Escolha as suas informações

Taxa de inflação desce para 1,1% em julho na zona euro
Economia 31.07.2019 Do nosso arquivo online

Taxa de inflação desce para 1,1% em julho na zona euro

Taxa de inflação desce para 1,1% em julho na zona euro

Foto: AFP
Economia 31.07.2019 Do nosso arquivo online

Taxa de inflação desce para 1,1% em julho na zona euro

O Banco Central Europeu deverá anunciar mais medidas de estímulo à economia em setembro.

A taxa de inflação na zona euro deverá ter descido para 1,1% em julho, face aos 1,3% registados em junho deste ano, de acordo com a estimativa provisória publicada esta quarta-feira pelo Eurostat. Este comportamento da inflação reforça a urgência de o Banco Central Europeu (BCE) adotar mais medidas de estímulo à economia da zona euro.

A componente de alimentação, álcool e tabaco teve um comportamento positivo, com a taxa a subir de 1,6%, para 2%. No entanto, na energia e serviços, a taxa desceu.

A taxa de inflação subjacente – que é menos volátil por excluir a energia, alimentação, álcool e tabaco – também desceu de 1,1%, para os 0,9%.


BCE mantém taxas de juro, mas sinaliza descida (atualizada)
A redução das taxas de juro pode ser anunciada em setembro.

A descida da taxa de inflação e a sua manutenção em níveis baixos continua a preocupar o BCE e o presidente daquela instituição. Na semana passada, Mario Draghi deixou as taxas de juro inalteradas, mas sinalizou a possibilidade de as descer ainda mais e de regressar ao programa de compra de ativos. Os mercados antecipam que estas decisões sejam anunciadas em setembro.


Notícias relacionadas

Inflação volta a cair na zona euro
Os dados divulgados vêm dar força aos receios do Banco Central Europeu (BCE), que em setembro anunciou um novo programa de estímulo à economia da zona euro.
Inflação na zona euro sobe para 2,1% em julho
A inflação subiu para 2,1% em julho na zona euro, face aos 2% registados em junho. O valor ultrapassou assim a meta do Banco Central Europeu (BCE), que aponta para uma taxa de inflação próxima mas abaixo dos 2%.
O valor de 2,1% ultrapassou a meta definida pelo Banco Central Europeu.