 0,97 francos.


Fim do desconto em bomba. Vamos passar a encher o depósito em França?
Esta quarta-feira termina o desconto dos combustíveis no Luxemburgo. Em França, a partir de 1 de setembro este desconto passa a ser de 30 cêntimos. Será o fim do turismo de combustível no Grão-Ducado?

Este desconto duplo representa "50 a 70 cêntimos (por litro) em relação à Suíça", calcula Michel Santos, genebrino de 41 anos, ou seja, uma "diferença agradável", entre 30 e 40 francos (entre 30,9 e 41,2 euros) para um tanque cheio.

Isto porque, se um litro de gasolina sem chumbo custa apenas 1,38 euros nesta estação, na realidade atinge 2,17EUR alguns quilómetros mais à frente, do outro lado da alfândega.

É o suficiente para reacender as tensões transfronteiriças, que são recorrentes numa região que tem muitos trabalhadores transfronteiriços franceses.

Tensões transfronteiriças reacendem-se

"Não devemos ajudar os ricos, não devemos ajudar os nossos amigos suíços. É absolutamente necessário que ajudemos os franceses que mais precisam", declarou Loïc Hervé, senador de Haute-Savoie, no início de agosto.

Alguns dias mais tarde, em resposta, Mauro Poggia, conselheiro de Estado (executivo) do cantão de Genebra, disse que se tratava de uma "tempestade numa lata de gasolina".

"Durante décadas (...) todos os trabalhadores transfronteiriços vieram encher os seus tanques na Suíça e não em França porque era mais barato", recordou, pois o combustível era menos tributado na Suíça.


Nas prateleiras dos supermercados, o aumento dos preços dos produtos já é bem visível.
Nas prateleiras dos supermercados franceses o aumento dos preços já é bem visível
Nas prateleiras dos supermercados franceses, os voluntários da associação de consumidores Familles Rurales verificam metodicamente os preços dos produtos e a inflação de muitos deles já é bem visível.

Face a este afluxo de clientes, a estação de serviço em Haute-Savoie enche-se agora todos os dias, ao contrário do que acontecia todos antes, e prepara-se para fazer alterações.

"Estamos à procura de pessoal para prestar serviço na estrada" e "para servir gasóleo ou gasolina", explica Shana Drut. "Não conseguimos gerir tudo."

A situação não vai melhorar: a estação está a preparar-se para o seu dia mais movimentado do ano por ocasião do feriado de Jeûne genevois, no fim de semana.

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.