Escolha as suas informações

Trabalhadores recebem 70,5% do salário bruto que lhes é pago

Trabalhadores recebem 70,5% do salário bruto que lhes é pago

Foto: Arquivo Luxemburger Wort
Economia 11.04.2019

Trabalhadores recebem 70,5% do salário bruto que lhes é pago

O trabalhador casado e com dois filhos leva, em média, mais dinheiro para casa ao fim do mês do que um solteiro sem filhos.

Um trabalhador com um salário médio, solteiro e sem filhos, recebeu no Luxemburgo, em 2018, em média, 70,5% do valor bruto que lhe foi pago, um valor ligeiramente inferior ao de 2017 (70,9%). Em Portugal a percentagem é de 73,4% (72,5% em 2017).

Dados hoje divulgados pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) no relatório "Carga Fiscal 2019" mostram que os impostos e as contribuições para a segurança social absorveram, em média, 29,5% do salário bruto dos trabalhadores no Luxemburgo 2018, tendo em conta um trabalhador com salário médio e sem filhos (29,1% em 2017).

Quanto ao trabalhador casado e com dois filhos, levou para casa, em média, 94,6% do seu salário bruto.

Este relatório mede também a "carga fiscal", um indicador que calcula o peso dos impostos e das contribuições no custo do trabalho.

De acordo com este indicador, o relatório mostra que os impostos e as contribuições para a segurança social pesaram, em 2018, 38,2% no salário médio de um trabalhador solteiro e sem filhos (37,8% em 2017). Neste indicador, o Luxemburgo subiu um lugar no espaço de um ano: em 2017 era 19° e em 2018 passou para o 18°. Já a média portuguesa é de 40,7%.

Já a carga fiscal, no Luxemburgo, para um trabalhador casado e com dois filhos chega a ser a mais baixa da OCDE, com 17% em 2018. Em Portugal é de 29%.

Quanto ao imposto sobre o rendimento e as contribuições para a segurança social do empregador, correspondem a 72% da carga fiscal total, em comparação com 77% da carga fiscal média total da OCDE.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.


Notícias relacionadas

"Portugal só é competitivo porque paga salários do terceiro mundo"
Quem o garante é um empresário nacional que explica que as costureiras dos seus clientes na China ganham mais 30 a 40% do salário das costureiras portuguesas. A afirmação coincide com o dia que foi divulgado o relatório do Observatório sobre Crises e Alternativas que revela que o emprego cresce em Portugal, mas os salários são mais baixos que no ano 2000.
Quem deve preencher o formulário de declaração de impostos?
Os contribuintes residentes no Luxemburgo que disponham de mais de 100 mil euros por ano de rendimentos devem preencher o formulário de declaração de impostos. Este valor é um dos quatro critérios estabelecidos pela administração fiscal, para a obrigatoriedade da declaração de impostos.
Reforma fiscal votada hoje no Parlamento
A reforma fiscal vai ser votada esta quarta-feira no Parlamento. "Tornar a fiscalidade luxemburguesa mais equitativa" é o mote da reforma fiscal, que deverá entrar em vigor a 1 de janeiro.
A reforma fiscal vai ser votada hoje no Parlamento
Eurostat: Carga fiscal baixou no Luxemburgo em 2015
A carga fiscal baixou no ano passado no Luxemburgo. De acordo com o Eurostat, a receita com impostos e contribuições para a Segurança Social representava 39,1% do Produto Interno Bruto, uma queda face aos 39,4% registados em 2014.
A carga fiscal caiu para 39,1%.