Escolha as suas informações

Trabalhadores fronteiriços. Ainda não há decisão entre Luxemburgo e França
Economia 2 min. 31.08.2022
Trabalho

Trabalhadores fronteiriços. Ainda não há decisão entre Luxemburgo e França

Trabalho

Trabalhadores fronteiriços. Ainda não há decisão entre Luxemburgo e França

Foto: DR
Economia 2 min. 31.08.2022
Trabalho

Trabalhadores fronteiriços. Ainda não há decisão entre Luxemburgo e França

Ana TOMÁS
Ana TOMÁS
No primeiro encontro com a líder do governo francês, Bettel apenas salientou o empenho do Luxemburgo em melhorar a cooperação entre os dois países, "como na questão do teletrabalho".

A quota de dias de teletrabalho para os trabalhadores transfronteiriços franceses continua a ser negociada entre os governos luxemburguês e francês, mas ainda não é claro que passos foram dados para a sua definição, durante a visita desta semana do primeiro-ministro, Xavier Bettel, a Paris.

O chefe de governo luxemburguês reuniu-se ontem com a sua homóloga francesa. Este foi o seu primeiro encontro oficial com Elisabeth Borne, enquanto primeira-ministra do país vizinho, e a reunião ficou marcada "por uma apreciação mútua da cooperação bilateral, particularmente da cooperação transfronteiriça entre os dois países vizinhos", refere o comunicado do gabinete de Xavier Bettel.


CGFP reivindica um dia de teletrabalho por semana para transfronteiriços
Transfronteiriços que trabalham na Função Pública no Luxemburgo não beneficiam das mesmas condições fiscais, em caso de teletrabalho, do que os trabalhadores do setor privado.

Ontem, num tweet, o primeiro-ministro luxemburguês tinha classificado de "excelente" o encontro, adiantando que um dos assuntos em cima da mesa "foi o papel crucial que a cooperação transfronteiriça desempenha" para os dois países, sem, contudo, dar outros detalhes.

O comunicado enviado hoje às redações, pelo seu gabinete, acrescenta que "Xavier Bettel salientou que o governo luxemburguês está constantemente a esforçar-se por melhorar as condições desta cooperação, como na questão do teletrabalho".

O jornal Le Quotidien avança que a quota de dias concedidos aos trabalhadores fronteiriços para trabalharem à distância foi de facto discutida durante a reunião entre os dois chefes de governo, mas as questões práticas terão de ser afinadas e debatidas noutro contexto. "Não é necessariamente esta a oportunidade para discutir as coisas em pormenor. É uma questão bastante técnica", afirmam fontes diplomáticas ouvidas pelo jornal. 


Teletrabalho. "Há quem sinta que o teto lhe vai cair em cima"
Associação Mobbing alerta para o lado obscuro de trabalhar em casa.

Apesar disso, refere o Le Quotidien, as negociações entre o Luxemburgo e a França "estão em curso", com os respetivos ministérios das Finanças a conduzir estas conversações: "As discussões são bastante complexas. Precisamos de saber para onde nos dirigimos, particularmente no que respeita ao número de dias a conceder", explicam as mesmas fontes.

Os acordos fiscais em relação ao regime de teletrabalho dos trabalhadores residentes nos países vizinhos, que foram implementados durante a pandemia, terminaram no final de junho.  

Como parte da sua visita de trabalho à capital francesa, o primeiro-ministro luxemburguês discutiu também com a sua homóloga francesa assuntos da atualidade, como a guerra na Ucrânia e as consequências geopolíticas do conflito, particularmente o fornecimento de energia e a segurança alimentar.

A visita de Xavier Bettel prosseguiu, esta quarta-feira, com um encontro com o presidente francês, Emmanuel Macron, que se centrou na política europeia e nas questões mais prementes, como "a procura, antes de mais, de soluções a nível europeu para a crise energética, bem como o estabelecimento de uma nova estrutura de cooperação no continente".

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas