Escolha as suas informações

Taxas de juro: BCE mantém juros baixos e programa de ativos
Economia 25.01.2018

Taxas de juro: BCE mantém juros baixos e programa de ativos

Taxas de juro: BCE mantém juros baixos e programa de ativos

Foto: AFP
Economia 25.01.2018

Taxas de juro: BCE mantém juros baixos e programa de ativos

O Banco Central Europeu (BCE) manteve as taxas de juro e manteve também a possibilidade de prolongar os estímulos monetários na zona euro.

O Banco Central Europeu (BCE) manteve as taxas de juro e manteve também a possibilidade de prolongar os estímulos monetários na zona euro.

Os analistas e investidores esperavam que o presidente daquela instituição, Mario Draghi, desse algumas indicações sobre a possibilidade de acabar com o programa de estímulos à economia da zona euro. Mas neste ponto também não houve novidades.

Assim, mantém-se a taxa de juro de referência nos 0%, taxa que determina o custo do crédito à economia e a taxa de depósitos nos -0,4%, fazendo com que os bancos tenham de pagar para terem o dinheiro parqueado no banco central.

Por sua vez, a taxa referente à facilidade permanente de cedência de liquidez também permaneceu em 0,25%.

No comunicado divulgado após a reunião de política monetária, o BCE confirmou que a compra de ativos se mantém ao ritmo mensal de 30 mil milhões de euros "até ao final de setembro de 2018, ou mais tarde" se for necessário para impulsionar a inflação.

Mario Draghi optou assim por manter a mensagem e o discurso cauteloso: se for necessário estende-se o programa de compra de ativos e os juros ainda vão estar baixos por um longo período. O responsável referiu mesmo que são poucas as probabilidades de um aumento da taxa de inflação este ano.


Notícias relacionadas

Zona euro: BCE mantém juros inalterados
O Banco Central Europeu (BCE) manteve hoje as taxas de juro inalteradas bem como o programa de ativos. A decisão anunciada pelo presidente da instituição, Mario Draghi, já era esperada pelos analistas.
O presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, manteve o programa de estímulos à economia da zona euro.