Escolha as suas informações

Taxa de inflação situou-se nos 2,8% em outubro
Economia 16.11.2018

Taxa de inflação situou-se nos 2,8% em outubro

Taxa de inflação situou-se nos 2,8% em outubro

Economia 16.11.2018

Taxa de inflação situou-se nos 2,8% em outubro

A taxa de inflação situou-se nos 2,8%no Luxemburgo em outubro, a sétima mais alta da União Europeia(UE). Os dados foram publicados hoje pelo gabinete de estatísticas da Comissão Europeia.

O valor do Grão-Ducado representa um aumento ligeiro de 0,1 pontos percentuais, face à taxa registada em setembro que foi de 2,7%.

No total da zona euro e da UE, a inflação ficou nos 2,2%. Os combustíveis continuam a dar o maior contributo para o aumento dos preços, seguido pelos serviços, alimentação, álcool e tabaco.

Estes dados saíram no dia em que o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, advertiu para o aumento das "incertezas para as perspetivas a médio prazo" da inflação.

Num congresso da banca europeia, Draghi disse que o Conselho de Governadores poderá analisar melhor os riscos para o crescimento e a inflação na próxima reunião de dezembro, quando tiver novas projeções macroeconómicas do BCE.

Contudo, Draghi insistiu que, se as condições financeiras piorarem excessivamente ou se as perspetivas da inflação se deteriorarem, o BCE deve reagir e ajustar o ritmo de orientação das taxas de juro.

Atualmente, o BCE empresta aos bancos semanalmente a 0% e cobra aos bancos 0,4% pelo excesso de reservas e reduziu as compras de dívida pública e privada para 15 mil milhões de euros em outubro e deixa de adquirir dívida em janeiro.

Draghi afirmou que "não há razão para que o crescimento na zona euro termine de forma abrupta".

O presidente do BCE considerou que o enfraquecimento que a economia da zona euro atravessa neste momento é normal depois do crescimento precedente e que é de caráter temporal.

"Uma desaceleração gradual é normal na medida em que a expansão amadurece e o crescimento converge para o seu potencial a longo prazo".

"Mas a expansão da zona euro ainda é relativamente curta em duração e pequena em tamanho", segundo o presidente do BCE.

O banqueiro italiano sublinhou que a economia da zona euro cresceu durante cinco anos e que se espera que a expansão se mantenha nos próximos anos.


Notícias relacionadas

BCE mantém taxas inalteradas e revê crescimento em alta
O Banco Central Europeu (BCE) deixou as taxas de juro inalteradas e confirmou que a partir de janeiro vai reduzir o programa de compra de ativos destinado a apoiar a economia da zona euro. Por outro lado, reviu o crescimento da zona euro em alta.
Zona euro: BCE mantém juros inalterados
O Banco Central Europeu (BCE) manteve hoje as taxas de juro inalteradas bem como o programa de ativos. A decisão anunciada pelo presidente da instituição, Mario Draghi, já era esperada pelos analistas.
O presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, manteve o programa de estímulos à economia da zona euro.